DESTAQUE

E o fim do mundo novamente não aconteceu

Por
27 de Dezembro de 2012
A Terra prosseguirá independente da estupidez humana; educação e conhecimento são as melhores respostas contra os charlatões
Créditos: NASA

Sem surpresa alguma, o fatídico 21 de dezembro de 2012 chegou, passou, e continuamos aqui. Nada de retorno de deuses alienígenas, do planeta Nibiru, de despertar de nova consciência, mudança de polos, catástrofes climáticas, nem qualquer das equivocadas e muito discutíveis profecias acerca algum evento de grandes proporções se concretizou.

Os tais sons estranhos gravados ao redor do mundo se constituíram no único assunto novo da onda cercando o suposto final do calendário maia. E mesmo estes constituíram-se, praticamente em sua totalidade, em meros virais ou fraudes, sem absolutamente nada digno de pesquisa mais aprofundada. Quanto ao calendário maia, evidentemente, tal como acontecerá em poucos dias, tratou-se somente de um ciclo terminando, para outro se iniciar, lembrando que era exatamente essa a visão dos maias, do tempo como algo cíclico.

Já explicamos como surgiram as equivocadas noções de que o 21 de dezembro de 2012 traria algum tipo de evento apocalíptico ou transcendental. A própria NASA alertou quanto ao clima de medo, preocupada com as pessoas influenciáveis a mercê dos irresponsáveis profetas do juízo final e suas bobagens. Algumas das supostas teorias chegam a ser risíveis, e o destaque dado a elas é comprovação da busca pelo sensacionalismo de certos veículos. Um exemplo é o "tiozinho do apocalipse", que fez suas pregações na Avenida Paulista, em São Paulo, e a reportagem veiculada em recente edição da revista Istoé. Nesta última, as atitudes de certas pessoas realmente são de estarrecer.

E agora? O que tais indivíduos irão dizer ou justificar? Supostos contatados de décadas atrás já davam as mais esfarrapadas desculpas para a não realização de suas profecias. Por exemplo Dorothy Martin, que alegava estar em contato com seres do planeta Clarion, afirmou que uma inundação destruiria o mundo, e claro, ela e seus seguidores seriam salvos.

Quando a destruição não veio, alegou que sua fé havia sido tão grande que o apocalipse fora cancelado. O psicólogo da Universidade de Minnesota Leon Festinger infiltrou-se junto a alguns colegas nesse movimento, e posteriormente escreveu o livro When Prophecy Fails, descrevendo o funcionamento de seitas apocalípticas.

A Ufologia sempre prejudica imensamente sua credibilidade ao dar espaço e voz a tais indivíduos. É lamentável que, enquanto a ciência já discuta com base na Teoria das Cordas a possibilidade de uma realidade formada por 11 dimensões, alguns continuem a defender a tal passagem da terceira para a quarta dimensão. Por cima, no momento em que essa teoria for comprovada, será praticamente obrigatório também se levar em conta a existência de universos paralelos.

Essas mesmas pessoas afirmam com convicção que a ciência não tem todas as respostas, mas é precisamente por isso que essa mesma ciência sempre se reinventa, descobre novos fatos e tem acrescentado páginas valiosíssimas ao conhecimento humano. As descobertas em termos de planetas extrassolares, mundos habitáveis e outras comprovam o impressionante avanço dos últimos anos, enquanto a Ufologia parece cair em um momento de estagnação.

Por cima, já publicamos que os astrônomos pretendem inclusive, nos próximos anos, buscar sinais de elementos artificialmente criados em atmosferas exoplanetárias, e também evidências de engenharia estelar em sistemas estelares distantes. Enquanto isso, setores da Ufologia abrem espaço para indivíduos que alegaram a espantosa passagem da Terra para outro hemisfério da galáxia, no passado 21 de dezembro de 2012.

Outras datas ainda podem surgir, novos dias candidatos ao fim do mundo. O cometa ISON, por exemplo, pode em 2013 protagonizar uma passagem espetacular por nosso planeta, o que talvez anime os apocalípticos de plantão. Certos círculos esperam a inversão total dos polos magnéticos em 2021, com o detalhe que já aconteceram diversas mudanças dessa natureza, e a Terra continuou aqui.

Um candidato real a nos causar problemas é o asteróide 99942 Apophis. Descoberto em 19 de junho de 2004, parecia de fato ameaçar um impacto com a Terra em 2029, risco atualmente completamente descartado. Existe uma remota possibilidade de, na passagem nesse ano, o asteróide de aproximadamente 270 metros ter sua órbita alterada pela gravidade da Terra, podendo nos atingir em 2036. Contudo, em 09 de janeiro de 2013 o Apophis passará a 14450000 km de nosso planeta, quando os astrônomos poderão refinar os cálculos, e descartar qualquer possibilidade de impacto pelas próximas décadas.

Outra data candidata a fim do mundo, finalmente, é 2060, predita pelo pai da física moderna, Sir Isaac Newton, em 1704 após estudar o Antigo Testamento. Note-se que na época do cientista ainda havia uma imensa influência das autoridades religiosas em todos os assuntos cotidianos, o que seguramente influenciou na suposta previsão.

O dever da Ufologia segue sendo apurar fatos, divulgar informações comprovadas e combater fraudes e todo tipo de falsidade, o que inclui os amigos de alienígenas que se encontram com eles toda semana, os espertalhões que enganam incautos em busca de vantagens financeiras, e também os profetas do apocalipse e suas equivocadas previsões. Somente assim nossa disciplina terá a credibilidade que tanto almeja.

Saiba mais:

Livro: Contatados

DVD: No Rastro dos Deuses - Coleção Descobrindo o Peru (II)

Já está no ar a Edição 50 da Revista UFO. Aproveite!

Fevereiro de 2007

Quando a Ufologia vira fanatismo