DESTAQUE

O rover Curiosity visitará pela primeira vez dunas extraterrestres

Por
20 de Novembro de 2015
As Dunas Bagnold, nas encostas do Monte Sharp, próximo alvo científico do rover Curiosity em Marte
Créditos: NASA

Nos próximos dias, o rover Curiosity irá se aproximar das Dunas Bagnold no sopé das encostas noroeste do Monte Sharp. Um rover de Marte nunca esteve em uma duna de areia antes, somente em ondas desenhadas pelo vento ou poeira. A duna que a Curiosity irá investigar é tão alta como um edifício de dois andares e tão ampla como um campo de futebol. Trata-se de dunas movediças, pois imagens da órbita indicam que algumas se movem até um metro por ano terrestre. Não há dunas ativas que tenham sido visitadas em qualquer lugar do sistema solar, com exceção da Terra.

“Temos planejado investigações que não somente nos falam da atividade moderna das dunas em Marte, se não também nos ajudará a interpretar a composição das camadas de arenito das dunas que se converteram em rocha há muito tempo”, disse Benthany Ehlmann, do Instituto de Tecnologia da Califórnia e do Laboratório de Propulsão a Jato (JPL) da NASA. O rover já está monitorando a direção do vento do local e a velocidade. Diariamente toma imagens progressivamente mais próximas, como parte da campanha de investigação. Na duna, se fará uso de sua pá para recolher amostras e levá-las para os instrumentos de laboratórios internos do rover. Utilizará uma roda para raspar a duna e comparar a superfície com o interior.

O que distingue as dunas reais das ondas desenhadas pelo vento de areia ou poeira, como as que se encontram em vários lugares visitados previamente pelos rovers de Marte, é que as dunas formam uma face a favor do vento que é suficientemente íngreme para que a areia deslize abaixo, provocando um efeito que vem implicando fatores como a gravidade e a atmosfera, diferente em Marte em relação à Terra, informa a NASA. O nome do local é uma homenagem ao explorador Ralph Bagnold (1896-1990), engenheiro militar britânico, explorador e pesquisador de dunas.

PISTAS PARA O PASSADO MARCIANO E POSSÍVEL EXISTÊNCIA DE VIDA

crédito: NASA
Curiosity no local Big Sky, nas encostas do Monte Sharp
Curiosity no local Big Sky, nas encostas do Monte Sharp

O Curiosity pousou na imensa Cratera Gale em agosto de 2012 e cumpriu a missão de determinar que Marte teve condições de abrigar vida microbiana no passado. Ele encontrou evidências de que Gale possuía um complexo sistema de lagos e correntes de água, e atingiu a base do Monte Sharp, de 5.5 km de altitude, em setembro de 2014. Suas encostas exibem múltiplas camadas geológicas que devem conter pistas sobre o passado do Planeta Vermelho. A investigação das dunas é mais um passo da missão. “Estas dunas tem uma textura diferente das dunas na Terra”, disse Nathan Bridges, do Laboratório de Física Aplicada da Universidade Johns Hopkins. “As ondas delas são muito maiores que as ondas na parte superior das dunas na Terra e não sabemos o motivo. Temos modelos baseados na pressão do ar inferior. É necessária uma velocidade do vento superior para que uma partícula se mova. Mas agora temos a primeira oportunidade de fazer observações detalhadas”.

crédito: NASA
O caminho do rover em Marte desde 2012
O caminho do rover em Marte desde 2012

Site oficial do rover Curiosity

Vídeo que mostra como o Curiosity tira uma selfie

No Fórum Mundial de Ufologia, a discussão sobre a vida em Marte

Cratera onde pode ter existido vida entre os alvos do próximo rover em Marte

Europa lançará nova missão para Marte em março

Comprovação de água líquida fluindo em Marte aumenta as possibilidades de vida

Curiosity encontra mais elementos para vida em Marte

Marte possui água corrente na superfície na atualidade

Coeditor da UFO lança mais um livro, agora abordando os mistérios de Marte

Saiba mais:

Livro: Dossiê Cometa

DVD: Buscando Vida Fora da Terra

crédito: Revista UFO
Buscando Vida Fora da Terra
Buscando Vida Fora da Terra

Enquanto cientistas de diversas áreas buscam respostas para a origem e o futuro da humanidade terrestre, a exobiologia vasculha vastas regiões do universo à procura de outras formas de vida. Com exuberantes imagens obtidas pela NASA e usando avançados recursos de computação gráfica, este documentário mostra como seriam as espécies que encontraremos no espaço e deixa claro que esta é apenas uma questão de tempo.

Já está no ar a Edição 77 da Revista UFO. Aproveite!

Abril de 2014

O primeiro de muitos passos

UPDATED CACHE