DESTAQUE

Grandes enigmas de Marte desafiam os especialistas

Por
07 de Julho de 2011
O Grand Canyon de Marte é um sistema de depressões enormes que se estendem cerca de 4.000 Km ao longo do equador marciano. Imagem da sonda Mars Express
Créditos: APOD/NASA

O quarto planeta a partir do Sol recebeu seu nome em homenagem ao deus romano da guerra (e graças à sua cor de sangue-ferrugem). Do ponto de vista exploratório, o apelido é apropriado: Marte lutou contra a maioria dos nossos avanços científicos, mais da metade das naves espaciais enviadas para estudar o planeta vermelho - mais de 40 - fracassaram, algumas se perderam no espaço e outras desmoronaram na sua superfície.

Apesar disso, nossa curiosidade sobre ele nunca diminuiu. Várias missões continuam insistindo nos potenciais marcianos, uma delas, inclusive, chamada Curiosidade [Curiosity]. Os cientistas esperam que esses novos projetos ajudem a responder velhos mistérios desse mundo.

Morada da vida?

Não há como falar sobre Marte sem levantar a questão da vida. Muitos cientistas consideram o planeta vermelho o lugar mais provável em nosso Sistema Solar em que a vida extraterrestre poderia ter se desenvolvido uma vez – ou mesmo ainda existir. O que todo mundo quer saber é: o orbe já abrigou vida? Hoje, e na maior parte de sua história, Marte é um mundo frio, seco e desolado. Mas várias linhas de evidências apontam que já foi quente, úmido e muito mais parecido com a Terra – isso cerca de quatro bilhões de anos atrás.

Para criar vida, é necessário água. E adivinhem? Sinais indicam que Marte já foi absolutamente encharcado. Minerais na sua superfície, tais como sulfatos e argilas, só poderiam ter se formado na presença de água. Muitas características geológicas sugerem que grandes torrentes de água fluíram no planeta. Uma enorme quantidade de água ainda existe ali, mas congelada e afastada (nas calotas polares), como permafrost e gigantes geleiras subterrâneas recém-descobertas.

Evidências de vida microbiana marciana já vieram em muitas formas: uma experiência contestada na década de 1970; um famoso "meteorito marciano", recuperado na Antártida, com estruturas estranhas que alguns pesquisadores interpretaram como minúsculos fósseis preservados na rocha que decolou de Marte; e baforadas de metano na sua atmosfera fina que poderiam ter uma origem biológica.

De quente e úmido a frio e seco

O próximo grande mistério sobre Marte é: o que aconteceu? Era quente, molhado, e apenas 500 milhões a um bilhão de anos atrás. E daí a diversão simplesmente acabou? Futuras missões de exploração levarão equipamentos mais sensíveis para ajudar a responder as perguntas inter-relacionadas sobre a vida e a mudança gritante de condições no planeta vermelho.

A Agência Espacial Norte-Americana (NASA) vai pousar em Marte no próximo verão do hemisfério norte e começar a analisar rochas enviando imagens a Terra para estudo. Além disso, a Agência Espacial Européia (ESA) está preparando uma nave para um lançamento ao planeta em 2018. Uma missão de recolha de amostras de solo e rochas tem sido considerada, mas ainda não está programada.

Pouco a pouco, os cientistas esperam responder se Marte já teve uma atmosfera espessa, e também como a atividade geológica e o vulcanismo influenciaram o planeta ao longo das eras. Afinal, é a casa do Vale Marineris, um dos cânions mais longos conhecidos, e de Monte Olimpo, o maior vulcão do Sistema Solar.

Dois hemisférios muito diferentes

Marte é muito diferente de norte a sul: as planícies mais jovens com poucas crateras predominam no norte, enquanto montanhas antigas cheias de crateras caracterizam o hemisfério sul. O hemisfério norte também é em média de cinco quilômetros menor do que o sul. Como?

crédito: Global Warming

A melhor aposta para a "dicotomia hemisférica" é um impacto gigante que deve ter ocorrido no norte a partir de um corpo do tamanho de Plutão, quatro bilhões de anos atrás. Se a teoria estiver correta, isso significaria que 40% do norte de Marte é na verdade uma cratera de impacto. Isso daria ao orbe outro superlativo geológico: a maior cratera de impacto do Sistema Solar.

Luas engraçadas e irregulares

Tem duas luas pequenas, em forma de batata, chamadas Fobos e Deimos. Em muitos aspectos, incluindo tamanho, forma, cor e composição aparente, parecem ser asteróides capturados pela gravidade rebelde de Marte. Mas o fato de que Fobos e Deimos têm órbitas circulares em cima do equador de Marte desafia esse conceito.

Seria muito improvável que dois asteróides capturados tivessem essa trajetória e história subseqüente para se resolver em tal arranjo orbital. Como Fobos e Deimos realmente chegaram a Marte permanece um mistério. As luas poderiam ter se formado a partir de material retirado da superfície por um impacto, assim como nossa Lua, e mantiveram uma forma irregular porque lhes faltava a massa e gravidade correspondente para se tornarem esféricas.

Também, nas décadas de 1950 e 1960, nasceu a especulação que Fobos e Deimos pudessem ser artificiais – mas isso já foi desmascarado [?], juntamente com todos os outros rumores marcianos sobre irrigações, canais, rostos humanos esculpidos em rochas e pequenos homens verdes com armas de laser.

Conheça nossos documentários exclusivos a respeito do assunto, clique sobre os títulos:


As Misteriosas Civilizações Marcianas (2005)

Descrição: A verdade sobre o Planeta Vermelho pode mudar a história da humanidade. Veja neste DVD informações científicas e históricas irrefutáveis de que o Planeta Vermelho já abrigou inúmeras formas de vida avançadas, hoje extintas. O que a NASA descobriu em Marte? Existiram realmente civilizações avançadas em nosso vizinho?

Por que, então, a agência espacial norte-americana insiste em negar as evidências? Estas são questões que não se calam desde que as misteriosas fotos de um rosto e de um conjunto de pirâmides foram tomadas sobre sua superfície, há mais de 20 anos. Segundo sustentam cientistas dissidentes da NASA, de fato Marte possuiu formas de vida inteligente em épocas remotas, hoje extintas.

Este documentário é uma investigação excepcional sobre os enigmas marcianos e ainda contém um bônus especial sobre seus monumentos e construções da planície Cydonia. O material, produzido com elevada qualidade técnica, oferece informações científicas e históricas irrefutáveis que podem mudar o destino da humanidade terrestre. A Verdade Sobre a Lua (2009)

Descrição: Crateras misteriosamente iluminadas, torres, pirâmides e outras figuras inexplicadas no solo lunar denunciam que a verdade sobre o satélite continua oculta do mundo. O que os astronautas russos e americanos encontraram em nosso satélite e por que não revelaram ao mundo?

A Lua sempre representou, até ser conquistada, um grande mistério para a humanidade. Teria sido habitada? Teria sido visitada por outras espécies, assim como a Terra? E teriam tais civilizações construído bases em sua superfície? Estes são apenas alguns dos questionamentos que nosso satélite natural suscita. Porém, em vez de tê-los respondidos, sua conquista apenas aumentou as suspeitas de que russos e norte-americanos encontraram em nosso satélite coisas surpreendentes, que jamais revelaram ao mundo.

Crateras misteriosamente iluminadas, torres, pirâmides e outras figuras inexplicadas no solo lunar denunciam que a verdade sobre a Lua continua oculta, sendo conhecida apenas de poucos eleitos. Mas o que, enfim, os astronautas que caminharam sobre a superfície lunar encontraram? O que as inúmeras missões não tripuladas, satélites orbitais e sondas enviadas à Lua descobriram? E, finalmente, por que até hoje é mantido segredo sobre todos estes fatos?

Este documentário, premiado internacionalmente, mostra as razões para o insistente acobertamento de informações e apresenta imagens espetaculares obtidas de arquivos secretos da NASA, assim como depoimentos de seus técnicos, engenheiros e especialistas, que denunciam manobras de sigilo em torno das descobertas lunares. A Verdade sobre a Lua é a versão brasileira de Moon Rising, filme do cineasta norte-americano Jose Escamilla, descobridor dos “rods”. É a parte dois da série The Greatest Story Ever Denied, lançada no Brasil pela Videoteca UFO com o título UFOs: O Grande Desafio da Humanidade, em 2008. Nesta obra, um dos mais fascinantes documentários de todos os tempos, você encontrará as respostas para as perguntas mais contundentes sobre nosso satélite, que autoridades da Rússia e EUA insistem em esconder.
Luna: Até Onde Vai a Mentira? (2009)

Descrição: A existência na Lua de crateras iluminadas, misteriosas pirâmides, torres e figuras inexplicadas denunciam que a verdade sobre nosso satélite continua sendo oculta de toda a humanidade. Por que a exploração da Lua, desde os anos 60, apenas aumentou a quantidade de perguntas que temos sobre ela, em vez do contrário?

Nosso satélite natural sempre foi inesgotável fonte de questionamentos, principalmente depois que passou a ser alvo de projetos espaciais das superpotências. Desde os anos 60, inúmeras missões se aproximaram e desceram na Lua, nem sempre com o conhecimento da humanidade, nem sempre com propósitos pacíficos. Algumas destas empreitadas continuariam até hoje sendo escondidas de todos, e seus resultados são insondáveis. Especialistas e funcionários de agências governamentais norte-americanas, que já vieram a público em várias ocasiões, denunciam o acobertamento dos fatos e garantem que há segredos inconfessáveis sobre nosso satélite.

Este documentário pretende explorar alguns deles, debatidos nas comunidades astronáutica e ufológica dos Estados Unidos, e responder a perguntas que não se calam. Estaria a Lua sendo explorada por outras espécies cósmicas, além da raça humana, seres que a utilizariam como uma plataforma para atingirem a Terra? Com que propósito? As autoridades das nações que já enviaram missões e astronautas para lá sabem desta realidade? Por que escondem? Este DVD, que dá continuidade ao título A Verdade Sobre a Lua (DVD-036), também do produtor Jose Escamilla, vai fundo na questão e apresenta evidências de que a NASA tem escondido a realidade sobre as condições de nosso satélite natural, ora adulterando imagens, ora omitindo declarações de astronautas para lá enviados – principalmente de que estiveram frente a frente com ETs. Informações que a NASA Oculta (2000)

Descrição: Naves alienígenas à espreita no espaço, é o que você verá neste documentário ufológico. Além de comunicações secretas entre as missões espaciais e as estações da NASA que mostram que os astronautas estiveram próximos a UFOs.

Tudo começou com a chegada do homem à Lua, depois com as viagens dos ônibus espaciais e, mais recentemente, com a exploração de Marte. E o mistério de naves espaciais norte-americanas que são seguidas por UFOs no espaço só aumentou. A NASA tem plena consciência do que acontece ao redor da Terra. Entretanto, pressiona para que o assunto seja mantido em sigilo. As missões Challenger, Discovery e Endeavour são as que mais foram acompanhadas por estranhos objetos discóides de origem não terrestre.

Este documentário apresenta intrigantes filmagens de UFOs no espaço, com espantosos detalhes. As imagens foram obtidas de um especialista em satélites e radiocomunicação canadense, que interceptou transmissões secretas da NASA e as divulgou à comunidade ufológica. Através delas é possível saber que alguém mais freqüenta o espaço. Contatos com UFOs no Espaço (1999)

Descrição: O que a NASA insiste em ocultar do mundo? Veja neste DVD imagens e fatos impressionantes sobre as viagens espaciais da NASA, mantidas até hoje sob absoluto sigilo.

Desde a década de 50, quando os primeiros vôos espaciais não tripulados foram lançados, naves extraterrestres começaram a monitorar cada passo da humanidade e principalmente nossa ambição de militarizar o espaço. Evidências comprovam que todos os foguetes norte-americanos e soviéticos, além das missões à Lua, foram observados e seguidos por discos voadores – muitas vezes de perto. A NASA e a Agência Espacial Russa têm total conhecimento dos fatos, mas insistem em acobertá-los e jamais admitiram o que sabem. Muitos astronautas já tiveram a oportunidade de observar UFOs no espaço e alguns até contataram extraterrestres. Este documentário mostra os testemunhos impressionantes desses profissionais, assim como filmagens inéditas de discos voadores no espaço e na superfície lunar.

Já está no ar a Edição 58 da Revista UFO. Aproveite!

Julho de 2011

Ponto de contato entre diferentes humanidades