NOTÍCIA

Robert Bigelow é obcecado por UFOs há décadas

Por Equipe UFO | 26 de Fevereiro de 2018

Robert Bigelow, cujo interesse pelos UFOs tem motivação desconhecida
Créditos: Arquivo

Robert Bigelow é obcecado por UFOs há décadas

Uma família mormon adquiriu em 1994 uma propriedade de 480 acres em Uintah Basin, no estado norte-americano de Utah, porém logo começou a ter problemas insólitos. Estranhos e imensos lobos que não eram feridos por balas, gado morto e com seus órgãos removidos, e inúmeros avistamentos de objetos voadores não identificados. O já bilionário Robert Bigelow viu as notícias a respeito na imprensa, e em 1995 comprou a propriedade, chamando-a de Rancho Skinwalker, e estabelecendo ali o Instituto Nacional para Descoberta Científica. Por anos a área teve acesso rigorosamente controlado, e os funcionários de Bigelow utilizaram todos os meios disponíveis para flagrar qualquer fenômeno inexplicado que ali ocorresse. O bilionário finalmente desativou seu Instituto em 2004, sem conseguir as provas quer buscava.

O Rancho Skinwalker agora pertence a uma misteriosa instituição chamada Adamantium Real Estate. Robert Bigelow, antes mesmo de adquirir o rancho, ajudou a criar A Coalização de Pesquisa UFO. Pouco tempo depois de desativar o Instituto, já em 2007, ele finalmente recebeu o contrato do Pentágono para pesquisar casos envolvendo UFOs e os militares no Programa Avançado de Identificação de Ameaças Aeroespaciais (AATIP). Em 2008 ele prosseguiu com iniciativas ligadas ao estudo ufológico, criando a Bigelow Advanced Aerospace Space Studies, subsidiária da Bigelow Aerospace. No site da empresa dizia que esta "foca na identificação, avaliação e aquisição de novas e emergentes tecnologias futuras no mundo todo, especificamente relacionadas a espaçonaves". Um dos administradores da empresa foi Colm Kelleher, que depois de sair da companhia escreveu, ao lado do jornalista George Knapp, o livro Hunt for the Skinwalker, a respeito do controverso rancho.

Quase na mesma época Bigelow entrou em acordo com Jan Harzan, diretor executivo da Mufon, propondo investir no grupo ufológico para que seus pesquisadores chegassem mais depressa aos locais de avistamento e conseguissem melhores informações. A colaboração durou menos de um ano. Bigelow também conseguiu a colaboração da Administração Federal de Aviação (FAA), que por algum tempo sugeria a pilotos de aeronaves comerciais, diante da ocorrência de avistamentos ufológicos, reportassem suas observações para a Bigelow Advanced Aerospace Space Studies. Em uma conferência da Mufon em 2009 o bilionário se aproximou de Christopher Rutkowski, coordenador do grupo Canadian UFO Survey, pedindo que comunicasse a sua equipe todo caso canadense que considerassem altamente confiável. Rutkowski conta que um funcionário de Bigelow o procurava a cada poucos meses durante cerca de dois anos, e depois essa pessoa não o contatou mais.

INTERESSE NO FENÔMENO UFO E MUITAS LIGAÇÕES COMPROMETEDORAS

crédito: Bigelow Aerospace
O logo de um alienígena está estampado em um dos prédios das empresas de Robert Bigelow
O logo de um alienígena está estampado em um dos prédios das empresas de Robert Bigelow

Pouco antes da revelação do Programa Avançado de Identificação de Ameaças Aeroespaciais (AATIP) outra iniciativa de investigação ufológica ganhou as manchetes. O ex-cantor Tom DeLonge lançou em outubro passado a To The Stars Academy of Arts and Science (TTS/AAS), que se propõe a investigar casos ufológicos a fim de colher informações que permitam o desenvolvimento de novas tecnologias. DeLonge tem sido muito criticado por sua excessiva credulidade, frequentemente postando em suas redes sociais imagens há muito confirmadas como fraudulentas e outras notícias duvidosas. É no site de seu grupo que se encontram publicados os vídeos mostrando a perseguição a UFOs por parte de aeronaves militares norte-americanas do AATIP, e Luis Elizondo, que comandava a investigação ufológica do Pentágono, agora atua como diretor de segurança global e programas especiais da To the Stars. Robert Bigelow não está oficialmente ligado a TTA/AAS, mas vale lembrar que outro membro desse grupo, Hal Puthoff, que tem o cargo de vice-presidente de ciência e tecnologia, já esteve entre o corpo dirigente do Instituto Nacional para Descoberta Científica de Robert Bigelow. O bilionário continua com sua busca pela verdade quanto à presença alienígena na Terra, mas quase nada se sabe a respeito de sua motivação, e muito menos do que descobriu em suas décadas de interesse quanto a essa questão.

Bigelow Aerospace lança nova empresa para operar estações espaciais privadas

Bilionário norte-americano afirma que alienígenas já estão aqui

Muitas questões ainda não respondidas sobre o metal do estudo ufológico do Pentágono

Pesquisador irá cobrar explicações sobre programa de investigação ufológica do Pentágono

Crescem as críticas contra Tom DeLonge e seu projeto

Nova organização para estudo científico dos UFOs foi lançada

Saiba mais:

Livro: Roswell: Novas Revelações

crédito: Revista UFO
Roswell: Novas Revelações
Roswell: Novas Revelações

O caso ufológico que dá origem a este livro é o mesmo que serviu de pretexto, quase sete décadas atrás, para a implantação da política governamental de acobertamento da presença alienígena na Terra. Foi imediatamente após a queda de um disco voador na cidade de Roswell, no meio do Deserto do Nevada, que as autoridades norte-americanas tomaram conhecimento de sua procedência extraterrestre e de sua elevada tecnologia. Roswell: Novas Revelações vai a fundo nesta questão e expõe todas as suas características com clareza, após décadas de pesquisas do autor e centenas de depoimentos de testemunhas civis e militares. Donald Schmitt é um dos maiores especialistas no Caso Roswell em todo o mundo. Foi diretor de investigações do Center for UFO Studies (CUFOS), fundado décadas atrás pelo pioneiro J. Allen Hynek.

DVD: UFOs Aqui, Agora

Compartilhe essa notícia:

Saiba mais sobre este assunto na edição 245 da revista

Comentários