DESTAQUE

O pensamento de ufólogos brasileiros sobre a Conferência em Washington, D.C.

Por
09 de Outubro de 2010
A Ufologia Brasileira está consciente e amplamente preparada para auxiliar nesta empreitada
Créditos: rtpi

A Conferência de Imprensa Conexão UFOs-Armas Nucleares, ocorrida dia 27 de setembro no National Press Club, em Washington, D.C., ainda repercute de forma massiva e ininterrupta. Perante o silêncio governamental e militar, que não se manifestaram a respeito até o momento, a pressão deve aumentar, e muito.

Promovida e organizada pelo pesquisador e consultor da Revista UFO Robert Hastings, autor de Terra Vigiada: inteligências extraterrestres observam e monitoram nossos arsenais atômicos [Biblioteca UFO, 2010] e o capitão Robert Salas (reformado da USAF), trouxeram depoimentos e testemunhos de gabarito militar perante a mídia mundial.

Esta foi a terceira grande conferência de imprensa testemunhando a questão dos UFOs e extraterrestres. No entanto, a mais importante e que possui potencial de acabar com o embargo às informações deste porte, além de desencadear uma grande mudança na cobertura da mídia, porque é uma conexão direta com as instalações nucleares e a Segurança Nacional dos países envolvidos, principalmente EUA.

Os depoentes forneceram farto e vasto material, além de questões de pesquisa para toda imprensa, a fim de que tenham base para investigações e reportagens de peso. Notadamente, o evento foi transmitido ao vivo e na íntegra pela CNN à Internet. Assista grande parte da transmissão, no original em inglês: Há alguns dias, através do consultor da UFO Yohanan D. Vargas, do México, tivemos oportunidade de verificar opiniões de ufólogos latinos sobre o evento. Agora é a vez de sabermos o que pensam sobre o assunto os pesquisadores brasileiros e quais são as expectativas a curto e médio prazos.

"Sem dúvida, contribuiu para tirar a pesquisa ufológica séria do limbo, no qual está mergulhada há tantas décadas. A ridicularização do fenômeno, associado a uma possível presença de civilizações extraterrestres, sempre foi o fator que mais prejudicou a pesquisa. Com tantas figuras importantes erguendo suas vozes e deixando claro que o assunto é sério e vale a pena ser analisado, podemos estar experimentando o início de um período de benéficas mudanças e, quem sabe, de grandes revelações", discorreu o integrante da Equipe UFO Renato A. Azevedo.

O consultor da UFO José Américo Medeiros, especialista em aviação e segurança de vôo, como também testemunha de UFOs próximos a aeronaves, acha que "a verdade não pode ser sufocada e aparecerá, por si mesma ou através de corajosos depoimentos como os da Conferência de Imprensa, deixando autoridades na obrigação de se manifestarem perante a sociedade. É questão de tempo".

"A Conferência de Imprensa em Washington se tornou mais um passo significativo rumo ao reconhecimento oficial por parte de todos os governos, pressionados cada vez mais para admitirem a presença extraterrestre em nosso planeta. Mostrando e endossando que a Ufologia Brasileira está no caminho certo com a campanha UFOs: Liberdade de Informação Já se empenhando neste sentido", disse o consultor da UFO Wallacy Albino, presidente do Grupo de Estudos Ufológicos da Baixada Santista (GEUBS) e membro da Comissão Brasileira de Ufólogos (CBU).

Coordenador da CBU, conselheiro especial da Revista UFO e membro da Entidade Brasileira de Estudos Extraterrestres (EBE-ET), Fernando Aragão Ramalho esclareceu que "esse evento ímpar no National Press Club significa mais que um marco representativo da Ufologia Moderna, indica o estabelecimento definitivo da informação livre e acessível como prioridade no estudo do Fenômeno UFO. O mesmo vem fazendo a Ufologia Brasileira, desde 2004, com suas petições e conquistas, absolutamente constitucionais, e o Dossiê UFO Brasil".

“A repercussão e silêncio das autoridades só vem confirmar o excepcional momento no qual a Ufologia Mundial está atravessando. É importante mencionar que a Brasileira é parte integrante e indispensável nesse movimento, temos que aproveitar essa oportunidade para darmos grandes passos em direção à abertura total dos arquivos ufológicos secretos”, enfatizou Thiago Ticchetti, da Equipe UFO e EBE-ET.

"Trata-se de uma nova fase na Ufologia Documental, Histórica e Política a nível internacional, que vem demonstrando amadurecimento e capacidade indubitável de pressionar as autoridades de forma íntegra, legal e, principalmente, contundente. Um gigantesco movimento global de pressão na abertura de segredos ufológicos está em andamento, só não vê quem realmente está desinformado e desatualizado, sejam bem-vindos ao século XXI", declarou o pesquisador Paulo Poian.

O ufólogo e editor da Revista UFO, A. J. Gevaerd, mostrou-se atento. "O mundo está vendo uma mudança de paradigmas e conceitos nunca antes vista. A questão da presença extraterrestre em nosso planeta deixa de ser um tabu e evolui rapidamente. Antes eram autoridades, celebridades e militares que se pronunciavam a respeito, com certa timidez, e hoje tais manifestações são abundantes, ousadas, contundentes e partem até de graduados membros de Governos e das Forças Armadas de vários países", disse. "O que se viu em Washington, dia 27 passado, marcou a história da Ufologia Mundial e não se pode mais ignorar a seriedade da ação na Terra de outras espécies cósmicas", completou Gevaerd.

Tal evento também respondeu às preocupações atuais sobre o abuso do segredo governamental, bem como a persistente ameaça das armas nucleares e o interesse por parte dos UFOs sobre nossas ações bélicas. Leia entrevista de Hastings, concedida com exclusividade à Revista UFO, em sua edição 151, clicando aqui.

Já está no ar a Edição 170 da Revista UFO. Aproveite!

Outubro de 2010

Enfim, o Governo libera documentos dos anos 90