DESTAQUE

Missão Apollo 20 nunca existiu na realidade

Por
06 de Junho de 2010
Créditos: Arquivo UFO

Sem dúvida alguma, a internet é o mais poderoso meio de troca de informações já criado pelo ser humano. Através de e-mails, sites e páginas pessoais, qualquer pessoa pode gerar e receber informação para praticamente qualquer lugar do mundo, criando um tipo de interação e uma facilidade de exposição que nunca aconteceu antes na história conhecida.

Mas, como já era de se esperar em tudo que é criado pelo homem, a internet tem o seu lado bom (muito bom vale frisar), e também o seu lado ruim. A parte boa (que muitas vezes suplanta largamente a má) é a excepcional liberdade de expressão, totalmente sem precedentes, que desfruta a grande maioria dos seus usuários, e a parte ruim, infelizmente, é o quê alguns internautas fazem com esta mesma liberdade.

Além dos famigerados vírus, incentivos ao extremismo, e sites de qualidade ou conteúdo duvidoso, as especulações desprovidas de embasamentos (característica de grande parte das chamadas \'teorias\' conspiracionistas), ganharam um impulso inédito nestes últimos tempos.

Atraídos pelo fantástico, pelo fora do comum, e embalados no apelo fácil exercido por afirmações simplistas, levianas, que nunca se aprofundam devidamente nos temas tratados, internautas desavisados se deixam levar por afirmações que muito dificilmente poderiam encontrar correspondência na realidade.

O suposto vôo secreto da Apollo 20, uma missão que nunca existiu na realidade (as missões Apollo terminaram oficialmente na versão 17), é uma das muitas especulações que sugiram há tempos na Ufologia dentro da \'onda conspiracionista\' da década de 80/90, e agora retorna revista e atualizada, como a última \'grande revelação\' em vários de sites da internet.

Basicamente, a idéia (que possui diversas variações ao gosto de quem a reproduz) é que as missões Apollo não teriam terminado na 17, conforme noticiado pela NASA, mas na verdade teriam continuado secretamente visando a exploração de \'recursos\' não revelados ao mundo e de alvos militares supostamente existentes na lua, como bases extraterrestres, ruínas de construções antigas, naves extraterrestres pousadas ou abandonadas etc. Os mais exagerados afirmam que, além disso tudo, existem também cidades inteiras no lado oculto da lua e que há, desde a década de 60, uma colaboração secreta entre Rússia e EUA para interagir com estas supostas instalações extraterrestres e extrair tecnologia de ponta de lá.

Bem, como se pode notar, em linhas gerais, trata-se nitidamente de uma variação livre sobre uma outra \'teoria\' conspiracionista mais antiga chamada \'Alternativa 3\'. E se elas, tanto a especulação original quanto as subseqüentes, realmente possuem algum fundo de verdade, mesmo que mínimo, é coisa difícil de se verificar objetivamente. Mas pelo menos podemos aplicar o filtro do \'bom senso\' nesta história para ver se sobra alguma coisa:

1) O programa Apollo (responsável por levar o homem à lua em 1969, na Apollo 11) era absurdamente caro, e NENHUMA missão da NASA é ou era realizada sem o conhecimento do congresso norte-americano que aprova previamente o cronograma de todas as missões e seus gastos. Assim, a interrupção deste programa é totalmente coerente com o fato de que ele, ao chegar na versão 17, já não oferecia mais nenhum atrativo político e nem mesmo técnico (a própria NASA passou a ver as Apollo como uma solução antiquada diante de projetos bem mais \'modernos\' para a época, como o ônibus espacial, que hoje em dia está em vias de se aposentar).

Na realidade, o consumo constante de cifras astronômicas (literalmente) oriundas dos inúmeros cuidados necessários para se enviar com sucesso homens à lua, e os enormes riscos de vida associados, levaram naturalmente à conclusão de que tudo seria muito mais fácil (e barato) se utilizássemos sondas não tripuladas para atingir alvos fora da terra, como de fato passou a ser feito desde então. E é importante ressaltar que foi o próprio projeto Apollo, com a aplicação direta de milhares de tecnologias totalmente novas e nunca testadas na época, que ajudou a chegarmos com sucesso na fase das sondas não tripuladas!

2) Daí, pode-se agora argumentar que o projeto foi continuado secretamente pelas forças armadas com um orçamento próprio. De fato, é uma possibilidade, mas muito remota porque a maior parte do orçamento militar norte-americano TAMBÉM é aprovado pelo congresso e, mesmo se fosse mantido dentro da caserna e da política do \'need to know\', um projeto deste porte não tem como ser completamente secreto, porque necessita de uma quantidade IMENSA de técnicos especializados nas mais diversas e variadas funções. Enviar um foguete à lua, tanto ontem quanto hoje, é uma tarefa ALTAMENTE complexa. Basta observar quanto países conseguiram isto até agora.

3) Por outro lado, OK, eu concordo, pode ser até que exista algum ET \'perdido\' lá pela lua. Mas, diante da absurda facilidade de vôo e entrada/reentrada no espaço exibida pelos UFOs, vocês acham que eles realmente precisariam de uma \'base\' no nosso satélite natural como querem crer alguns? Esta é uma idéia que faz todo o sentido dentro do NOSSO ponto de vista, e utilizando-se as NOSSAS tecnologias ainda limitadíssimas em termos de espaço sideral. Entretanto, assumindo-se que os ETs tenham vindo de outro sistema solar próximo, coisa de algumas dezenas ou centenas de anos-luz de distância daqui, para quê, após percorrerem uma distância deste porte, necessitariam se estabelecer aqui do nosso lado, na lua? Só se for para invadir a terra! Xiiii... Mas esta já é outra \'teoria\' conspiracionista...