DESTAQUE

Curiosity encontra compostos orgânicos em Marte

Por
03 de Dezembro de 2012
Na conhecida imagem do Curiosity a NASA fez uma montagem descrevendo onde foram as explorações do rover
Créditos: NASA

Cientistas da NASA, falando em conferência durante o evento da União Geofísica Norte-Americana acontecendo até o dia 07 de dezembro em San Francisco, anunciaram a descoberta de sinais de compostos orgânicos na superfície de Marte. Dias atrás funcionários da agência trataram de esfriar os boatos de que o rover teria feito uma descoberta espetacular no planeta, conforme informações que circulavam havia quase duas semanas.

O achado do Curiosity pode comprovar a presença de química complexa no Planeta Vermelho, bem como de compostos orgânicos [formados por carbono e outros elementos] que seriam importantes para formas de vida. Contudo, os cientistas foram cautelosos ao afirmar que ainda não estão certos de que os compostos encontrados sejam mesmo de Marte, ou pelo contrário são produto de contaminação levados desde a Terra.

O robô encontrou evidências de compostos com cloro, enxofre e mesmo água graças ao SAM [Analisador de Amostras em Marte]. O principal investigador da equipe desse instrumento, Paul Mahaffy, afirmou: "O SAM não tem ainda uma detecção definitiva de compostos orgânicos". John Grotzinger, cientista do projeto do Curiosity, acrescentou: "Mesmo que o SAM tenha detectado compostos orgânicos, antes de tudo temos que determinar se eles são mesmo de Marte". Foi Grotzinger quem teria dito que as descobertas do rover seriam "para os livros de História", conforme circulou na imprensa nos últimos dias.

As descobertas do Curiosity igualmente envolvem perclorato, o composto que a sonda Phoenix comprovou existir quando pousou no pólo norte de Marte em 2008. Quando essa substância foi cozinhada no SAM, foram produzidos compostos com cloro e metano. Funcionários da NASA afirmaram que o cloro é de origem marciana, mas ainda não podem confirmar se o carbono é mesmo nativo daquele planeta.

Os achados tiveram lugar em um local chamado Rocknest, que o Curiosity tem explorado nas últimas semanas e localiza-se a poucos quilômetros do principal alvo da missão, uma rocha chamada de Glenelg que fica na base do Monte Sharp, de 05 quilômetros de altitude, dentro da vasta Cratera Gale. Já outros instrumentos do rover, montados no braço robótico, confirmaram que a composição química da areia no local é similar inclusive na aparência à encontrada pelos robôs anteriores, o Pathfinder de 1997, e os gêmos Spirit e Opportunity. O terreno explorado pelo Curiosity tem formação mista, vulcânica e vítrea, mas não cristalina, e outro importante achado divulgado foi a presença de água em maior quantidade que o esperado.

Linha do tempo da busca por vida em Marte

Vídeo da conferência de imprensa da equipe do Curiosity

Site das missões marcianas da NASA

Saiba mais:

Livro: UFOs: Arquivo Confidencial

DVD: UFOs: Evidências Definitivas

Já está no ar a Edição 193 da Revista UFO. Aproveite!

Outubro de 2012

Velhos casos, novas perguntas