DESTAQUE

Armas nucleares podem salvar a Terra de asteroides

Por
14 de Fevereiro de 2014
Asteroides, uma ameaça real contra a qual a humanidade precisa se prevenir
Créditos: ESA - P.Carril

Possivelmente aqueles que defendem a extinção dos arsenais nucleares em todo o mundo talvez se arrependam, caso um asteroide vindo em nossa direção seja detectado pouco tempo antes do impacto. Cientistas afirmam que quase qualquer desses corpos que ameace nosso planeta pode ser desviado ou destruído por uma arma nuclear, mesmo se houver somente uma semana ou menos antes do impacto.

De acordo com Bong Wie, da Iowa State University: "Nós temos a solução de um conceito, para podermos eliminar a ameaça seja qual for o tempo de alerta anterior ao impacto". O trabalho foi apresentado em 06 de fevereiro no evento Conceitos Avançados e Inovadores da NASA, na Universidade de Stanford.

Wie comenta que anteriormente ele e outros cientistas conscientes do perigo representado pelas rochas espaciais precisavam exemplificar com a extinção dos dinossauros, evento desencadeado há 65 milhões de anos pelo impacto de um asteroide onde hoje é a Península do Yucatan. Agora ele afirma que possui um exemplo muito mais concreto, o impacto em Chelyabinsk, Rússia, em 15 de fevereiro de 2013.

TECNOLOGIA ATUAL PODE PROTEGER A TERRA DE IMPACTOS

Os cientistas alertam que é somente questão de tempo até outro impacto acontecer e o próximo pode ser muito maior e causar maiores estragos. Em uma situação ideal haveria um alerta com vários anos ou até décadas de antecedência, permitindo que uma nave robótica fosse lançada para voar ao lado do asteroide e lentamente usar sua própria diminuta gravidade para aos poucos alterar a trajetória da rocha espacial. A isso os cientistas chamaram de trator gravitacional.

Porém, essa técnica é inútil se o alerta ocorrer com menos de um ano de antecedência ou menos. Wie e seus colegas afirmam que armas nucleares são nossa melhor opção e o projeto no qual trabalham é chamado de Veículo Interceptador de Asteroide de Hipervelocidade (HAIV). Essa nave não tripulada seria remessada rumo ao asteroide e na aproximação lançaria um impactor de energia cinética para colidir em alta velocidade com a rocha espacial, abrindo uma cratera.

A bomba nuclear seguiria poucos segundos atrás e seria detonada dentro desse buraco, o que segundo Wie aumentaria a potência destrutiva em 20 vezes, causando um maior impacto no asteroide e possivelmente destruindo-o completamente. É possível que alguns fragmentos ainda caiam na Terra, dependendo da distância onde a explosão da bomba acontecer, porém os danos seriam mínimos. Wie argumenta que um asteroide de 300 m poderia ser neutralizado com um tempo de alerta de somente 30 dias, e simulações de computador apontam que menos de 0,1 % da massa do objeto poderia chegar à Terra.

Vídeo, a onda de choque de uma arma nuclear desviaria um asteroide? Assista abaixo:



Vídeo, um asteroide pode ser desviado?

Infográfico do impacto em Chelyabinsk

O meteoro, o asteróide e as mistificações

Possível origem do meteoro de Chelyabinsk encontrada

Desviar um asteroide pode ser um problema político

Saiba mais:

Livro: UFOs na Rússia

crédito: Revista UFO
UFOs na Rússia
UFOs na Rússia

Este livro oferece revelações espantosas sobre a presença alienígena em um dos países mais fechados do mundo, mantida secreta por décadas a fio, antes pelo comunismo e agora por um rígido sistema de censura. UFOs na Rússia contém informações sobre naves alienígenas observadas e registradas sobre bases áreas e instalações militares secretas, e mostra como uma revoada de UFOs colocou o sistema de defesa aéreo russo sob alerta várias vezes – quase causando uma guerra em 1977.

DVD: Pacote DVDs UFOZ 2013

Já está no ar a Edição 202 da Revista UFO. Aproveite!

Julho de 2013

Ufologia, terreno das possibilidades infinitas