DESTAQUE

Prossegue a intensa atividade nas proximidades da Área 51

Por
06 de Dezembro de 2017
Um F-117 sendo seguido por um F-16, em foto obtida em 14 de novembro último
Créditos: Lazygranch

Os observadores de aeronaves militares, tal como os ufólogos, são atraídos para as atividades secretas que têm sido realizadas na Área 51 e seus arredores. Um dos avistamentos recentes resultou em fotos de um caminhão levando uma aeronave de ataque Lockheed F-117 Nighthawk pela rodovia US-95, ao sul da Base da Força Aérea de Creech, no sul do estado norte-americano de Nevada. As imagens foram feitas em 13 de novembro último e, embora estivesse coberto, o distinto formato do F-117 é claramente identificável. De acordo com sites especializados em aviação existem duas possibilidades: o avião poderia estar sendo levado para um campo de descarte, para ser sucateado, ou então preparado para ser exposto em um museu. Oficialmente o avião, resultado de um dos mais secretos projetos já desenvolvidos nos Estados Unidos, o primeiro com tecnologia stealth ou invisível, foi retirado do serviço ativo em 2008.

Contudo, várias aeronaves do tipo ainda são mantidas em condições de voo e já foram avistadas em ação no Tonopah Test Range, instalação secreta situada ao norte da Base da Força Aérea de Nellis, da qual faz parte a Área 51, e também nesta última. Por sinal, em 14 de novembro, um dia após o avistamento do F-117 no caminhão, outra aeronave do tipo foi fotografada voando ao norte de Rachel, Nevada, acompanhada de um General Dynamics F-16 de dois lugares. Como o F-117 já está ultrapassado diante de novas aeronaves com capacidades stealth que entraram em serviço, como o Lockheed Martin F-22 e o F-35 da mesma empresa, especula-se que o F-117 ainda esteja sendo utilizado para testar métodos de detectar aeronaves com tecnologias stealth, cujo sinal no radar é mínimo. Como aeronaves invisíveis ao radar estão entrando em serviço em outras nações, como Rússia e China, é evidente que os Estados Unidos têm o desejo de se manter um passo à frente da concorrência.

Um fato que parece apontar nesse sentido foi outra imagem, obtida somente horas depois do avistamento do F-117 sendo seguido pelo F-16 biposto. O fotógrafo David Atkinson fez várias fotos de um F-16D, igualmente um biposto, fazendo duas passagens pelo chamado Star Wars Canion. Também conhecido como Jedi Transition, o local fica ao sul da Base de Nellis, próximo ao Vale da Morte, e é muito utilizado para treinamento de voos a baixa altitude, ideais para caças e aeronaves de ataque penetrarem em espaço aéreo defendido. O F-16D carregava um pod Lockheed Martin AN/AAS-42, cujos instrumentos fazem varredura e procura por infravermelho, utilizado por várias aeronaves dos Estados Unidos e da Organização do Tratado do Atlântico Norte (OTAN). A utilização desse instrumento indica que o F-117 está de fato sendo utilizado para treinamento de táticas contra aviões stealth.

crédito: David Atkinson
O F-16D com as insígnias de seus pilotos destacadas
O F-16D com as insígnias de seus pilotos destacadas

DRIBLANDO A TECNOLOGIA STEALTH

O AN/AAS-42 atua no modo passivo, ou seja, não emite sinais por si. Aviões invisíveis ao radar como o próprio F-117, o F-22, F-35 e outros têm uma pequena seção transversal para o radar, aparecendo muito pouco no mecanismo de busca inimigo. Contudo, ainda emitem sinais infravermelhos e um avião pequeno e veloz como o F-16, caso esteja voando com radar desligado e em silêncio de rádio, pode utilizar esses sensores infravermelhos a fim de localizar aeronaves stealth, assim contornando a vantagem representada por essa tecnologia. Outro detalhe interessante da foto obtida por Atkinson é a possibilidade de ver as insígnias nos uniformes dos pilotos, o homem sentado no assento traseiro exibindo a insígnia do 4477º Esquadrão de Testes e Avaliação. Conhecido como Red Hats, esse grupo é formado por pilotos e engenheiros que voam aeronaves estrangeiras, inclusive russas como o Mig-39 e o Su-27P. O piloto no assento dianteiro, por sua vez, porta o símbolo do 53rd TEG Det 3, unidade que substituiu o 4477º em várias atividades. Vale lembrar ainda o caso do tenente-coronel Eric Shultz, de que falamos nos links abaixo e que morreu testando uma aeronave ainda não identificada em setembro último, nas proximidades da Área 51, e que fontes indicam ter sido comandante do esquadrão Red Hats.

crédito: Randy Williams
Montagem de fotos do caminhão transportando o F-117
Montagem de fotos do caminhão transportando o F-117

Confira um vídeo da passagem de caças pelo Jedi Transition

Outro vídeo com voos de treinamento no Star Wars Canion

Piloto sofre acidente fatal nas proximidades da Área 51 pilotando aeronave secreta

Novas informações sobre acidente fatal de piloto nas proximidades da Área 51

Pesquisadores filmam a Área 51 com detalhes inéditos

A linha aérea da Área 51

CIA desenvolveu VANTs na Área 51

Esquadrões agressores da USAF treinam militares para guerra espacial

Saiba mais:

Livro: Quedas de UFOs II

DVD: Revelando os Segredos da Área 51

crédito: Revista UFO
Revelando os Segredos da Área 51
Revelando os Segredos da Área 51

A instalação militar mais secreta e protegida do mundo é, reconhecidamente, a Área 51, que fica no Deserto do Nevada, Estados Unidos. É nela que o governo norte-americano esconde naves extraterrestres acidentadas que consegue resgatar, assim como seus tripulantes, vivos ou mortos. Cientistas das mais diversas especialidades trabalham nos projetos secretos da base, até mesmo naqueles que tentam aproveitar de alguma forma a tecnologia alienígena.

Já está no ar a Edição 161 da Revista UFO. Aproveite!

Janeiro de 2010

Eles estão de volta, e ainda mais desafiadores

UPDATED CACHE