DESTAQUE

Nave Dawn entra em órbita do planeta anão Ceres

Por
06 de Março de 2015
Imagem obtida pela Dawn em 19 de fevereiro, mostrando os dois pontos brilhantes, provavelmente depósitos de gelo
Créditos: NASA

Após uma jornada iniciada em setembro de 2007 e que percorreu até agora 4,9 bilhões de quilômetros, a nave Dawn da NASA fez história no último dia 06 de março, ao tornar-se o primeiro artefato terrestre a visitar um planeta anão. Descoberto em 1801 pelo astrônomo Giuseppe Piazzi, Ceres foi a princípio considerado um planeta, sendo depois reclassificado como asteroide, o maior corpo do cinturão principal situado entre Marte e Júpiter. Em 2006 a União Astronômica Internacional decidiu por enquadrar o astro de 950 km de diâmetro na categoria de planeta anão, tal qual Plutão.

A Dawn orbitou o asteroide Vesta, considerado um protoplaneta, resto da formação do Sistema Solar há 4,5 bilhões de anos, de julho de 2011 a setembro de 2012, obtendo um número imenso de fotos e informações sobre o corpo de 530 km de extensão. Depois, graças a seu sistema de propulsão iônico, saiu de órbita e dirigiu-se para Ceres, sendo a partir de hoje a primeira nave a orbitar dois corpos celestes diferentes. Esses motores aceleram o gás xenônio por campos magnéticos, na prática um foguete elétrico. Seu impulso é muito diminuto porém, podendo funcionar por longos períodos, consegue imprimir grandes velocidades aos veículos onde é instalado.

Durante a aproximação da Dawn um mistério logo surgiu, quando a sonda fotografou, dentro de uma cratera em Ceres, dois pontos muito brilhantes. Um dos fatos surpreendentes é que o brilho naquele local não diminui assim que entra na sombra, devido à rotação de nove horas de Ceres. A NASA tem duas explicações possíveis para o fenômeno, depósitos de gelo, ou então criovulcanismo, uma erupção que expele água, e não lava, semelhante ao que acontece no pólo de Encelado, lua de Saturno. O que se sabe é que a posição dos pontos brilhantes coincide com as medições feitas pelo telescópio espacial Herschel, da Agência Espacial Europeia (ESA), que em 2014 detectou emissões de vapor d´água em algumas regiões do planeta anão.

POSSIBILIDADE DE CERES SER UM MUNDO HABITÁVEL

Sabe-se que a massa de Ceres é composta por 25 a 30 por cento de água, o que tem alimentado especulações de que possa ter possuído, ou ainda tenha, um oceano de água líquida sob sua superfície. Além disso, está situado muito mais próximo do Sol que os outros dois mundos semelhantes, Europa de Júpiter, e Encelado de Saturno. A Dawn passará as próximas semanas manobrando, atingindo em 23 de abril uma altitude de 13.500 km. Será a primeira de quatro órbitas a serem atingidas durante a parte científica da missão, a última das quais a somente 400 km da superfície de Ceres. E 2015 está sendo considerado o ano dos planetas anões, já que em 14 de julho próximo a nave New Horizons, também da NASA, terá um igualmente histórico encontro com Plutão.

Site oficial da missão Dawn

Veja fotos obtidas pela Dawn do asteroide Vesta

Confira um vídeo sobre os motores iônicos da Dawn, narrado por Leonard Nimoy

Confira um infográfico sobre Ceres

Nave Dawn obtém melhores imagens de Ceres

Planeta anão Ceres é candidato a abrigar vida extraterrestre

Começam as observações de Plutão pela New Horizons

Saiba mais:

Livro: Dossiê Cometa

DVD: Pacote NASA: 50 Anos de Exploração Espacial

crédito: Revista UFO
Pacote NASA: 50 Anos de Exploração Espacial
Pacote NASA: 50 Anos de Exploração Espacial

Veja em 50 Anos de Exploração Espacial os momentos mais emocionantes da trajetória da NASA, desde o primeiro homem em órbita até as missões do ônibus espacial. A série contém ainda detalhes do funcionamento de satélites espiões, do desenvolvimento da Estação Espacial Internacional e da implantação do telescópio Hubble. Conheça a verdadeira razão de não voltarmos mais à Lua e descubra que o destino agora é Marte, Vênus, Júpiter e mundos além do Sistema Solar, e quais são os planos da NASA para alcançá-los.

Já está no ar a Edição 212 da Revista UFO. Aproveite!

Junho de 2014

Não é somente aqui na Terra