DESTAQUE

Mais revelações dos arquivos ingleses

Por
10 de Agosto de 2010
UFOs, e talvez alienígenas, antes de 1947, é o que parece apontar a nova liberação do MoD
Créditos: MGM/Stargate SG-1

A mais recente liberação de arquivos do Ministério da Defesa britânico (MoD) tem sido muito comentada nos mais diversos veículos da imprensa, incluindo muitos do Brasil. Entre as mais importantes revelações, a de que o primeiro ministro Winston Churchill teria ordenado o segredo em torno de avistamentos durante a Segunda Guerra Mundial.

Churchill ordenou que o incidente, ocorrido na costa leste da Inglaterra, fosse mantido oculto do público por pelo menos 50 anos, acreditando que poderia causar pânico em massa. Em outro caso arquivado pelo MoD, existe o informe de um homem descrevendo um avistamento em 1995, em Penwith. De acordo com a testemunha, uma aeronave desconhecida teria quase colidido com um avião.

O doutor David Clarke, da Sheffield Hallam University e autor de The UFO Files, afirmou que a maioria dos avistamentos descritos é genuína. Ele negou que houvesse prova conclusiva de visitas alienígenas, mas acrescentou que o MoD tem limitados recursos para investigar e apenas arquivava os informes.

Um dos casos mais surpreendentes é o da escritora Eleanor Kaye, que publicou os livros The Storm Makers e Spooked for Life sob o pseudônimo de Savanah Thorne. Ela afirmou ter avistado um "disco virado ao contrário" cercado por luzes na costa de North Cornish quando criança, em 1926.

Isso obviamente é muito anterior ao avistamento de Kenneth Arnold em 24 de junho de 1947, de onde foi criado por um jornalista o termo disco voador. A senhora Kaye, membro da Sociedade de Autores inglesa, escreveu para a base de St Mawgan da Real Força Aérea (RAF), em 1995, descrevendo seu avistamento e perguntando se outros informes da mesma região haviam sido recebidos.

Na resposta, a RAF disse que permanecia vigilante e investigava qualquer avistamento que pudesse ser uma ameaça em potencial. Ainda acrescenta que o MoD recebera um pequeno número de informes vindos da região de Cornwall, mas nenhum foi motivo de preocupação. Os arquivos ingleses liberados podem ser baixados aqui.