DESTAQUE

Depois de seminário científico de quatro dias, Vaticano admite possibilidade de vida extraterrestre

Por
06 de Junho de 2010
O Vaticano tem seu observatório e, obviamente, astrônomos religiosos de grande experiência
Créditos: O Estado de São Paulo

A semana de estudos promovida pela Pontifícia Academia das Ciências dedicada à astrobiologia, foi inaugurada no Vaticano, matéria com a qual a Academia se associa às manifestações internacionais promovidas em 2009, o Ano da Astronomia, informou a Rádio Vaticano (RV). A Santa Sé levantou a questão da possibilidade de vida inteligente extraterrestre, durante seminário sobre astrobiologia de quatro dias, encerrado em 10 novembro, durante o qual um dos participantes expressou a convicção de que uma tal descoberta estava relativamente próxima. O Padre Chris Impey, astrônomo da Universidade do Arizona, se disse certo de que "em alguns anos, serão encontradas formas de vida no universo, seja no sistema solar ou fora dele". Também destacou que "progressos incríveis foram feitos na pesquisa sobre os planetas". E lembrou: “Foi apenas em 1995 que encontramos o primeiro planeta fora do sistema solar e agora conhecemos mais de 400.”

O diretor do Observatório Vaticano, padre José Funes, declarou que "as perguntas que nos fazemos sobre a origem da vida" e a possível presença "de vida fora do planeta Terra, no universo, são legítimas e merecem uma séria consideração". Em entrevista à imprensa ao final de uma semana de estudos dedicada à astrobiologia, promovida pela Academia Pontifícia para as Ciências e o Observatório do Vaticano, Funes disse que "mesmo se não encontrarmos vida, as pesquisas nos ensinam coisas importantes e úteis sobre nosso mundo" com "implicações filosóficas e teológicas". O debate reuniu, à convite da Academia Pontifical de Ciências, 30 cientistas, astrólogos, biólogos, físicos, geólogos e químicos. Os convidados eram "especialistas em seu campo" e "não lhes pedimos certidão de batismo", disse o padre, preocupado em mostrar a abertura de espírito da Igreja a respeito. Em maio de 2008, Funes havia sido um pouco menos reservado: “acreditar em Deus é compatível com a crença nos extraterrestres”, havia dito, então, considerando mesmo a existência de planetas habitados por seres inteligentes que não teriam cometido o pecado original.