DESTAQUE

Curiosity encontra metano em Marte e busca por vida se amplifica

Por
18 de Dezembro de 2014
O rover Curiosity no panorama da Cratera Gale, onde tem feito importantes descobertas em Marte
Créditos: NASA

Em 2003, a nave Mars Express, da Agência Espacial Europeia (ESA), detectou na atmosfera marciana boa quantidade de metano. Tal gás é extremamente volátil e a pouca gravidade do planeta é insuficiente para impedir que escape para o espaço. A única possibilidade de o metano existir ali seria se estivesse sendo produzido localmente. As explicações possíveis são o escape de depósitos subterrâneos, atividade geológica, ou expelido por seres vivos em Marte.

O mistério se aprofundou, pois outras missões em órbita ou na superfície falharam em detectar o gás. Contudo, em anúncio no último 16 de dezembro, a Agência Espacial Norte-Americana (NASA), anunciou que o rover Curiosity, explorando a imensa Cratera Gale em Marte, detectou metano. Além disso, os instrumentos do robô mediram a concentração de metano na atmosfera, no final de 2013. Ao longo de 60 sóis (um sol é o dia marciano, que mede 24h39), a concentração de metano passou de 0,69 parte por bilhão para 7,2 partes por bilhão. Dez vezes de aumento, portanto, sendo que depois a concentração caiu aos níveis anteriores.

Os dados obtidos em 2003 pela Mars Express também mostraram aumento do metano de forma sazonal. O achado do Curiosity confirma que o gás está sendo produzido no planeta, inclusive na própria Cratera Gale, e a grande questão apresentada é qual sua origem. Os cientistas da NASA já determinaram que o metano não é produto da radiação ultravioleta do Sol sobre compostos orgânicos que caíram em Marte, via meteoritos por exemplo. Não há dúvida, portanto, que o gás é produzido no próprio local. Na Terra a maior parte do metano é produzida por seres vivos, como bactérias que consomem gás carbônico (CO2), e emitem metano.

POSSIBILIDADE CADA VEZ MAIOR DE VIDA EM MARTE

Os cientistas afirmam que mais de um processo pode ser o responsável pelo gás, como sua liberação de depósitos subterrâneos, ou o que chamam de metanogênese, esta última podendo significar vida marciana. O estudo aponta que micróbios alienígenas poderiam ter vivido há muito tempo e produzido o metano, que ficou encerrado em bolsões subterrâneos até ser liberado paulatinamente. Ou até mesmo a vida marciana poderia existir debaixo do solo, produzindo o gás agora detectado pelo Curiosity. Ainda existe a explicação da possível existência do mineral olivina em Marte, que reage com água no processo conhecido como serpentinização e produz metano.

Além disso, a NASA anunciou no dia 17 que em uma perfuração realizada pelo Curiosity na rocha chamada Cumberland, em maio de 2013, vários compostos orgânicos foram detectados. O instrumento Análise de Amostras em Marte (SAM), apontou a existência de clorobenzeno e vários outros compostos de carbono contendo clorina. Esse achado é mais um a comprovar que Marte possuía no passado todos os elementos, água e compostos orgãnicos, para que acontecesse aí a origem e também o crescimento da vida. Os compostos achados, entre os quais também estão o dicloroetano, dicloropropano e diclorobutano, já são bastante complexos, e poderiam ser utilizados por micro-organismos marcianos.

crédito: NASA
A perfuração realizada pelo Curiosity em Cumberland, onde complexos compostos orgânicos foram descobertos
A perfuração realizada pelo Curiosity em Cumberland, onde complexos compostos orgânicos foram descobertos

Os cientistas afirmam que no momento não têm como afirmar se esses compostos foram produzidos por vida marciana. Inclusive, na amostra de Cumberland o Curiosity detectou água e pela medição dos isótopos de hidrogênio nela, os cientistas podem estimar quanto tempo a água que cobriu vastas extensões de Marte demorou a desaparecer. Estima-se que, entre 3,5 e 2,9 bilhões de anos atrás, o planeta já havia perdido muita água, porém restava ainda uma enorme quantidade que ainda duraria por outros bilhões de anos. A NASA espera que as descobertas do Curiosity auxiliem a refinar o projeto do próximo rover, a ser lançado em 2020 com o propósito de procurar por indícios de vida no passado de Marte, e preparar uma série de amostras para serem trazidas à Terra.

Site oficial da missão Curiosity

Assista a um vídeo sobre a descoberta

Infográfico sobre a descoberta de metano em Marte

Galeria de fotos sobre a busca por vida em Marte

Curiosity confirma que cratera marciana era um lago

Curiosity completa um ano marciano em missão

Marte teve condições de abrigar vida

Saiba mais:

Livro: Dossiê Cometa

DVD: Pacote NASA: 50 Anos de Exploração Espacial

crédito: Revista UFO
Pacote NASA: 50 Anos de Exploração Espacial
Pacote NASA: 50 Anos de Exploração Espacial

Veja em 50 Anos de Exploração Espacial os momentos mais emocionantes da trajetória da NASA, desde o primeiro homem em órbita até as missões do ônibus espacial. Reveja o incrível voo de John Glenn na missão Friendship 7, o sucesso da Apollo 11 e os primeiros passos de Neil Armstrong na Lua, as viagens seguintes ao satélite e as operações conjuntas com a nave soviética Soyuz. Conheça a verdadeira razão de não voltarmos mais à Lua e descubra que o destino agora é Marte, Vênus, Júpiter e mundos além do Sistema Solar, e quais são os planos da NASA para alcançá-los.

Já está no ar a Edição 212 da Revista UFO. Aproveite!

Junho de 2014

Não é somente aqui na Terra