Edição 41
DESTAQUE

Casuística em São Paulo Acumula Registros

Por
01 de Dec de 1995
Os irmãos Osvaldo e Eduardo Mondini, ufólogos do Centro de Estudos e Pesquisas Exológicas (CEPEX)
Créditos: Arquivo UFO

A exemplo de várias cidades brasileiras, Santa Bárbara d’Oeste, no interior de São Paulo, tem presenciado nos últimos quatro meses um grande número de aparições ufológicas. Nesse período, cerca de 30 casos de avistamentos e contatos com discos voadores foram registrados pelo Centro de Estudos e Pesquisas Exológicas (CEPEX) e, a cada dia, novos depoimentos chegam ao conhecimento do grupo de estudos ufológicos. Santa Bárbara fica a 160km da capital paulista, numa região onde a principal fonte de renda vem das usinas de açúcar e destilação de álcool, com grandes áreas de plantio e corte de cana.

Dos casos até agora pesquisados, o que mais causou espanto aos moradores da cidade foi o do empresário Edson Roberto Marcelo, de 29 anos. Marcelo conta que na madrugada do dia 24 de setembro trafegava pela rodovia SP 306 que liga Santa Bárbara a Capivari, quando uma luz de brilho intenso se aproximou pelo lado direito da estrada iluminando seu carro. “Senti muito calor e perdi a consciência”, declara. Quando recobrou os sentidos, Marcelo estava a 8km do local onde teria visto a luz. Ao olhar no relógio, percebeu que demorou 40 minutos para fazer o percurso, quando deveria ter gastado somente cinco.

A fantástica onda ufológica que atinge São Paulo teve como epicentro a cidade de Santa Bárbara d’Oeste, onde vários casos de diversos graus foram registrados. Estudiosos do Instituto Nacional de Fenômenos Aéreos (INFA) fizeram análises e extensa avaliação das ocorrências, interrogando dezenas de testemunhas oculares e vítimas. Há fortes indícios de pelo menos um caso de abdução na região, ainda por ser confirmado pelos estudiosos

Os pesquisadores do CEPEX estiveram com a testemunha após sua experiência e puderam ver a expressão de pavor ainda estampada em seu rosto. Além de assustado, Marcelo manifestou reações somáticas ao contato, como irritação nos olhos provocados naturalmente pela intensa luminosidade. No dia seguinte, ele foi levado para a sede do CEPEX, onde novas descobertas foram feitas. A testemunha apresentava duas marcas circulares na altura do pulso esquerdo e uma grande mancha no rosto.

Seus olhos estavam dilatados, inchados e sensíveis à luz. Marcelo ouvia também um zumbido muito forte no ouvido e tinha protuberâncias atrás das orelhas que lhe causavam dores. Estava num estado letárgico, ausente da realidade e muito abalado com o que lhe havia acontecido. O carro também apresentou sinais: o volante parecia ter sido submetido a altas temperaturas, devido às marcas que apresentava.

MISTÉRIOS – Um fato curioso ocorreu quando Marcelo retirou do carro um de seus cartões de visita para entregar a um amigo e encontrou anotado no verso um telefone desconhecido. Ele disse que não se lembrava de ter anotado o número, afirmando que os cartões eram novos e tinham acabado de sair da gráfica. Intrigado, apanhou o telefone e discou o misterioso número. Para sua surpresa, o telefone pertencia a uma tia que morava em Rio das Pedras (cidade localizada a 30km de Santa Bárbara), de quem não tinha notícias há mais de oito anos, tampouco sabia seu número de telefone. Esse misterioso fato fez com que ele ficasse ainda mais intrigado.

Depois de ter relatado à tia o que lhe havia acontecido, Marcelo disse que tinha em sua mente a imagem de uma moça loura, de estatura mediana, pele clara e muito meiga, mas com uma expressão de angústia no rosto. Sua tia, muito impressionada com a história, disse ao contatado que conhecia uma pessoa com tal descrição: era Rosana, uma jovem que morava em Rio das Pedras. Imediatamente, a tia de Marcelo providenciou um encontro entre os dois.

No dia seguinte, pesquisadores do CEPEX acompanharam o encontro e constataram que Marcelo passou a desenvolver telepatia, mas somente em relação a Rosana. O contatado parecia saber tudo sobre a vida da moça, sendo que passou a captar seus sentimentos e anseios. Rosana nunca havia visto Marcelo, mas parecia conhecê-lo há muito tempo. Ela revelou que na noite em que o contatado viu a luz, ela trafegava pela mesma rodovia e começou a sentir uma inexplicável angústia, que só terminou quando conheceu Marcelo.

crédito: Arquivo UFO

BUSCANDO RESPOSTAS – Foram realizadas duas hipnoses em Marcelo pelo psicanalista do CEPEX, o doutor José Antônio de Oliveira. Na primeira tentativa, o contatado entrou em transe facilmente e disse que via uma luz se aproximar, pairando sobre seu carro. Disse ainda que o calor era muito intenso e que não podia definir formas, pois tinha a visão embaraçada. De repente, com um sobressalto, Marcelo voltou à consciência, chegando a saltar do divã. Para o doutor José Antônio, esta reação é comum: “Toda vez que ele se sentir ameaçado, automaticamente recobrará a consciência, como se isso fosse um dispositivo de segurança”.

Numa segunda tentativa de hipnose, Marcelo disse que a luz era muito forte e quente. Começou a transpirar e a ficar ofegante, dizendo que se via fora do veículo, dentro de algo que ele chamou de “estranha coisa sem forma”. Provavelmente, esta era a descrição da nave que o abduziu: “a luz é muito forte, não vejo janelas nem portas, as paredes são lisas, é um lugar estranho, não tem cantos”. Nesse momento da hipnose algo o assustou, fazendo-o levar a mão ao ouvido esquerdo de forma que, novamente num sobressalto, acordou do transe se queixando de um zumbido muito forte na cabeça.

Na sessão de hipnose realizada em 15 de outubro, o contatado revelou estar dentro de uma sala bastante iluminada onde pôde ver figuras humanóides por trás da luz. Notou também que havia no local uma espécie de painel, descrito por ele como um instrumento em forma de meia lua e cor alaranjada. Durante as seções, Marcelo tinha muita dificuldade em se expressar, falava muitas palavras confusas e repetia por várias vezes a frase: “Querer... Saber... Primitivo... Saber... Querer...” Acordava abruptamente, dizendo ter recebido uma ordem em sua mente para que acordasse.

Ao sair de cada transe, ele apresentava fotofobia e exaustão física. Contudo, apesar dos problemas somáticos apresentados, Marcelo parece (pelo menos por enquanto) não ter sido hostilizado pelos seres. Ao contrário, ele dá a impressão de que seus supostos raptores tentavam se comunicar pacificamente. O fato de Marcelo ter tido um bloqueio mental é natural em quem viveu experiências incomuns. O doutor Antônio acredita que esses bloqueios serão superados ao longo das próximas sessões, de forma que o contatado deverá transpor gradativamente as etapas que lhe causaram traumas.

UFO NA RODOVIA – Um outro caso ocorreu mais ou menos na mesma época e localidade da abdução de Marcelo. Na madrugada do dia 29 de setembro, dois patrulheiros da guarda municipal, Klaus e Nascimento, seguiam pela SP 304 para atender a uma ocorrência próxima ao trevo da estrada de Capivari. De repente, avistaram seis luzes fortes e coloridas. Tais luzes pareciam estar a uns 100 metros de distância e a uma altura de dois metros da pista, bailando no ar. Klaus se aproximou uns 50m com a viatura e os objetos passaram a se movimentar em ziguezague, desaparecendo rapidamente no canteiro central. Depois disso, a viatura permaneceu por uns 10 minutos no local e outras foram acionadas, mas nada encontraram.

NOVOS CASOS PESQUISADOS – No dia 30 de setembro, os grupos INFA e GUG realizaram uma vigília nas imediações da Fazenda São Luiz, em Santa Bárbara. O fato de estarem aparecendo discos voadores na região chamou inclusive a atenção da imprensa, de forma que a Rede Globo acompanhou a vigília feita pelos grupos ufológicos. Próximo ao local onde se desenvolveram os trabalhos de campo foram encontradas várias testemunhas do Fenômeno UFO.

crédito: Arquivo UFO
O contatado Marcelo poucos momentos depois da ocorrência
O contatado Marcelo poucos momentos depois da ocorrência

A Região Atingida Pela Onda Apresenta Recorde de Casos


Em uma conversa informal, os membros de uma família que passava pela região, fizeram um interessante relato aos pesquisadores. Viajavam pela estrada que passa por Santa Bárbara e tiveram que parar por causa de um pneu furado. Eles contam que iam da Fazenda Bom Retiro para a cidade vizinha de Monte Mor, sendo que no caminho foram surpreendidos por um grande objeto iluminado. Segundo relataram, o UFO, de grandes proporções, pairou sobre o carro obrigando o motorista a parar o veículo. O fato causou pânico nos passageiros, que optaram por se desviar da rota que seguiam para fugirem do estranho objeto voador.

Já no dia 29 de setembro, a senhora Alice Afonso Soares, mãe de uma das pessoas que estavam no carro, percebeu que os animais estavam muito agitados no quintal e faziam muito barulho. O fato aconteceu na fazenda Bom Retiro, por volta das 20h. Dona Alice saiu para verificar o que estava acontecendo e se surpreendeu ao ver que o quintal estava intensamente iluminado. Olhando para cima, observou um grande objeto vermelho alaranjado que emitia a luminosidade que clareava todo o ambiente. Assustada, recolheu-se em casa e contou o fato à família somente horas mais tarde. Após o contato, dona Alice sentiu sonolência, irritação nos olhos e persistentes dores de cabeça. Esta aparição ufológica também foi testemunhada por outros moradores da região.

OUTRAS REGIÕES ATINGIDAS – Santa Bárbara não foi a única cidade a receber a presença de estranhos visitantes. Os municípios de Rio Claro e Ubá também têm uma casuística parecida. Diversas pessoas têm sido atraídas ao local para ver os UFOs. Contudo, os mais privilegiados são os moradores que, em julho deste ano, puderam presenciar diversas luzes sobrevoando o Morro Pelado e o Morro do Baú. Uma das pessoas que pôde observar esses fenômenos de perto, foi Maria Aparecida Galvão de Miranda, proprietária de um bar.

Ela estava em sua residência quando, por volta das 21h, um amigo veio chamar seu filho para observar estranhas luzes brilhando na serra. Aparecida foi junto com eles, de forma que ela, os meninos e outros moradores testemunharam o fenômeno que vinha das montanhas. A luz fazia evoluções estranhas, ora se dividindo em quatro, ora se juntando novamente em uma única esfera. Continuou nesse bailado por, pelo menos, três horas. As testemunhas ficaram cansadas de tanto olhar para a luz e resolveram voltar para casa.

Aparecida conta que esses fenômenos não são novos: há sete anos teve, inclusive, uma experiência bastante incomum. Era madrugada quando acordou com uma intensa luz que vinha do lado de fora e que iluminava sua janela. Ao olhar no quintal, pôde ver nitidamente as flores de um ipê roxo que tinha plantado caindo no solo, de tão forte eram a luz e a energia emitidas. Ela pensou que se tratava da luz da lua e resolveu voltar para a cama. No dia seguinte, observou o calendário e viu que era fase de lua nova e não de cheia, como a da noite passada – e esse fato a deixou bastante intrigada. Aparecida contou a história a um vigia local, que afirmou ter visto naquela noite uma enorme bola de luz que ficou parada por quase 40 minutos sobre a casa.

crédito: Arquivo UFO
Na página anterior, o contatado Marcelo poucos momentos depois da ocorrência. Ao lado, o patrulheiro Nascimento aponta o local da observação
O patrulheiro Nascimento aponta o local da observação

Outro caso de contato ocorreu em Rio Claro, no final de Agosto, e teve como testemunha o aposentado Onivaldo Podenciano. Ao se levantar às 5h, como de costume, Onivaldo viu um objeto enorme flutuando silenciosamente sobre sua casa. Da posição em que estava, Podenciano calcula que tinha aproximadamente um metro de diâmetro e voava a uma altitude estimada entre 1000 e 1200m. O objeto era de cor avermelhada e soltava raios coloridos em todas as direções. Podenciano ficou tão emocionado com a imagem que teve uma crise de choro ao entrar em casa.

Levantamentos geológicos feitos pelo CEPEX revelaram que a região se formou durante o período glacial, há aproximadamente 400 milhões de anos. Seu solo é formado por rochas sedimentares e a vegetação característica é a do serrado. As cidades que apresentam maior número de aparições ufológicas ficam em uma região de declive, denominada Baola do Paraná, um baixo relevo que vai desde Botucatu até o planalto atlântico. Essas depressões, que também são chamadas de fendas geológicas, formam um cinturão que passa por São Paulo, Minas Gerais, Mato Grosso do Sul, Santa Catarina, Paraná e novamente São Paulo, formando um círculo. Existem três cinturões como esse na América do Sul, os outros dois estão na Bacia Amazônica e no Nordeste (regiões bastante visitadas por naves).

Nova onda ufológica

Já está no ar a Edição 41 da Revista UFO. Aproveite!

Dec de 1995

Fomos visitados