DESTAQUE

Curiosity confirma que cratera marciana era um lago

Por
10 de Dezembro de 2014
A borda da imensa Cratera Gale ao longe, em foto do Curiosity; rover encontrou indícios de que o local era um lago
Créditos: NASA

O rover Curiosity da NASA chegou a Marte em 05 de agosto de 2012 e cumpriu um dos principais objetivos da missão quando anunciado, em 12 de março de 2013, que existem no planeta os elementos essenciais à vida, como oxigênio, hidrogênio, carbono e outros. Neste último 08 de dezembro, em uma conferência de imprensa, cientistas da NASA anunciaram as mais recentes descobertas do robô, que comprovam ter sido a Cratera Gale, local escolhido para a missão, um vasto lago de água líquida há cerca de 3 bilhões de anos.

A Cratera Gale tem 154 km de extensão e o Monte Sharp, praticamente em seu centro, mede 5,5 km. As encostas deste último exibem sinais claros de múltiplas camadas geológicas, que se estudadas podem contar a história da evolução de Marte. Graças às informações colhidas pelas missões orbitais sobre o local, esse foi o alvo da missão Curiosity. O lago deve ter existido por muito tempo, conforme Michael Meyer, líder do Programa de Exploração de Marte da NASA: "Esse lago era grande o suficiente para ter durado milhões de anos, tempo de sobra para a vida ter começado e evoluído, e para os sendimentos no lago terem formado o Monte Sharp".

A formação do Monte Sharp era um mistério antes da missão, contudo o Curiosity descobriu trechos de arenito correndo na direção da montanha. Na Terra locais assim se formam em deltas de rios que desembocam em lagos e os cientistas afirmam que isso é evidência de que o lago da Cratera Gale tinha ao menos vários metros de profundidade. Os depósitos de sedimentos observados pelo Curiosity também mostram terem sido ali depositados ao longo de múltiplos ciclos. O robô também fotografou rochas com marcas compatíveis às feitas por águas calmas, ao longo de muito tempo. John Grotzinger, principal cientista do Curiosity, mencionou também rochas com sinais de sais, deixados pela evaporação da água.

AMBIENTE MUITO FAVORÁVEL À VIDA

crédito: NASA
Concepção artística de como era o lago que preenchia a Cratera Gale
Concepção artística de como era o lago que preenchia a Cratera Gale

Esse tipo de ambiente, conforme mostrado pelos cientistas com base nas descobertas do rover, era formado não somente pelo lago que se manteve por milhões de anos, mas também por correntes de água, canais aluviais e lagos secundários. A água deve ter fluído da borda da cratera para o interior, preenchendo o local e formando assim, camada por camada, o Monte Sharp. As intensas tempestades e o forte vento marciano, por sua vez, erodiram a montanha até seu aspecto atual. Tudo comprova um clima muito mais quente e úmido no passado marciano, exibindo condições favoráveis ao surgimento e evolução de vida no planeta. Encontrar os indícios desses micro-organismos marcianos será o objetivo das próximas missões, entre as quais a Exomar europeia, em 2016 e 2018, e o próximo rover da NASA, em 2020.

Site oficial da missão Curiosity

Confira um vídeo sobre o anúncio

Imagens da missão

Marte teve condições de abrigar vida

Mistério da rocha marciana desvendado

Curiosity completa um ano marciano em missão

Curiosity prossegue sua exploração de Marte

Saiba mais:

Livro: Dossiê Cometa

DVD: Pacote NASA: 50 Anos de Exploração Espacial

crédito: Revista UFO
Pacote NASA: 50 Anos de Exploração Espacial
Pacote NASA: 50 Anos de Exploração Espacial

Veja em 50 Anos de Exploração Espacial os momentos mais emocionantes da trajetória da NASA, desde o primeiro homem em órbita até as missões do ônibus espacial. Reveja o incrível voo de John Glenn na missão Friendship 7, o sucesso da Apollo 11 e os primeiros passos de Neil Armstrong na Lua, as viagens seguintes ao satélite e as operações conjuntas com a nave soviética Soyuz. Conheça a verdadeira razão de não voltarmos mais à Lua e descubra que o destino agora é Marte, Vênus, Júpiter e mundos além do Sistema Solar, e quais são os planos da NASA para alcançá-los.

Já está no ar a Edição 203 da Revista UFO. Aproveite!

Agosto de 2013

O todo é maior do que a soma das partes