ARTIGO

O impressionante teletransporte de Travis Walton

Por Equipe UFO | Edição 131 | 01 de Março de 2007

O lenhador Travis Walton foi arrebatado por um disco voador em uma floresta da região de Snowflake, Arizona. Ele ficou quase uma semana desaparecido, mas teve a sensação de que foram apenas umas horas
Créditos: ARQUIVO UFO

O impressionante teletransporte de Travis Walton

Clássico da Ufologia Mundial, o Caso Travis Walton, ocorrido no fim da tarde de 05 de novembro de 1975, pode ser considerado um dos mais extraordinários episódios de abdução alienígena de que se tem notícia – muitas vezes também definido como teletransporte. Lenhador em Snowflake, Arizona, Walton encerrara às 18h00 a jornada de trabalho e voltava para casa de caminhonete, junto de seis colegas de trabalho: Michael Rogers, Stephen Pierce, Ken Peterson, John Goulete, Duane Smith e Allen Dallis. Todos eram simples lenhadores de uma região rural dos Estados Unidos e não tinham idéia de que algo como o que viriam a testemunhar pudesse ocorrer.

Walton, com 22 anos na época, observou uma estranha luz amarela do lado direito da caminhonete, no meio da floresta. Ele apenas comentou com seus companheiros e todos seguiram viagem. O objeto permaneceu visível e os intrigava. Mais à frente, numa clareira na mata, o grupo viu um enorme objeto voador não identificado em forma de disco emitindo a tal luz. Tinha cerca de 6 m de diâmetro e flutuava no ar a uns 6 a 8 m do solo. O destemido Walton parou a camionete e, mesmo sob protesto dos colegas, que não queriam que saísse do veículo, foi em direção ao objeto. O UFO começou a emitir um ruído alto e a movimentar-se lentamente para os lados, para cima e para baixo. Em pânico, Rogers liderou o grupo nos gritos que pediam que Travis voltasse, mas não adiantou. Como que hipnotizado, o lenhador já se aproximava da parte inferior do objeto.

Jogado para trás — Numa fração de segundos, o disco voador emitiu um feixe de luz esverdeada que atingiu Travis no peito, jogando-o para trás num solavanco. Ele caiu desmaiado, mas a experiência estava apenas começando. Os colegas, achando que Walton estava morto – e com medo que ocorresse o mesmo com eles –, foram embora em disparada. Mas não aconteceu o que temiam e o UFO não perseguiu o veículo, aparentemente mantendo-se no mesmo lugar onde estava. Achando que tinha sido errado abandonar o companheiro, todos decidiram dar a volta e retornar para buscar o lenhador, mas já não o encontraram mais. O objeto não identificado também havia desaparecido.

Os lenhadores prestaram queixa do desaparecimento de Walton na delegacia do condado de Navajo, sendo atendidos pelo delegado Chuck Allison. O policial foi ao local do ocorrido, mas não encontrou absolutamente nada. Estranhando a história contada pelos rapazes, e considerando que Walton não retornara nem seu corpo fora encontrado, no dia seguinte os trabalhadores passaram a ser suspeitos de seu assassinato. Ninguém em Snowflake acreditava na história contada por eles e a polícia passou a considerar a hipótese de que tinham matado Walton e escondido o corpo. Para a polícia, a história do ataque por um UFO seria apenas um disfarce. Assim, o corpo de Walton foi procurado incessantemente nos dias seguintes, sem que se encontrasse qualquer vestígio.

Seus colegas foram submetidos pela polícia a testes com um detector de mentiras, e todos passaram com excelência. O caso começou a mostrar-se cada vez mais complexo e indissolúvel, pois, sem um cadáver, e tendo os suspeitos passado no exame, como provar a culpa por eventual assassinato? A história dos lenhadores passou a ser levada a sério por toda a comunidade. Mas, em 11 de novembro – seis dias depois do desaparecimento – o irmão de Walton recebeu uma ligação telefônica em que reconheceu a voz do sumido do outro lado da linha. Ele pediu para que fossem buscá-lo num posto de gasolina e Walton é encontrado no chão de uma cabine telefônica, à 80 km de Snowflake e mais de 100 km de onde desaparecera. Tinha visíveis sinais de esgotamento nervoso e desidratação, além de náuseas, tontura, falta de ar, dor de cabeça e estava completamente desorientado. Mas o mais extraordinário é que Walton não acreditava que tinha sumido por vários dias – para ele, tinha se passado apenas algumas horas desde que foi atingido pelo UFO.

“Pareciam fetos” — Submetido a sessões de hipnose regressiva, Walton reviveu a experiência e a narrou detalhadamente. Disse que, quando foi atingido pelo feixe de luz do UFO, tudo escureceu. Mas quando abriu os olhos, estava numa espécie de mesa em uma sala bastante iluminada, tendo ao seu lado seres de aparência horrenda e baixa estatura, além de grandes olhos negros. “Suas faces não tinham cor e suas testas eram inchadas”, descreveu o abduzido – ou teletransportado. “Seus dedos eram longos e não tinham unhas. Pareciam fetos, mas eram bem mais desenvolvidos que os humanos”. Nos seis dias terrestres que passou a bordo da nave alienígena – apenas algumas horas no tempo de seus abdutores – Walton viveu uma série de experiências e exames, alguns dolorosos. E acabou finalmente sendo devolvido à Terra e à sua família, reaparecendo no posto de gasolina com uma história assombrosa que chocou o mundo.

Para continuar lendo este artigo, você deve se cadastrar no Portal UFO. O cadastramento é gratuito e dá acesso a todo o conteúdo do site.

Login

Compartilhe esse artigo:

Sobre o Autor

Equipe UFO

Comentários