DESTAQUE

Vida em Marte? A NASA está a caminho da resposta

Por
03 de Junho de 2020
Seres humanos em Marte
Créditos: Time Magazine

Após muitas idas e vindas envolvendo orçamentos e até a pandemia do novo coronavírus,  a NASA finalmente se prepara para lançar, em julho deste ano, a Missão Perseverance, em direção a Marte. Depois dela, nada mais será igual.

 Muitos filmes de ficção científica ao longo das décadas nos mostraram versões fictícias de Marte que incluem desde ventos com força de furacão até plantas devoradoras de seres humanos.

A verdade sobre a superfície marciana pode não ser tão dramática, mas é igualmente emocionante, se não mais, porque é real. E com a missão Mars 2020 da NASA programada para ser lançada nomeio do ano, estamos à beira de ainda mais descobertas.

Até agora, graças a uma década de pesquisa proporcionada pelo rover Curiosity da NASA , aprendemos que possiveis lagos, rios, córregos e oceanos ??que aparecem ao longo de eras fazem parte da história geológica de Marte. Embora sua época de corpos d'água ativos tenha terminado há mais de três bilhões de anos, o significado de sua existência passada não se perde para aqueles que estudam a geologia de Marte.

 
Concepção do rover Perseverance em Marte.  Crédito: NASA

Afinal, corpos ativos de água doce nos dizem que Marte costumava ser habitável. Esse conhecimento nos assombra por que, até agora, não vimos nenhuma evidência clara de vida por lá, nem mesmo um vírus. Mas se Marte já foi habitável, não teria abrigado vida? 

Objetivamente falando, não sabemos, mas agora a NASA está pronta para dar o próximo passo para responder a essa pergunta, com o lançamento de outro veículo espacial, o Perseverance.

 

Perseverança é a chave


Montagem e teste dos equipamento da missão Mars 2020
Crédito: NASA

O objetivo do novo rover é coletar amostras que futuramente serão trazidas à Terra. Toda vez que um veículo espacial vai para Marte, ele fica lá, sem nenhuma maneira de voar de volta para casa. Portanto, nunca trouxemos amostras de rocha ou solo de Marte. Esta missão propõe mudar isso. 

De acordo com o conceito atual, o processo necessitaria de três naves especiais diferentes: a perseverance começa coletando as amostras por um período de vários anos, uma segunda missão pousa em Marte com um foguete que laçaria as amostras em órbita em torno de Marte e um terceiro retiraria as amostras da órbita baixa de Marte, e voltaria para Terra. 

Essas amostras nos contarão mais sobre a história geológica de Marte do que qualquer coisa que aprendemos atualmente, o que já é muito. Desde 2012, o rover Curiosity percorreu muitos quilômetros, fazendo observações ao longo do caminho com seus 10 instrumentos. 

Um deles, o instrumento a laser ChemCam, tem pesquisado rochas, estudando sua composição química e nos dizendo a natureza do grande lago que existia perto do equador de Marte. 

 

A mensagem das rochas


Rover Curiosity explorando as rochas marcianas,  Credito: NASA

Esse instrumento é comandado alternadamente, na Terra, pelo laboratório de Los Alamos, no Novo México, e pela Agência Espacial Francesa, em Toulouse, como uma parceria entre o Laboratório Nacional de Los Alamos e o centro de pesquisa da França. 

Toda semana, as operações mudam de mãos entre os dois lugares. Juntas, as equipes da ChemCam publicaram quase 100 artigos científicos sobre suas descobertas em mais de 750.000 escaneamentos a laser. Outros instrumentos estudam a mineralogia de Marte e seus padrões climáticos.

Além disso, graças aos dados do instrumento de análise de amostras de Marte (SAM), do Curiosity, sabemos que Marte realmente possui moléculas orgânicas, definidas como moléculas que contêm carbono e hidrogênio, e às vezes oxigênio, nitrogênio ou outros elementos. 

Isso é empolgante porque as moléculas orgânicas formam nosso próprio corpo,  mas também podem ser produzidas por processos não vivos. E assim a trama se complica: os orgânicos que vemos em Marte se originam da vida ou não? 

Até agora, os materiais orgânicos marcianos incluem moléculas de cadeia longa com até 12 átomos de carbono. Isso é mais complexo do que esperávamos encontrar em uma superfície cheia de radiação como é a de Marte. E é exatamente por isso que queremos coletar as amostras mais interessantes e trazê-las de volta à Terra. 

 

Instrumentos sofisticados


O rover Perseverance sendo equipado com instrumentos tecnologicamente sofisticados
Crédito: Nasa

Os instrumentos robóticos que enviamos para esses destinos distantes tornaram-se mais avançados ao longo das décadas, mas não podem se equiparar aos incríveis instrumentos de laboratório que temos à nossa disposição na Terra. Esperamos descobrir muito mais sobre Marte quando recebermos amostras da missão Mars 2020.

Os primeiros trabalhos de design já começaram na espaçonave para a jornada de retorno de amostras de Marte. Enquanto isso, a perseverance vai encontrar as amostras. 

A perseverance agora está na Flórida, e a equipe está preparando a espaçonave para o lançamento. A NASA conseguiu continuar com segurança esses preparativos durante a pandemia. 

Terra e Marte estão caminhando para uma espécie de reunião, uma aproximação de cerca de 63 milhões de quilômetros. É o momento perfeito para enviar a próxima missão ao Planeta Vermelho. 

A janela de lançamento, que são os dias em que a missão pode começar sua jornada entre os dois planetas, se abre em 17 de julho. Depois disso, aguardamos ansiosamente o dia 18 de fevereiro de 2021, a data do desembarque. Um longo período de exploração e descoberta se seguirá, e nós seguiremos tudo som atenção máxima, aprendendo sempre.

 

Fonte: Space. com  

Já está no ar a Edição 270 da Revista UFO. Aproveite!

Julho de 2019

Anunnaki: Aqueles que do céu desceram à Terra