DESTAQUE

Viagens no tempo: conheça o cientista que tenta alcançá-las

Por
18 de Março de 2020
Einstein e as viagens no tempo
Créditos: Superinteressante

Nós já lemos sobre a possibilidade de os extraterrestres serem, na verdade, humanos do futuro que vêm até diferentes épocas de nossa história com os mais diferentes propósitos. Estamos perto de conseguir fazer o mesmo?

 

Todos já sentimos vontade de viajar no tempo, seja para visitar nosso passado ou para conhecer nosso futuro. Em termos de pesquisa científica, essas viagens possibilitariam que série de descobertas e que poderiam nos ajudar a mudar nosso presente e conhecer de verdade a nossa história

Isso é justamente o que muitos alegam que os humanos do futuro distante estão fazendo, voltando no tempo para estudos e até para intervenção, tentando modificar algo de sua própria época.

Bem, para nós isso ainda é impossível. Ou talvez não seja. 

 
Cena do filme De Volta Para o Futuro [1985]. Crédito: CNN

Há cientistas que atualmente tentam realizar o sonho de voltar o relógio. Entre eles está Ron Mallett, um astrofísico que tem dedicado grande parte de sua vida adulta à ideia de que viajar pelo tempo é possível.

Mallett desenvolveu as equações e princípios científicos segundo os quais diz que seria possível criar uma máquina do tempo. 

 Embora tenha consciência de que é pouco provável que suas teorias e projetos permitam viajar pelo tempo no curso de sua própria vida, ele vem há anos trabalhando em paralelo com sua respeitável carreira acadêmica, para realizar o sonho de se aventurar a voltar no tempo. Ele quer voltar a ver seu amado pai. 

 

Uma motivação pessoal

 
O professor Ron Mallet e sua equação para a viagem no tempo. 
Crédito: CNN

Mallett tinha 10 anos quando o pai morreu de repente de um ataque cardíaco, um acontecimento que o cientista diz ter mudado o rumo de sua vida para sempre. 

  O pai, que era técnico de TV, lhe ensinou o amor pela leitura e encorajou sua crescente paixão pela ciência. E, cerca de um ano após a morte do genitor, Mallett encontrou uma versão ilustrada do romance clássico de ficção científica A Máquina do Tempo, de H. G. Well, publicado originalmente em 1895. O livro mudou sua vida. 

 Agora, 60 anos depois, o Mallet de 74 anos é professor de física na Universidade de Connecticut. Passou sua carreira pesquisando buracos negros e relatividade geral — as teorias sobre espaço, tempo e gravidade notoriamente exploradas por Albert Einstein. 

 Ele também vem teorizando sobre viagens no tempo e no decorrer de suas teorias, acabou embarcando em sua própria jornada pessoal: uma busca complexa e muitas vezes controversa para construir uma máquina capaz de visitar o passado. 

 

A ciência e o sonho

 
Cena do filme Interstellar [2014]. Crédito CNN

O aspecto pessoal do trabalho de Mallett é profundamente tocante, mas quão plausível é a ciência por trás de suas ideias?  Segundo ele, tudo se conecta com a teoria especial de Einstein sobre a relatividade e com a teoria da relatividade geral. 

"Em resumo, Einstein disse que o tempo pode ser afetado pela velocidade", explica o cientista. A teoria da relatividade geral de Einstein baseia-se no conceito da gravidade — e considera como o tempo é afetado por ela. 

A teoria da relatividade geral de Einstein diz que o que chamamos de força da gravidade não é, de modo alguma uma força, o dobramento do espaço por um objeto massivo. 

"Na teoria de Einstein, o que chamamos de espaço também envolve o tempo, é por isso que é chamado de espaço-tempo. O que quer que você faça com o espaço também acontece com o tempo", explica Mallet. 

O cientista postula que ao distorcer o tempo em voltas, seria possível viajar do futuro para o passado, e depois de volta ao futuro. E essa é a ideia de uma fenda espacial, um tipo de túnel com duas aberturas. 

E, ainda mais, Mallett sugere que a luz também poderia ser usada para afetar o tempo, por meio de algo chamado de anel de laser. 

 

Um longo caminho à frente

 
Concepção de um buraco de minhoca

Ele criou um protótipo ilustrando como lasers poderiam ser usados para criar um feixe de luz circundante que distorce o espaço e o tempo — inspirado em seu primeiro trabalho fazendo experimentos com o efeito do laser em motores de jatos. 

"No final, meu conhecimento sobre lasers acabou me ajudando a fazer uma descoberta ao entender como chegar a uma maneira totalmente nova para a base de uma máquina do tempo", explica. 

"Estudar o tipo de campo gravitacional que foi produzido por um anel de laser poderia levar a uma nova maneira de contemplar a possibilidade de uma máquina do tempo baseada em um feixe de luz circundante". 

Mallett também tem uma equação teórica que, segundo ele, prova que isto poderia funcionar. 

"Em algum momento, um feixe circundante de luzes de laser poderia atuar como um tipo de máquina do tempo e causar uma distorção do tempo que permitiria que você voltasse ao passado", afirma. 

Fonte: CNN

Assista a um video sobre o assunto:

Já está no ar a Edição 273 da Revista UFO. Aproveite!

Outubro de 2019

Portais Dimensionais