DESTAQUE

UFOs Tic Tac datam dos anos 50 e podem causar queimadura radioativa e até lapso de tempo

Por
11 de Novembro de 2021
Elizondo, como sempre, traz relatos impressionantes sobre UFOs, mesmo que a conta-gotas.
Créditos: Roger Kisby

O ex-oficial de inteligência do Pentágono, Luis Elizondo, diz que viu relatórios oficiais que correspondem à descrição do inexplicável “UFO Tic Tac”, que datam de mais de 70 anos. Ele também revela que há pilotos que sofreram queimaduras radioativas e até presenciaram lapsos de tempo.

O governo dos Estados Unidos admitiu que os vídeos de “fenômenos aéreos não identificados” registrados pela Marinha e postados online são genuínos. Mas exatamente quem ou o que está por trás desses incidentes bizarros permanece um mistério. Luis Elizondo, o ex-oficial de inteligência do Pentágono encarregado de investigar os encontros da Marinha dos Estados Unidos com aquelas aeronaves “impossíveis”, fez um recente comentário curioso.

A partir de 2007, Elizondo liderou o Programa Avançado de Identificação de Ameaças Aeroespaciais do Pentágono, que foi criado para investigar fenômenos aéreos não identificados (UAPs), o termo que fontes militares preferem ao invés de “UFOs”. Ele diz que tem certeza de que os notórios “UFOs Tic Tac” encontrados pelos pilotos baseados no USS Nimitz não foram construídos por nenhuma potência terrestre.

Os UFOs se assemelham a enormes balas Tic Tac brancos. Sua evidência, diz ele, é uma série de relatórios oficiais do governo dos Estados Unidos descrevendo UFOs idênticos que datam de cerca de 70 anos. Ele disse à GQ Magazine: “Tenho em minha posse a documentação oficial do governo dos Estados Unidos que descreve exatamente o mesmo veículo que agora chamamos de Tic Tac, no início dos anos 50 e 60.”


Pilotos de caça relataram queimaduras de radiação por voarem perto demais de UFOs. Alguns inclusive vivenciaram lapsos de tempo.
Fonte: Ian Hitchcock

Ele diz que as naves, sejam elas o que forem, estão muito à frente da tecnologia moderna, quanto mais as máquinas voadoras da era da Guerra Fria. Ele disse: “Para alguns países, terem desenvolvido tecnologia hipersônica, aceleração instantânea e basicamente viagens aéreas e marítimas no início dos anos 50 era absolutamente absurdo. Os pilotos são observadores treinados. Eles são treinados para identificar a silhueta de uma aeronave a 30Km de distância – um SU-22, um Tornado europeu, um Harrier ou mesmo um F-16 – e, literalmente, em um momento de surpresa, conseguem identificar se é amigo ou inimigo e derrubá-lo.”

“O que eles estão relatando não se encaixa em nenhum tipo de parâmetro de qualquer tipo de aeronave convencional que conhecemos.” Ele diz que esses objetos desafiam a identificação e “(...) estão se comportando de uma maneira muito peculiar.” Elizondo explica: “Por exemplo, você tem um objeto que está em altitude, indo a 120 nós contra o vento, que está girando a 90 graus sem perder altitude. Qualquer pessoa que entenda de aerodinâmica, quando você está pilotando uma aeronave e faz uma curva de 90 graus, você perde a sustentação, a menos que esteja em uma inclinação acentuada. O que torna esses vídeos mais atraentes não é tanto o que você vê, mas o que você não vê.”

Ele acrescenta que conversou com pilotos militares dos Estados Unidos que sofreram queimaduras de radiação depois de voarem muito perto dos misteriosos UFOs. Outro piloto disse a ele: “É realmente bizarro. Parecia que eu estava lá por apenas cinco minutos, mas quando olhei para meu relógio 30 minutos se passaram, mas eu usei apenas cinco minutos de combustível. Como isso é possível?” Elizondo tem certeza de que os UFOs são de além deste planeta, possivelmente além desta dimensão.

Fonte

Já está no ar a Edição 285 da Revista UFO. Aproveite!

Junho de 2021

Quando eles são hostis aos humanos