DESTAQUE

Ufólogos veem em Donald Trump um bom caminho para revelar mais segredos após o lançamento dos vídeos

Por
07 de Maio de 2020
Casa Branca, sede do governo dos Estados Unidos
Créditos: Trip Savvy

Muitos ufólogos embarcaram na campanha presidencial de Hillary Clinton, há quatro anos, crentes de que, se eleita, ela liberaria informações sobre UFOs. Ninguém poderia imaginar que esse movimento viria do candidato conservador. Mas nós estamos falando do inusitado Donald Trump, então tudo é possível.

 

A inesperada decisão de Donald Trump na semana passada de divulgar imagens impressionantes mostrando encontros de pilotos militares com objetos inexplicáveis criou uma onda de impulso sem precedentes nos Estados Unidos, que poderia finalmente quebrar a represa de informação que vem sendo acumulada por décadas.

A Casa Branca tem, historicamente,  mantido a boca fechada sobre o assunto, exceto pela declaração de Trump sobre a liberação das imagens feitas pela Marinha como um "vídeo incrível", mas o Pentágono mudou o debate nacional ao apresentar os vídeos usando os canais oficiais do governo. 

Essa decisão, dizem os especialistas, deve terminar de uma vez por todas com qualquer debate sobre a existência de UFOs, e deve alimentar questões mais profundas sobre exatamente o que o governo sabe, e que outras interações com esses objetos podem estar enterradas nos arquivos do Pentágono e da Agência de Inteligência de Defesa (DIA).

Eles argumentam que o presidente Trump poderia perfeitamente agarrar essa oportunidade, mas apenas se ele estiver disposto a se aprofundar e comprometer todo o peso do governo federal a encontrar respostas.


Mark Rodeghier Crédito: Dailymotion

“Quero que o presidente ou um líder nacional veja vídeos de algo desconhecido em nosso próprio espaço aéreo e diga: 'Isso é bem interessante?' Não. Quero que o presidente diga: 'Isso é um problema. Isso é algo que deve ser investigado '', disse Mark Rodeghier , diretor científico do Centro para Estudos de UFOS (CUFOS), um famoso grupo de pesquisa. 

“Não porque são alienígenas - embora possa ser -, mas por causa do que aconteceu. Nossos pilotos não conseguem decifrar”, acrescentou Rodeghier.

De fato, os três vídeos lançados oficialmente na semana passada mostram pilotos militares rastreando objetos no céu, se movendo em velocidades incrivelmente rápidas e, pelo menos em um exemplo, virando de ponta cabeça enquanto se movia contra o vento.

As imagens surpreendentes provavelmente foram objeto de intensas investigações militares, mas oficiais do Departamento de Defesa disseram na semana passada apenas que o objeto visto nos vídeos permanece como "não identificado".

 

Presidentes e UFOs

 
Barak Obama no programa de Jimmy Kimmel, falando sobre UFOs
Crédito: Hollywood Report

Para pesquisadores e entusiastas, o reconhecimento público e a divulgação dessas imagens podem parecer muito menos prováveis ??sob a presidência de Trump. Muitos na comunidade estavam otimistas sobre Hillary Clinton, que se eleita, seria a comandante em chefe que finalmente abriria o cofre do governo sobre os UFOs.

Havia muitas razões para esse otimismo. Para começar, o marido de Clinton, o ex-presidente Bill Clinton, teve muito interesse no assunto durante seu período no cargo, e se esperava que ele divulgasse alguma coisa, o que não aconteceu.

Os Clintons também compartilham uma profunda conexão com o consultor político John Podesta, um notável entusiasta dos UFOs, que há décadas pede que governo seja mais aberto sobre o assunto. Podesta atuou como chefe de gabinete de Clinton e foi presidente da campanha de Hillary.

Durante sua corrida contra Trump , ela prometeu "abrir os arquivos o máximo que pudermos" e dar ao público mais informações.

"Quero ver o que as informações mostram", disse ela em uma entrevista de rádio em 2016. "Há histórias suficientes por aí, que não acho que todo mundo que as relata esteja sentado na cozinha inventando coisas".

Outros presidentes também tiveram um grande interesse no assunto. O ex-presidente Jimmy Carter disse que viu um disco voador, em 1969, enquanto servia como governador da Geórgia.


Jimmy Carter, com 95 anos.  Crédito: Revista Exame

Seu relatório oficial sobre o incidente dizia que "o objeto pairava a cerca de 30 graus acima do horizonte e se movia em direção à Terra e para longe, antes de desaparecer à distância".

Como Clinton, Carter, durante sua campanha presidencial de 1976, prometeu divulgar informações adicionais sobre assunto para, embora ele não tenha seguido o caminho que os pesquisadores esperavam.

O presidente Obama mostrou publicamente pouco interesse pelo assunto. Em uma entrevista de 2015, com o apresentador de TV Jimmy Kimmel, ele zombou da noção de usar seu poder como comandante em chefe para cavar informações sobre UFOs e o famoso centro de pesquisa do governo da Área 51.

"Os alienígenas não deixarão que isso aconteça. Você revelaria todos os segredos deles. Eles exercem controle estrito sobre nós”, brincou Obama.

 

Oportunidade para Trump


Donald Trump.  Crédito: UOL

Os pesquisadores dizem que é chegada a hora de uma mudança radical na abordagem do governo e estão pedindo ao presidente que lidere a iniciativa.

“É hora de abrir a discussão sobre quem são esses seres, de onde eles são e por que eles estão aqui. Talvez, ao fazer isso, possamos descobrir quem somos, de onde somos e por que estamos aqui”, disse Jan Harzan, diretor executivo da MUFON, o maior grupo de pesquisa e investigação do mundo.

Embora os ex-presidentes ou não tenham cumprido seus planos de extrair informações ou simplesmente tenham perdido o interesse no assunto, há esperança de que Trump possa provar ser a exceção. 

Para começar, o presidente demonstrou uma vontade sem precedentes de reverter a comunidade de Inteligência dos Estados Unidos e, dado seu estilo combativo e o refrão comum de que o “estado profundo” está prejudicando o público americano, ele parece ser capaz de ir direto ao ponto.

Em outros assuntos delicados, Trump demonstrou algum desejo de revelar segredos de longa data do governo.

Em 2017, o presidente se gabou de que finalmente divulgaria informações classificadas sobre o assassinato do presidente Kennedy, em 1963.

“Sujeito ao recebimento de mais informações, como presidente permitirei que os arquivos JFK bloqueados e classificados por muito tempo sejam abertos”, ele twittou ele em outubro de 2017”.

Trump, no entanto, manteve algumas dessas informações ocultas. O presidente disse que concluiu que alguns documentos representam uma ameaça "de tanta gravidade" à segurança nacional do país, que qualquer benefício de divulgação pública foi superado.


Os arquivos ligados os UFOs ameçam a segurança nacional?
Crédito da imagem: USA Today

E ele poderia encontrar problemas semelhantes, se ele decidir aprofundar os dados sobre UFOs retidos pelo governo. Seriam necessárias ordens presidenciais diretas, segundo o Pentágono ou qualquer outro braço do governo federal, para informar o presidente de todos os dados que estão ocultos, em arquivos classificados.

"Na prática, se você é o presidente e diz, sobre o assunto que for, 'Quero ver o relatório', há uma série de mecanismos que se movimentam, em camadas, para que isso aconteça. E essas camadas, em algum momento, podem decidir que a resposta será não”,  disse Rodeghier

A Casa Branca não respondeu a um pedido de comentário sobre se o presidente pretende pressionar por mais divulgação pública sobre o assunto.

Trump fez seus únicos comentários públicos sobre UFOs na semana passada em uma entrevista à Reuters. Quando ele foi questionado sobre a filmagem, respondeu: "Só me pergunto se é real. Aquele é um vídeo incrível!".

 Fonte:  Washington Times 

Assista, abaixo, um video sobre o assunto:

Já está no ar a Edição 266 da Revista UFO. Aproveite!

Março de 2019

Fomos visitados