DESTAQUE

Ufólogos estarão em pesquisa no Estado do Pará neste início de janeiro

Por
02 de Janeiro de 2011
Paulo Anibal [E] com testemunha ufológica durante viagem anterior
Créditos: Arquivo UFO

Avistamentos de UFOs na região de Santo Antônio do Tauá, Belém, Vigia, Ilha de Colares e a Ilha de Marajó serão a meta da mais recente pesquisa de campo do grupo EXO-X em apuração de indícios materiais da atuação do Fenômeno UFO que está se manifestando no Pará.

O ufólogo Paulo Anibal, consultor da Revista UFO e dirigente do EXO-X, já esteve no Estado em outra oportunidade e testemunhou pessoalmente a rica e diversificada casuística regional. Ele vai comandar esta nova investida em toda área.

"Vamos fazer um verdadeiro
"CSI ufológico" nos locais em que ocorreram os casos, na intenção de coletar evidências", disse Anibal. "Estaremos também em Colares, bela ilha com área aproximada de 250 km², separada do continente pelo canal denominado Furo da Laura. Ela está localizada na margem oriental da Baía do Marajó e distante cerca de 94 km da capital, Belém", discorreu.

Recentemente, este paraíso insular foi palco de observações de UFOs e manifestações em vôo, incluindo um possível caso de pouso que os pesquisadores irão investigar [Mapa disponível clicando aqui].

No passado, mais precisamente ano de 1977, estas localidades tiveram maior incidência de relatos de objetos luminosos que ficaram popularmente conhecidos por Chupa-Chupa. Tais ocorrências ininterruptas e agressivas à populares desencadearam uma operação sigilosa realizada por oficiais da Força Aérea, recebendo o codinome Operação Prato [Veja edições UFO 114, 115, 116 e 117, como também os documentos oficias da OP, prontos para baixar em http://ufo.com.br/documentos/].

Em Colares estão previstas três investigações de campo e duas vigílias noturnas, nas praias de Machadinho e Humaitá. Conversarão com moradores, entre eles o Sr. Raimundo, que viu um UFO pousado na praia de Humaitá.

Entre alguns relatos interessantes, há o do Sr. Rodrigues. "Por volta de 01h00 da manhã vi uma enorme nuvem de cor rosa, ela projetava uma luz da mesma cor que cobria toda a praia, naquele momento dava para ver em detalhes toda estrutura do farol como se via durante o dia, sendo que normalmente só dava para ver a luz que ele emitia por ser escuridão total". Continuando, "...sairam dessa nuvem alguns objetos redondos, um verde claro, um marrom e outro era branco que faziam uma volta em vôo no céu e retornavam para mesma nuvem...o fato durou bastante tempo".

Outra narração relevante é de Claudinha, que morava na mesma região em 2002 e, num final de tarde, ao sair de casa para ir até a praia, observou quatro pessoas sentadas em volta de uma mesa oval e mais cinco estranhos homens de pé de mãos dadas em volta dos mesmos, porém os que estavam de pé portavam botas e capacetes e todos, através do tal capacete, projetavam luzes azuis para a mesa.

Há outros mistérios que viraram lendas, como nas regiões conhecidas como Buraco da Laura, Ponta da Laura e Igarapé da Laura, que são visitadas por uma entidade feminina chamada de Laura e sempre aparece mas margens dos rios e igarapés.

"São aparições de uma mulher totalmente de branco, no interior de uma luz também branca, que dava medo nas pessoas, mas ela dizia na cabeça nas mesmas que vinha em paz...é uma alma penada", citam os relatos de pescadores e pessoas que a presenciaram andando à noite.

Outros tempos, narrações semelhantes

crédito: Paulo Anibal
Fotos realizadas durante a Operação Prato, captadas por militares da Aeronéutica
Fotos realizadas durante a Operação Prato, captadas por militares da Aeronáutica

Mais uma lenda comum é o caso da Matinta Pereira, igualmente uma entidade feminina que emite um assobio assustador - agudo, ligeiramente metálico e prolongado - que ressoa durante a noite. Acreditam ser uma bruxa e outros a viam na forma de uma estranha bola de luz. São fenômenos luminosos que aparentemente estariam relacionados aos UFOs.

Geograficamente, Colares limita-se ao norte com a Baía doe Marajó, ao sul com o município de Santo Antônio do Tauá, à leste com Vigia e a oeste com a Baía do Sol – todas com casuística de observações, com picos extremos na época do Chupa-Chupa.

Tais objetos estranhos voavam em baixa altitude, a poucos metros do solo e até em cima da copa das árvores. Muito luminosos à noite e pequeno tamanho (em média 1,5 m), de aparência esférica, certos moradores os comparavam com o formato de um animal comum na região, a "Arraia de Fogo".

No depoimento do Sr. Raimundo N. Barbosa (outubro de 1977) nas imediações do rio Bituba, ele fora atingido por um foco de luz de cor azul – comparou com o de uma lanterna -, ocasionando-lhe forte dor de cabeça, tremor no corpo e entorpecimento na área atingida pelo feixe.

Na maioria dos relatos, o contato do tal foco de luz ocasionava um tipo de “choque elétrico” e até dor, logo em seguida ocorria uma semi-paralisia (amortecimento) que se propagava dos pés à cabeça, um calor progressivo, calafrios e rouquidão. Em muitos casos, essa dormência durava alguns dias.

Através desse "procedimento", tal fenômeno sugava-lhes algo (supostamente sangue) e deixava uma marca circular de queimadura ou de cor roxa no local da “picada”. Um ótimo exemplo desse fato é o ocorrido em 18 de outubro de 1977 por volta das 23h00 com a Sra Claudiomira Rodrigues da Paixão, 35 anos na época, estando na documentação da Operação Prato (parte informativa).

crédito: Henrique Costa
Fotos recentes eviadas do Pará para a pesquisadora mexicana Ana Luisa Cid. Henrique Costa conseguiu as fotos com um amigo que trabalha num dos jornais da região
Fotos recentes enviadas do Pará para a pesquisadora mexicana Ana Luisa Cid. Henrique Costa conseguiu as fotos com um amigo que trabalha num dos jornais da região

"Ouvida pelo Sr. Chefe da 2ª seção disse que estava acordada, deitada em uma rede e em sua companhia estava uma senhora e seus filhos. Que pressentiu uma luminosidade (a luz da cidade havia apagado às 22h00) que percorreu todo o seu corpo (como uma lanterna) fixando-se no seio esquerdo, sugando-o, desceu após para sua mão direita, ocasião em que sentiu como se fosse picada por agulhas. Gritou por socorro, sem ser atendida, sua voz ficou presa na garganta, seu corpo ficou semi- paralisado. O ambiente, totalmente iluminado por luz esverdeada. Sentiu estranho torpor e foi despertada pela voz de sua acompanhante, que chamava atenção de uma das crianças dizendo que já estava estragada, pois o "bicho" a tinha chupado. Disse ter sentido grande calor localizado no seio esquerdo e dor aguda no dorso da mão direita, dor de cabeça e amortecimento no lado esquerdo do tórax (como se comprimido internamente)."

Nesta primeira semana de janeiro de 2011, o EXO-X rumará à região. Paulo Anibal revelou uma das suposições das quais tentarão averiguar: "Tenho uma teoria, acho que as aparições de UFOs estão diretamente relacionadas com algum tipo de interesse estratégico, seja a riqueza biológica, mineral ou outras que ainda não fazemos noção. Iremos fazer o possível para apurar cientificamente os possíveis indícios atuais da presença alienígena no Estado do Pará", finalizou.

Já está no ar a Edição 158 da Revista UFO. Aproveite!

Outubro de 2009

Uma avalanche de documentos cai no colo dos ufólogos