DESTAQUE

UFO sobrevoou base de lançamento de mísseis em Dakota do Norte

Por
26 de Setembro de 2012
Um bombardeiro Boeing B-52 decola da Base de Minot, onde mísseis nucleares foram supostamente desligados por um UFO em 1966
Créditos: Site da Base da Força Aérea Norte Americana de Minot

Um evento ocorrido em 1966, mencionado no jornal The Minot Daily News, aparentemente não foi a única incursão de um UFO nas bases de lançamento de mísseis de Minot naquele ano. De acordo com o capitão aposentado da USAF (Força Aérea Norte-Americana) David D. Schindele, ele esteve envolvido em um incidente em outra ocasião, durante a qual diversos mísseus nucleares ficaram temporariamente desativados.

Em 10 de abril de 2010, Schindele prestou o seguinte depoimento:

Minha recordação de um incidente UFO durante meu tempo na Força Aérea tem diminuído com o tempo, e tem sido difícil lembrar de alguns detalhes específicos do que experimentei. Atribuo isso ao fato de ter ocorrido 44 anos atrás e também porque fui oficialmente ordenado para esquecer tudo e nunca falar a respeito...

Eu era primeiro-tenente e comandante de equipe de combate de mísseis no Esquadrão 742 da Força de Mísseis Estratégicos 455 na Base da Força Aérea de Minot, em Dakota do NOrte. Como oficial de controle de lançamento, eu era parte de uma equipe de dois homens que monitorava e controlava dez mísseis balísticos intercontinentais Minuteman. Meu comandante e eu estivemos juntos por aproximadamente um ano e meio, de janeiro de 1966 a agosto de 1967. Pelo que lembro, o incidente ocorreu pouco depois que me casei, na metade de julho de 1966.

Meu primeiro posto era no Centro de Controle de Lançamento "Mike Flight", designado como posto de comando do esquadrão e um dos cinco centros de controle de lançamento do esquadrão, que incluíam os designados por Kilo, Lima, November e Oscar... Cada um desses se localizava 18 metros abaixo do solo, abaixo de sua Instalação de Controle de Lançamento, que alojava as equipes de apoio e segurança.

Eu me lembro do seguinte:

Eu vivia na cidade de Minot, em Dakota do Norte, e acordei de manhã cedo para me aprontar para o serviço em November Flight, uma mudança de meu serviço regular em Mike Flight. Eu assistia televisão enquanto tomava café, e ouvi no noticiário local que residentes da cidade de Mohall, também na Dakota do Norte, avistaram estranhas luzes durante a noite, que foram atribuídas a UFOs. Isso me chamou a atenção porque NOvember Flight se situava a cerca de 4,8 km a oeste daquela cidade.

Na reunião na base naquela manhã, onde as 15 equipes de mísseis recebiam suas instruções, fomos informados que o pessoal de November Flight experimentou estranhas circunstâncias e uma situação onde os mísseis ficaram fora de alerta. Essa informação foi passada sem qualquer outro detalhe, mas havia uma sugestão de que algum evento inexplicado e misterioso estava relacionado a esse evento. Eu então me lembrei do noticiário da TV e imediatamente liguei-o ao que havia sido ouvido. E enquanto meu comandante e eu nos deslocávamos para o controle de lançamento, estávamos ansiosos e curiosos a respeito do que iríamos descobrir lá.

O procedimento normal ao chegar na Instalação de Controle de Lançamento era primeiro inspecionar o local e conversar com o pessoal de apoio. Enquanto fazia a inspeção, conversei com o diretor da instalação que me descreveu sua experiência daquela noite. Ele disse que um grande objeto flutuou bem próximo a eles, sendo visível pelas janelas no lado oeste do complexo em meio a noite escura, e tinha luzes brilhantes que piscavam.

Eu perguntei a ele com o que o objeto se parecia, mas o homem foi incapaz de descrever seu formato, mas sabia que não era um helicóptero já que era muito grande e não fazia barulho. Ele também não conseguiu me explicar com o que as luzes se pareciam, não conseguiu descrever em palavras. E então disse que o objeto se moveu para o lado direito da frente do complexo, mas nesse momento não era totalmente visível já que ficou atrás da garagem. Tudo isso durou alguns minutos.

Também conversei brevemente com o pessoal de segurança, que essencialmente confirmaram o que o diretor descrevera. Meu comandante interrogou por mais tempo o pessoal da segurança, e eu fiquei mais envolvido com o diretor...

A primeira coisa que me chamou a atenção quando cheguei ao alojamento subterrâneo foi o painel de controle de lançamento. A equipe de dois oficiais que eu e meu comandante iríamos render nos descreveu os eventos da noite anterior e o status em que se encontrava o posto. Ainda me lembro de sentir espanto e incredulidade, a preocupação com a situação, e o sentimento de desamparo que a equipe vivenciou. Eles disseram que as luzes no console dos mísseis se acenderam, justamente aquelas que você nunca esperaria ver, e então os mísseis saíram de alerta, o monitoramento deles foi perdido e eles foram desligados.

Fico preocupado que não consiga lembrar muito do que ocorreu durante esse dia de serviço no Centro de Controle de Lançamento. É quase como um bloqueio mental, mas eu me lembro que monitoramos as comunicações e um console de míssil que mostrava pouco do status do projétil. É como se não houvesse nada para fazer. Em minhas lembranças, meu sentimento é que a maioria dos 10 mísseis estivessem desativados, ou até todos eles, quando substituímos a equipe anterior, e a maioria dos foguetes permaneceu desligado durante nosso período de 24 horas de serviço lá...

Eu me lembro que quando fomos substituídos na manhã seguinte e subimos a superfície, tentei questionar o Controlador de Segurança de Voo, que me disse não poder falar sobre o incidente. E então meu comandante me informou que havia recebido ordens, durante meu período de descanso em nosso turno, que nunca deveríamos falar sobre o incidente.

Minhas lembranças dessa experiência são de que foi algo único, e que mais ninguém de outro centro de controle de lançamento jamais descreveram nada parecido. Pelo que lembro da reunião pela manhã, somente November flight fooi mencionado e envolvido. Depois de voltar para a base, e desde então, nenhuma discussão ou referência ao incidente foi feita. Mas esse evento nos marcou muito, e estávamos sempre atentos para o caso de ouvirmos qualquer coisa que podesse ajudar a solucioná-lo ou trazer alguma resposta. Não me lembro de qualquer outro evento como esse que tenha ocorrido na Base da Força Aérea de Minot durante meu tempo de serviço lá, embora desde então eu descobrisse que minha experiência não foi a única do tipo.


crédito: The Minot Daily News
Jornal The Minot Daily News de 06/12/1966 noticiando o evento
Jornal The Minot Daily News de 06/12/1966 noticiando o evento

Recentemente perguntei a Schindele se ele alguma vez conversou com seu comandante após se aposentar da Força Aérea. Ele respondeu: "Eu tentei entrar em contato com ele, em 24 de março de 2011, mas só consegui falar com sua esposa. Ela disse que ele tinha 85 anos de idade, e sofria de Alzheimer desde a metade dos anos 1990, sofrendo muitos problemas de memória. Ela me contou que ele se aposentou após os 60 anos de idade como tenente-coronel. Em primeiro de novembro, recebi notícias de sua família informando que ele havia falecido em 23 de novembro".

A experiência de Shindele pode ou não estar relacionada a uma incursão de UFO mencionada no artigo do The Minot Daily News. E um documento liberado confirma que um evento aconteceu em 25 de agosto de 1966 em Mike Flight, próximo a November Flight.

O incidente descrito por Schindele é comparável ao que envolveu o ex-capitão da USAF Robert Salas, que ocorreu na Base da Força Aérea de Malmstrom na instalação Oscar Flight, provavelmente em 24 de março de 1967, e que também é semelhante a um outro incidente em Malstrom, em 16 de março de 1967 em Echo Flight.

O antigo comandante de Salas, o coronel Frederick Meiwald, confirmou que os mísseis de Oscar foram desativados, ao mesmo tempo em que UFOs foram vistos na área e sobre um dos silos de mísseis. Da mesma forma, o coronel Walter Figel, também aposentado, confirmou múltiplos informes de UFOs presentes em um dos silos da instalação Echo quando os mísseis também se tornaram inoperantes.

O outro oficial de lançamento em Echo, capitão Eric Carlson, recentemente negou se lembrar de qualquer relatório crível de UFOs associados ao desligamento dos dez mísseis, mas o coronel Figel descreveu o incidente para mim com profusão de detalhes. Ele disse que Carlson sentava-se ao lado dele quando Figel recebeu uma chamada pelo rádio de um oficial que informava a presença de um gradne objeto circular flutuando sobre um dos silos Echo. Figel me disse que a testemunha era séria, mas ele não levou muito a sério. O coronel também disse que ele e Carlson receberam ordens de não falar a respeito.

O filho de Carlson, James, continua a apoiar a versão de seu pai sobre os eventos relacionados ao caso do desligamento em Echo Flight, alegando que Robert Salas e eu somos mentirosos e fraudadores por insistirmos em divulgar as declarações públicas do coronel Figel, além das gravações que fizemos do testemunho do coronel Meiwald sobre UFOs em Oscar flight, oito dias depois.

Outras incursões de UFOs em locais de lançamento de mísseis balisticos em diversas bases da Força Aérea, ao longo de vários anos, tem sido descritas para mim por veteranos da USAF. Alguns desses incidentes são abordados em artigos em meu site. Outros mais são discutidos em meu livro UFOs and Nukes.

Confira as páginas 1, 2 e 3 do documento descrevendo os eventos em November flight

Ouça a entrevista telefônica de Robert Hastings com o coronel Walter Figel

Leia o artigo de Robert Hastings a respeito dos eventos em Echo e Oscar Flight

Visite o site oficial de Robert Hastings

Saiba mais:

Livro: Dossiê Cometa

DVD: UFOs Aqui, Agora

Já está no ar a Edição 185 da Revista UFO. Aproveite!

Fevereiro de 2012

Se ainda havia quem duvidasse, eles voltaram!

UPDATED CACHE