DESTAQUE

Turismo espacial russo é retomado, dessa vez com direito à caminhada no espaço.

Por
04 de Julho de 2020
Foguete da agência russa Roscosmos
Créditos: The Moscow Times

Agência espacial russa retoma sua atividade de turismo espacial, mostrando que o campo não está mais fechado, mas dessa vez terá a concorrência das gigantes SpaceX e Boeing.

 O plano de ir ao espaço não é apenas um sonho para uma pequena parcela de pessoas, já que a Roscosmos, a Agência Federal Espacial Russa, depois da pausa de uma década do turismo espacial, vai enviar duas pessoas para a Estação Espacial Internacional (ISS), em um icônico foguete Soyuz.

Segundo a agência, uma das pessoas fará uma caminhada espacial junto a um experiente cosmonauta russo, e será o primeiro turista do mundo a realizar tal façanha.

Para alcançar seu objetivo, a agência russa está trabalhando junto com a empresa americana Space Adventures para viabilizar esse filão do turismo espacial destinado aos clientes dispostos a pagar caro pela viagem. A empresa já trabalhou com a Roscosmos antes e enviou sete turistas para a ISS em oito diferentes viagens, sendo o último deles em 2009.

 

Por que o turismo espacial foi interrompido em 2009?

 
Lançamento do foguete Falcon-9 da empresa SpaceX. Crédito: SpaceX

Com a aposentadoria dos ônibus espaciais e assinatura de convênio entre a NASA e Roscosmos para o envio de cosmonautas, a agência russa interrompeu seus esforços de turismo espacial para dar prioridade ao seu convênio. A Soyuz tornou-se assim o único meio para todos os países conveniados ao consórcio ISS chegarem ao espaço, ao custo de USD 80 milhões por assento.

Para concorrer nessa área surgiu a SpaceX, que recentemente lançou missão tripulada justamente para mostrar ao mundo que chegou para concorrer no mercado de turismo mais fértil e cobiçado do mundo, e segundo Elon Musk, a empresa realizará voos regulares de passageiros no Crew Dragon à preços cada vez mais competitivos.

Correndo por fora aparece também a Boeing, que está desenvolvendo uma cápsula Starliner, que levará os astronautas para a ISS, e para os americanos isso representa um grande avanço pois a NASA não fica mais tão dependente do Soyuz.

 

 

Planos da Space Adventures

 
Subida do foguete russo Soyuz 2.1a. Crédito: Roscosmos

Preocupada com a concorrência que chega, a agência russa investe agora seus esforços no turismo espacial, e oferecerá a caminhada espacial como um produto a mais, isso vai exigir treinamento intenso e muito planejamento pelos passageiros e agência.

Não há detalhes sobre quanto custará uma viagem como essa, mas sabemos que será bem caro, e os turistas terão que se submeter à intenso treinamento assim como os demais astronautas.

Segundo o presidente da Space Adventures, "Um cidadão particular que conclua uma caminhada espacial, seria um grande avanço nos voos espaciais privados". Essa seria uma maneira de comemorar o sucesso de quase duas décadas da parceria público-privada entre a empresa americana e a agência russa em grande estilo.

Wagner Soeiro é professor, jornalista, divulgador científico, coordenador do Clube de Astronomia Rio Preto (CARP) e cofundador do Grupo de Estudos e Pesquisas Ufológicas Rio Preto (GEPURP)

Já está no ar a Edição 264 da Revista UFO. Aproveite!

Janeiro de 2019

Sexo com ETs