DESTAQUE

Todas as cores de Marte, um mundo sendo desvendado aos poucos

Por
10 de Junho de 2020
Rochas sedimentares multicoloridas em cratera de Marte
Créditos: NASA

Ondas e curvas coloridas impressas nas rochas marcianas ajudam a contar a história do planeta que embora seja conhecido por sua cor vermelha, aos poucos mostra que guarda muitas outras cores e muitos outros segredos.

A imagem, capturada pela câmera High Resolution Imaging Science Experiment (HiRISE) a bordo do orbitador Mars Reconnaissance (MRO) da NASA, mostra camadas de rocha em redemoinho dramático na cratera Holden de 140 km de largura.

"Grande parte de Marte está coberta de areia e poeira, mas em alguns lugares são visíveis pilhas de camadas sedimentares", escreveram autoridades da NASA na segunda-feira, dia 08 de junho, na legenda da foto. 

"Na imagem, camadas requintadas são reveladas emergindo da areia no sul da Cratera Holden. Sequências como essas oferecem uma janela para a complicada história geológica de Marte", completaram as autoridades.

 

Coloridos terrestres


Falésias de areias coloridas no litoral do Rio Grande do Norte. Crédito: Globo.com

Na opinião do consultor da UFO o geomorfólogo e astrônomo amador Dino Nascimento, a fotografia mostra “argilas onde provavelmente houve um período úmido, que pela degradação do feldspato, da origem a essas cores e sequências estratificadas”.

Sobra as belas cores, que em nada lembram aquele tom avermelhado sempre associado ao planeta, Nascimento explica que “as argilas fossilicatas podem possuir cores, dependendo do material originário impregnado na rocha matriz intemperizada”.

Ele completa, dizendo que o colorido é comum nas praias do nordeste brasileiro. “Em Tibau, no Rio Grande do Norte, essas areias e argilas coloridas se transformaram em artesanatos, hoje conhecidos em todo o pais”.

Talvez daqui há alguns séculos tenhamos esse tipo de artesanato vindo também de Marte, mas, atualmente, essas descobertas ajudam os cientistas a entenderem melhor a história geológica de Marte.

 

Rios, lagos e oceanos


Imagem comparativa de Marte hoje e no passado
Crédito: Australia's Science Channel

História essa que inclui um longo período, quando a superfície do planeta provavelmente era capaz de suportar a vida, semelhante à Terra. Como mostrou o trabalho de exploradores robóticos, como o MRO e o Curiosity da NASA , Marte antigo ostentava rios, lagos e, acreditam alguns cientistas, um imenso oceano que cobria a maior parte do Hemisfério Norte do planeta.

Tudo mudou cerca de quatro bilhões de anos atrás, quando Marte perdeu seu campo magnético. A atmosfera outrora densa do planeta foi então exposta a descargas pelas partículas carregadas do vento solar, e Marte foi transformado no mundo frio e seco que conhecemos hoje. 

A propósito, Cratera Holden, localizada a cerca de 26° ao sul do equador marciano, já foi um local de pouso em potencial para o Curiosity. Mas a NASA finalmente selecionou a Cratera Gale, de 154 km de largura, para as movimentações do robô de seis rodas. A Cratera Gale fica a apenas cinco graus ao sul do equador.

 

Fonte: Space.com  

Assista, abaixo, um video mostrando as cores de Marte:

Já está no ar a Edição 267 da Revista UFO. Aproveite!

Abril de 2019

Um metal extraterrestre