DESTAQUE

Terráqueos vivendo em Marte? É uma possibilidade, dizem cientistas de Harvard

Por
09 de Agosto de 2019
Ilustração
Créditos: Clouds AO/SEArch

Pesquisadores descobriram que um material chamado aerogel pode ser a chave para permitir aos humanos a sobrevivência em Marte. Ele pode reter calor da luz solar em quantidade suficiente para proporcionar um ambiente favorável no Planeta Vermelho. E, melhor ainda: os cientistas acreditam que isso pode ser feito ainda enquanto nós estamos vivos.

Em um novo estudo, o time de pesquisadores da Universidade de Harvard, da Universidade de Edimburgo e do Laboratório de Propulsão a Jato da NASA, mostra que uma camada fina de aerogel translúcido, com apenas alguns centímetros de espessura, poderia aquecer o solo marciano em até 50º Celsius ou mais - temperatura muito adequada para descongelar a água de lá e criar um ambiente similar ao da Terra.

  

Essa camada de aerogel permite que a luz visível atravesse sua estrutura translúcida, mas dificulta a vida da luz infravermelha - que não podemos ver mas podemos sentir na forma de calor. Assim, o material produz um efeito estufa bastante eficiente. Na verdade, o aerogel é considerado um dos melhores isolantes térmicos que temos, por isso foi o grande escolhido.

Em Marte, a atmosfera é rarefeita e tóxica para a maior parte da vida terrestre, conforme explica Laura Kerber, pesquisadora do Laboratório de Propulsão a Jato e uma das autoras do estudo. Por isso, qualquer estrutura que sirva de habitação por lá precisa ser hermética. No futuro, de acordo com Kerber, tijolos de aerogel colocados com um acrílico bem forte poderiam ser usados para fazer uma cúpula pressurizada para humanos.

    

  

E não precisamos nos preocupar com outras possíveis formas de vida em Marte. Essas cúpulas de aerogel seriam independentes, e isso significa que também preservariam qualquer criatura marciana que pudesse existir. "Ninguém quer ir a Marte e matar a única outra vida que encontrarmos”, disse Kerber. “Nós podemos viver lá, mas não bagunçar”.

Inclusive, Kerber já sabe qual é o local ideal para construir um assentamento humano. "Eu sei onde toda a água do subsolo está no planeta. Há um lugar chamado Deuteronilus Mensae. Se você quiser fazer isso, é onde eu colocarei as suas cúpulas; é onde há água perto da superfície", ela disse.

   

Vista cortada de uma habitação humana em Marte. Ilustração: Clouds AO / SEArch

  

Os pesquisadores também já estão trabalhando nas possibilidades de plantações, cultivando plantas em uma simulação do solo e das condições climáticas de Marte, dentro de estufas. Em breve, os testes começarão em estufas feitas à base de aerogel.

No entanto, "em sua forma atual, [o aerogel] é bastante frágil", disse Kerber. Mas ela afirma que resolver os desafios restantes é apenas uma questão de financiamento. "Se alguém dissesse: ‘Aqui está um monte de dinheiro, vamos fazer isso’, nós faríamos. As pessoas acham que está muito fora de alcance, ou que é coisa de um filme de ficção científica - não é. Vamos tentar".

Fonte: Phys.org

  

Saiba tudo sobre o UFO SUMMIT 2019 em www.ufosummit.com.br

O maior evento do ano da Ufologia Brasileira. Garanta a sua vaga!

    

Já está no ar a Edição 270 da Revista UFO. Aproveite!

Julho de 2019

Anunnaki: Aqueles que do céu desceram à Terra

UPDATED CACHE