DESTAQUE

Teria um submarino nuclear norte-americano colidido com um OSNI?

Por
13 de Outubro de 2021
Os registros de OSNIs aumentaram desde o vazamento de dados da Marinha norte-americana.
Créditos: GettyImages

A Marinha dos Estados Unidos confirmou que um submarino nuclear de sua frota colidiu com um objeto submarino não identificado (OSNI) enquanto operava no mar da China Meridional. O choque ocorreu no dia 02 de outubro de 2021, mas a informação só foi confirmada pela armada norte-americana na quinta-feira, dia 07.

Em nota, a Marinha dos Estados Unidos confirmou o incidente que envolveu o USS Connecticut (SSN-22), uma embarcação classe Seawolf com 107.5m de comprimento, mais de 100 tripulantes e uma das mais poderosas forças de ataque da frota. “O USS Connecticut atingiu um objeto submerso na tarde de 02 de outubro, enquanto operava em águas internacionais na região do Indo-Pacífico”, disse o comunicado.

No comunicado oficial, a Marinha afirmou que não houve ferimentos que colocassem em risco a vida da tripulação, mas vários sites de notícias especializados em notícias militares divulgaram que pelo menos uma dúzia de marinheiros sofreram lesões levas a moderadas. A instituição indicou que vai examinar a extensão dos danos e o que de fato pode ter ocorrido, mas não divulgou qualquer pista a respeito. Limitou-se a dizer que a embarcação continua operacional.

“O submarino permanece em condições seguras e estáveis. O dispositivo de propulsão nuclear e os espaços internos do USS Connecticut não foram afetados e permanecem totalmente operacionais”, explicou o comunicado. Após o incidente, o USS Connecticut — que está baseado na Base Naval de Kitsap em Bremerton, Washington — seguiu para inspeção na base dos Estados Unidos em Guam, no oeste do Oceano Pacífico.

A colisão com um objeto submarino não identificado acontece num momento em que navios de guerra americanos e de aliados participam de um exercício multinacional na região, liderado pelo Carrier Strike Group 21, do Reino Unido. As operações envolvem embarcações dos Estados Unidos, Reino Unido, Japão, Austrália, Canadá e Holanda, incluindo três porta-aviões, treinando dentro e ao redor do Mar da China Meridional.


Por que o USS Connecticut não foi capaz de detectar e tomar contramedidas para se defender do choque?
Fonte: U.S. NAVY

O exercício é uma espécie de resposta às reivindicações territoriais da China sobre pequenas ilhas e recifes na região, ao mesmo tempo em que aumenta a tensão daquele país com os Estados Unidos por causa de incursões militares chinesas na Zona de Identificação de Defesa Aérea (ADIZ) de Taiwan. Taiwan teme que os chineses estejam prontos para invadir seu território em larga escala até 2025.

Apesar do tenso cenário internacional, a China não admitiu até agora que o incidente tenha sido causado por um artefato de seu arsenal. As características e a origem do objeto submarino continuam um mistério, gerando ainda mais suspeitas pelo fato de o USS Connecticut ser amplamente capaz de identificar e neutralizar armas adversárias conhecidas. O que teria passado despercebido pelos seus sensores?

Desde os últimos vazamentos de informações da Marinha norte-americana até a liberação do relatório do Pentágono sobre UFOs, os objetos submarinos não identificados voltaram com intensidade à cena ufológica. Pilotos de caça norte-americanos relataram terem visto o UFO no formato Tic Tac aparentemente sair da água, e em pelo menos uma ocasião, os registros da Marinha capturaram em vídeo um objeto não identificado entrando no mar, durante operações do USS Omaha na Costa Sul da Califórnia.

Fonte

Já está no ar a Edição 285 da Revista UFO. Aproveite!

Junho de 2021

Quando eles são hostis aos humanos