DESTAQUE

Telescópio COROT tem missão encerrada

Por
03 de Julho de 2013
O COROT foi o primeiro instrumento a localizar exoplanetas pelo método do trânsito
Créditos: ESA

Ao lado dos problemas técnicos apresentados pelo telescópio espacial Kepler, a pesquisa por planetas alienígenas sofreu outro duro golpe com o final da missão do telescópio COROT. Lançado pela Agência Espacial europeia (ESA), em 27 de dezembro de 2006, foi o primeiro instrumento enviado ao espaço com a missão de caçar esses mundos distantes por meio do médoto do trãnsito, flagrando quando um planeta passa diante de seu sol.

O nome do telescópio é sigla para Convecção, Rotação e Trânsitos Planetários, e a participação brasileira, por meio do Instituto de Astronomia, Geofísica e Ciências da Universidade de São Paulo (IAG-USP), foi fundamental. Inserido em uma órbita polar, o COROT não conseguiria realizar a varredura do hemisfério sul do céu não fosse pela Estação de Satélites Científicos do Instituto Nacional de Pesquisas Espaciais (INPE), localizada em Natal (RN). Graças a isso, os técnicos e cientistas brasileiros adquiriram uma experiência valiosa em captação de dados e em pesquisa astronômica de ponta.

O problema que atingiu o telescópio ocorreu em 02 de novembro de 2012, quando uma falha de computador impediu que o COROT enviasse informações para a Terra. A ESA continuava sendo capaz de transmitir comandos à nave mas lamentavelmente, após várias tentativas de restaurar o funcionamento do computador, a agência declarou que o COROT teve sua missão encerrada. Em breve serão enviados comandos para que o telescópio saia de órbita e reentre na atmosfera da Terra, onde deverá queimar-se.

Entretanto, mesmo com o problema a missão COROT foi absolutamente coroada de êxito, obtendo informações inestimáveis quanto à física e à astro-sismologia de estrelas, e pesquisa de suas estruturas e composições químicas. O telescópio também estudou a evolução de estrelas gigantes vermelhas e de nossa própria galáxia, além de sóis massivos, aglomerados estelares e sistemas binários.

O COROT foi o primeiro instrumento a medir o raio de anãs marrons, objetos a meio caminho entre um planeta e uma estrela, e abriu um novo campo de estudo ao investigar as variações minúsculas em estrelas por meio da medição da frequência e amplitude com que brilham. Evidentemente a pesquisa mais divulgada era a de exoplanetas e, ao contrário do que é feito pela NASA com o Kepler, divulgando todo mundo alienígena candidato que seja encontrado, a ESA adotou uma política de expor somente os exoplanetas confirmados. Assim, a missão descobriu 32 mundos confirmados e ao menos outros 100 que aguardam confirmação.

Página do IAG sobre o COROT

Site da ESA sobre o COROT

Descrição de algumas das descobertas do COROT

Satélites e telescópios sonhados por Sagan abrem novas perspectivas

160 bilhões de mundos alienígenas na Via Láctea, demonstra estudo científico

Exoterras podem ser 4,5 bilhões na galáxia

Telescópio espacial Kepler tem grave problema

Saiba mais:

Livro: Dossiê Cometa

DVD: 50 Anos de Exploração Espacial Parte 3

crédito: Revista UFO
50 Anos de Exploração Espacial Parte 3
50 Anos de Exploração Espacial Parte 3

Esta é a terceira parte de uma coleção de documentários que mostram a história da NASA desde sua fundação até seu 50º aniversário, apresentando de forma inédita suas conquistas, as inúmeras dificuldades e tragédias que marcaram sua trajetória e os planos da agência espacial para o futuro da humanidade no cosmos.

Já está no ar a Edição 130 da Revista UFO. Aproveite!

Fevereiro de 2007

Um dos mais ferrenhos combatentes da Ufologia revê seus conceitos