DESTAQUE

Surgem mais evidências de que o oceano de Europa é habitável

Por
01 de Julho de 2020
Europa, lua de Júpiter
Créditos: NASA

Um novo estudo mostrado por cientistas da NASA na conferência Goldschmidt, na última semana, fornece mais evidências de que o oceano de Europa é habitável e semelhante aos oceanos da Terra.

 Europa, a oceânica lua de Júpiter há décadas fascina os entusiastas do espaço: desde que os cientistas determinaram que há um oceano global de água líquida sob a crosta externa gelada da lua. 

Na semana passada, no Dia Mundial da Ufologia, 24 de junho, cientistas da NASA anunciaram novas pesquisas que apoiam a ideia de que o oceano de Europa é habitável. Segundo eles, esse oceano subterrâneo é provavelmente similar, em muitos aspectos, aos oceanos da Terra.

Os resultados fascinantes foram apresentados na conferência Goldschmidt, cujo resumo associado está disponível no site da conferência. Os resultados apresentados são preliminares e ainda não foram revisados ??por pares.

Primeiro, as descobertas apoiam o que os cientistas haviam previsto sobre a composição do oceano, como explicaram em um comunicado o cientista planetário e pesquisador principal Mohit Melwani Daswani,

“Pudemos modelar a composição e as propriedades físicas do núcleo, da camada de silicato e do oceano. Descobrimos que diferentes minerais perdem água e voláteis em diferentes profundidades e temperaturas. Adicionamos esses voláteis estimados como perdidos do interior e descobrimos que eles são consistentes com a massa prevista do oceano atual, o que significa que provavelmente estão presentes no oceano”, explicou Daswani.

 

Água das rochas


Ilustração mostrando o oceano de Europa. Crédito: NASA

Para chegar a essa conclusão, os pesquisadores modelaram reservatórios geoquímicos no interior de Europa usando dados da antiga missão Galileo. 

Os resultados são significativos, pois mostram que oceanos como o da lua podem ser formados por metamorfismo, ou seja, por uma mudança de minerais no que os geólogos chamam de textura, em rochas preexistentes ou protólitos.

Em Europa, o aquecimento e o aumento da pressão ocasionados ??por decaimento radioativo precoce ou pelo posterior movimento das marés no subsolo teriam causado um colapso dos minerais contendo água. A água capturada seria liberada e o oceano subterrâneo de Europa nasceria.

 

Como as águas da Terra


Oceano terrestre visto do espaço Crédito: NASA

O estudo também descobriu que o oceano de Europa teria sido levemente ácido no início, com altas concentrações de dióxido de carbono, cálcio e sulfato. Mas com o tempo, tornou-se rico em cloretos, lembrando oceanos na Terra.

De acordo com Daswani: “nossas simulações, juntamente com dados do Telescópio Espacial Hubble, mostrando cloreto na superfície de Europa, sugerem que a água provavelmente se tornou rica em cloreto. Em outras palavras, sua composição se tornou mais como oceanos na Terra. Acreditamos que este oceano pode ser bastante convidativo para a vida”.

O cientista também disse que “Europa é uma das nossas melhores chances de encontrar vida em nosso próprio Sistema Solar ... Nossos modelos nos levam a pensar que os oceanos de outras luas, como Ganimedes e a lua de Saturno Titã, também podem ter se formado por processos semelhantes”.

 

As plumas de Europa


Ilustração mostrando as plumas de Europa. Crédito: NASA

Europa é uma das maiores luas do Sistema Solar, com um diâmetro de 3.100 km, pouco maior do que a nossa Lua. Enquanto o oceano subsuperficial é relativamente quente, na superfície quase sem ar do satélite as temperaturas são sempre de -160º C ou inferiores.

Também existem evidências crescentes de plumas de vapor d'água em Europa, semelhantes às da lua de Saturno Enceladus. 

Se elas estiverem lá, a sonda Europa Clipper poderá voar através delas, assim como a Cassini fez em Enceladus, e coletar o vapor para análise. Se conectado ao oceano, como se pensa, isso forneceria pistas valiosas sobre as condições das águas europeanas e, talvez, até evidências da própria vida.

Fonte: EarthSky

Veja, abaixo, um documentário sobre o assunto:

Já está no ar a Edição 277 da Revista UFO. Aproveite!

Fevereiro de 2020

UFOs no espaço até a Lua