DESTAQUE

SpaceX se recusou a mover seu satélite sob risco de colisão com outro da ESA

Por
09 de Setembro de 2019
Ideia da rede de satélites da Starlink
Créditos: SpaceX

Há um problema de tráfego de alto risco no espaço ao redor do nosso planeta. O satélite de observação Aeolus Earth da Agência Espacial Europeia (ESA) teve que realizar uma manobra para evitar colisão com o satélite 44 Starlink da SpaceX de Elon Musk.

Os especialistas da ESA calcularam que havia 1 em 1.000 chances de colisão entre os dois satélites, conforme relatado pela Forbes. Essa é uma pequena chance, mas foi suficiente para a ESA decidir intervir. 

Holger Krag, chefe do Escritório de Detritos Espaciais da ESA, disse à Forbes: Informamos a SpaceX, que respondeu e disse que não planejava agir.

Os satélites SpaceX devem ter sistemas automatizados de prevenção de colisões, mas esse sistema não foi usado e não está claro o porquê. Em vez disso, o satélite Aeolus da ESA disparou seus propulsores para se afastar da área, meia órbita antes da ocorrência de uma possível colisão.

No futuro, a ESA planeja automatizar o processo de prevenção de colisões de satélites usando Inteligência Artificial – IA. Por enquanto, os engenheiros de lá realizam os ajustes manualmente.

A ESA afirmou no Twitter  que "É muito raro realizar manobras para evitar colisões com satélites ativos. A grande maioria das manobras de prevenção da ESA é resultado de satélites mortos ou fragmentos de colisões anteriores. O satélite ESA ocupou essa região específica do espaço nove meses antes da chegada do satélite Starlink. No entanto, não há leis sobre o tráfego espacial e quais regiões os satélites podem ocupar. Este incidente destaca a necessidade de uma abordagem internacional organizada para o tráfego espacial."

Krag ainda comentou à Forbes que "Não estamos chateados por eles dizerem que não se mexeriam. Minha preocupação é: com que frequência teremos esses eventos no futuro? Estes são apenas dois satélites. Agora eles adicionarão vários milhares e também serão descartados e terminarão em várias altitudes. E não há regra ou lei sobre como reagir. Tudo depende da boa vontade."


O risco de colisão entre os satélites foi de 1 em 1.000. Fonte: ESA

Esta não é a primeira vez que o projeto Starlink aparece nas notícias. Anteriormente, os astrônomos reclamaram que o lançamento dos satélites causaria problemas para os telescópios. Os painéis solares dos satélites os tornaram mais refletivos e brilhantes no céu, embora isso diminuísse uma vez que fossem orientados corretamente.

A SpaceX também perdeu o controle de três satélites Starlink durante o primeiro mês após o lançamento. Embora esses poucos satélites provavelmente tenham queimado na atmosfera, a taxa de falhas levantou preocupações sobre futuras expansões do projeto.

Se a SpaceX lançar seus 12.000 satélites planejados para o projeto Starlink, o número de satélites perdidos poderá causar problemas com detritos espaciais.

Fonte)

Já está no ar a Edição 271 da Revista UFO. Aproveite!

Agosto de 2019

Abdução em Pascagoula

UPDATED CACHE