DESTAQUE

Sem aviso, asteroide do tamanho de um carro faz voo rasante na Terra

Por
26 de Outubro de 2018
Ilustração de asteroide próximo à Terra
Créditos: Pixabay/Google

Uma pequena rocha espacial fez uma aproximação extrema com a Terra na última sexta-feira (19). Ninguém esperava por esse encontro e o asteroide, que foi intitulado 2018 UA, fez um verdadeiro sobrevoo rasante na Terra apenas algumas horas após ser detectado.

(Objeto do tamanho de um automóvel faz uma das maiores aproximações já registradas. Crédito:  JPL-Caltech / SBDB)

As observações não foram suficientes para determinar sua órbita e trajetória com precisão, mas algumas estimativas sugerem que esse asteroide de aproximadamente 5 metros de diâmetro passou a uma distância entre 7.300 e 15.300 km da superfície da Terra. Para se ter uma ideia, os satélites meteorológicos e de TV orbitam o nosso planeta a uma distância média de 35.800 km da superfície. Isso significa que, apesar do asteroide ser pequeno, essa foi uma das aproximações mais íntimas já registradas.

Coincidentemente, esse asteroide teve um encontro com o nosso planeta apenas dois dias antes do pico da chuva de meteoros Orionidas, que acontece todos os anos nessa mesma data. Felizmente, mesmo que esse asteroide colidisse com o nosso planeta, ele se desintegraria quase por completo antes de atingir o solo, já que seu tamanho estimado varia de três a 6 metros de diâmetro. Quando uma rocha espacial desse tamanho entra na atmosfera da Terra, ela produz um meteoro super brilhante, também conhecido como bólido ou bola de fogo - talvez visível até mesmo durante o dia. 

(Trajetória do asteroide 2018 UA entre os dias 04 e 23 de outubro de 2018. Créditos: SSD / JPL-Caltech / SBDB)

O asteroide 2018 UA fez um sobrevoo rasante numa velocidade aproximada de 50.760 km/h, o que o impediu de ser capturado pelo nosso planeta. Mesmo assim, o poder gravitacional da Terra modificou sua órbita. Esse rasante com a Terra funcionou como uma estilingada espacial - manobra utilizada por sondas e naves para ganhar velocidade através do poder gravitacional de um objeto maior.

Asteroides pequenos como 2018 UA são extremamente difíceis de serem detectados, mas a cada ano, um número maior deles vêm sendo descoberto, o que sugere uma melhora considerável no controle de objetos próximos da Terra.  Contudo, a grande maioria dos objetos do tamanho de um carro continuam vagando por aí sem sequer serem notados.

Fonte: Galeria do Meteorito

Já está no ar a Edição 261 da Revista UFO. Aproveite!

Setembro de 2018

Nikola Tesla e a Vida Extraterrestre