DESTAQUE

Satélites da SpaceX causam polêmica em Curitiba

Por
21 de Janeiro de 2020
Rede de satélites Starlink, concepção artística
Créditos: Olhar Digital

Os satélites Starlink, que começaram a ser lançados em maio de 2019, prometem criar ainda muita polêmica e confusão até que todas as pessoas estejam cientes de sua presença e acostumadas com eles. Como dissemos em notícia anterior, Elon Musk, o poderoso bilionário e CEO da SpaceX, empresa responsável pelos satélites, ainda vai ter muita dor de cabeça com astrônomos e entidades ligadas à proteção do céu noturno até conseguir solucionar os problemas que o Starlink ameaça causar.

Na época do lançamento da segunda frota, em novembro de 2019, o fotógrafo gaúcho Egon Filter tirou uma linda foto em um campo de girassóis no Rio Grande do Sul, mostrando o rastro dos satélites, a Via Láctea e um meteoro cruzando o céu. A NASA publicou a foto na seção Imagem do dia:

Foto do brasileiro Egon Filter

Os satélites de Musk, que por enquanto são menos de duas centenas, logo serão milhares e formarão uma constelação em torno de nosso planeta. Portanto, preparem-se, vem mais por aí. Para saber se há satélites ou se a Estação Espacial está passando sobre o céu de sua cidade, basta consultar o site Heavens Above e colocar lá sua localização.

Ainda uma novidade para muita gente, os satélites causam sensação por onde passam. E como estão, neste momento, passando sobre os céus do sul e sudeste do Brasil, quem os vê logo pensa em UFOs e extraterrestres. Infelizmente, esse ainda não é o caso, como explicou o editor da Revista UFO A.J. Gevaerd em entrevista ao programa Balanço Geral, da afiliada da Rede Record RIC.

Segundo o perito Toni Inajar Kurowski, coordenador do Grupo de Análises de Imagens da Revista UFO, “satélites artificiais, especialmente nas três horas logo após o pôr do Sol e nas três horas que antecedem o nascer do Sol, por refletirem sua luz, ficam visíveis, parecendo estrelas que se movem”.

Kurowski explica as confusões que andam acontecendo por causa do Starlink: “além disso, o fato de estarem deslocando-se em grupo, tem causado muitos erros de interpretação por parte de pessoas pouco acostumadas com as coisas que estão nos céus. As pessoas, ao avistarem esses ou outros satélites, ficam admiradas e convictas de que estão avistando um fenômeno ufológico”.

Assista agora à entrevista de Gevaerd, com as devidas explicações sobre as “luzes de Curitiba” 

                                                   

Já está no ar a Edição 258 da Revista UFO. Aproveite!

Junho de 2018

Que tecnologia é esta?