DESTAQUE

Sarcófagos intocados com mais de 2.000 anos foram encontrados no subterrâneo em Saqqara, no Egito

Por
11 de Setembro de 2020
As Pirâmides do Egito
Créditos: Ministério de Antiguidades do Egito

Nova descoberta inclui 13 sarcófagos de madeira e uma série de objetos, todos intocados, uma raridade em se tratando de relíquias do Egito antigo, tão visadas pelos ladrões de túmulos. E há mais a caminho.

 Arqueólogos descobriram mais de 13 caixões egípcios antigos empilhados um sobre o outro dentro de um poço funerário na necrópole do deserto de Saqqara, de acordo com o Ministério de Turismo e Antiguidades do Egito.

Os caixões de madeira de 2.500 anos estão tão bem preservados que seus intrincados desenhos pintados em azul, dourado, branco, preto e vermelho, ainda são visíveis.

A identidade dos mortos enterrados nos caixões permanece um mistério e os arqueólogos ainda não examinaram os caixões lacrados, que não foram abertos desde que os corpos foram enterrados, informou o Ministério do Turismo e Antiguidades do Egito em uma postagem de 06 de setembro no Facebook . 

 

Uma descoberta impressionante


Alguns dos sarcófagos descobertos Crédito: LiveScience

Os arqueólogos encontraram os caixões em um poço medindo cerca de 12 metros de profundidade. É provável que mais desses caixões sejam encontrados nos nichos localizados ao longo das laterais do poço, observou o ministério. 

"[É] uma sensação indescritível quando você testemunha uma nova descoberta arqueológica", escreveu Khaled Al-Anani, ministro egípcio de Turismo e Antiguidades, no Twitter, ao anuciar a descoberta.

Esses caixões recém-descobertos são a maior descoberta em Saqqara desde que 30 caixões de madeira foram descobertos em um esconderijo no cemitério Al-Assasif dentro da necrópole em outubro de 2019, disse o ministério. 

Os caixões recém-descobertos, e até mesmo o esconderijo em Al-Asasif, são apenas alguns do grande número de restos humanos e animais descobertos em Saqqara, uma necrópole gigantesca no complexo de pirâmides em Memphis, a primeira capital do Egito, de acordo com o Centro de Pesquisa Americano no Egito (ARCE).

Localizada a cerca de 30 km ao sul do Cairo, Saqqara também foi o local de descanso final dos reis que governaram durante a primeira e a segunda dinastias, incluindo Djoser, o primeiro rei da terceira dinastia, que tinha a famosa pirâmide de degraus, construída para abrigar seus restos mortais. 

 

Vindos das estrelas


Seriam os extraterrestres os responsáveis pelos avançados conhecimentos dos egipcios
antigos? Crédito: Revista UFO

O Egito enfrentou mudanças políticas tumultuadas por volta de 500 a.C., época em que as pessoas cujos sacófagos descobertos estavam vivas. Em 525 a.C. o rei da Pérsia, conhecido como Cambises II, conquistou o Egito e o incorporou ao Império Persa.

Durante esse período de domínio conhecido como Dinastia 27, os persas exerceram seu poder por meio de um sátrapa, uma espécie de governador residente nomeado pelo rei. O domínio persa terminou em 404 a.C., quando os egípcios locais retomaram o trono. 

As notícias oficiais divulgadas pelo governo egípcio indicam que mais descobertas e revelações estão a caminho. O Egito é uma fonte constante de descobertas incríveis que apontam o quão sofisticada aquela civilização era.

De acordo com os adeptos da Teoria dos Antigos Astronautas todo o conhecimento dos egípcios veio das estrelas e lhes foi transmitido por seus antigos deuses astronautas. Será?

Esse é um assunto delicado que chega a ser ofensivo para o povo do Egito, que se sente diminuído em suas conquistas tecnológicas e medicinais, entre outras. Mas, de onde veio o conhecimento que eles tinham? Como eles chegaram a conquistá-lo?

Fonte: Live Science

Assista, abaixo, dois videos sobre as recentes descobertas:

Já está no ar a Edição 278 da Revista UFO. Aproveite!

Março de 2020

Miscigenação com aliens