DESTAQUE

São Tomé das Letras se despede do ufólogo Oriental Luiz Noronha

Por
16 de Setembro de 2018
Oriental Luiz Noronha e seu livro
Créditos: Marco Aurelio Leal

A Ufologia Brasileira perdeu mais um de seus célebres integrantes, Oriental Luiz Noronha, aos 80 anos de idade, na noite de 13 de setembro de 2018. Apelidado carinhosamente de Tatá, nasceu em Cruzília (MG), em 06 de abril do ano de 1938 e vivia na mística São Tomé das Letras, ao Sudoeste de Minas, há cerca de 50 anos. Ufólogo, historiador particular, músico e escritor dedicava-se, sobretudo, a investigar os volumosos relatos e histórias de moradores sobre a presença na área de objetos voadores não identificados e seus incógnitos tripulantes.

O ufólogo e consultor da Revista UFO Daniel Carneiro relembra que Tatá era interessado em Arqueologia, asseverava que as inscrições rupestres encontradas ali, faziam alusão às visitas de outras inteligências do cosmo e que, portanto, o Fenômeno UFO naquele nicho geográfico seria antigo. “Em suas andanças desbravando os mistérios de São Tomé, Tatá pôde colher e divulgar relatos diversificados sobre UFOs luminosos de formas e cores variadas em atividade pelo local, provocando sustos e deixando testemunhas de diversas procedências intrigadas”.

Carneiro ressaltou inclusive que, em 26 de março de 1996, ao filmar o pôr do Sol, Tatá captou em VHS, imagens muito sugestivas de um objeto voador não identificado em forma de charuto e com aparência metálica sobrevoando lentamente a área. O registro em questão, compõe documentários ufológicos e integra também um clássico e seletivo trabalho de compilação de imagens do gênero, elaborado pelo ufólogo alemão Michael Hesemann - UFOs: The Footage Archives, lançado no Brasil pela Revista UFO com o título Discos Voadores – Evidências Incontestáveis.

Oriental Luiz Noronha foi também autor de vários livros de cunho místico e paracientífico, destacando-se, dentre eles, São Thomé das Letras – Capital Ufológica do Brasil, São Thomé das Letras – Útero da Terra? e São Thomé das Letras e o Mundo Subterrâneo.

Carneiro ressalta que, além das numerosas reportagens, entrevistas e documentários que Tatá participou, além de abordarem as lendas, mistérios e enigmas de São Tomé, entre os quais se incluem os UFOs, ele ajudou também a projetá-la nacional e internacionalmente, fomentando um turismo que atrai todos os anos para lá expressiva quantidade de visitantes. “Tatá era uma referência histórica, cultural, mística e científica na cidade, respeitado e a todos acolhia com muita simplicidade e humildade, narrando pacientemente suas vivências de pesquisas e investigações dos diversos aspectos sociais, ufológicos, geológicos e arqueológicos da localidade”, disse o ufólogo com admiração ao colega.

“Pude conhecê-lo pessoalmente em abril de 2015, em uma memorável visita que lhe fiz, acompanhado do também advogado e ufólogo mineiro Ubirajara Franco Rodrigues. Desde a notícia do seu falecimento, comunicado por familiares à Revista UFO, várias foram as homenagens de amigos integrantes da publicação, desde os mais próximos aos mais remotos, consternados pela partida do querido colega de pesquisas”, homenageia Carneiro.

Diversos colegas e admiradores também homenagearam Tatá neste momento. O consultor da Revista UFO João Marcelo Rios nos conta que conheceu Tatá em agosto de 1994, numa visita àquela cidade. “Por coincidência, havia na sua Pousada naquele fim de semana uma palestra em que estava também Ubirajara Rodrigues. A pequena sala da pousada improvisada de auditório estava lotada e muita gente queria respostas para o fenômeno ufo e muitos perguntavam a razão de Noronha, natural de Cruzília, ter escolhido São Tomé Das Letras. O jeito de entrevistar as pessoas e a sinceridade e simplicidade com que traduzia o assunto para os leigos me lembravam muito Antônio Faleiro, de Passatempo. A facilidade com que conversava e extraía relatos de pessoas simples da área rural também. Parte um ícone de nossa ufologia”, relembra Rios saudoso.

Para Marco Aurélio Leal, ufólogo e admirador de Tatá, o ponto de parada inicial em São Tomé das Letras foi sempre em um grande acervo ufológico, a Pousada do Tatá. “Esse ilustre senhor testemunhou e registrou inúmeras aparições de UFOs no centro e na zona rural de São Tomé das Letras, fato que o tornou conhecido internacionalmente e na  cidade que ganhou o título de Capital Brasileira dos UFOs na década de 80. “Ele, como ninguém, sempre reportava sobre os mistérios e encantos da pacata cidade das pedras, de apenas 7 mil habitantes”, ressalta Leal.  Também lembra que ainda este ano Tatá será homenageado em um episódio de uma série do History Channel, onde foi entrevistado sobre suas experiências pessoais com o fenômeno UFO e os mistérios de São Tomé das Letras. “Infelizmente ele não pôde assistir sua atuação no programa. Mas deixou esposa, filhos, netos e inúmeros amigos e admiradores para continuar seu legado. Que descanse em paz!”, se despediu emocionado o amigo Leal.

O ufólogo e pesquisador Pedro de Campos, que entrevistou Tatá diversas vezes, lembrou que ele era um “historiador interessado em arte rupestre e espiritualista por convicção e foi, seguramente, o decano da Ufologia brasileira que realizou o maior número de vigílias. Tivemos a honra de tratar com ele inúmeros casos ufológicos e fazer trabalhos conjuntos em documentário do History Channel, em entrevista e artigos publicados na Revista UFO. Deixo aqui a minha homenagem". 

UFO 255 - Entrevista com Tatá: UFOs, seres extraterrestres e outros mistérios de São Tomé das Letras

UFO 254 - Entrada para mundos desconhecidos em São Tomé  das Letras

Veja a página de Tatá Noronha

Veja homenagem a Tatá Noronha nos documentários da UFO:

Já está no ar a Edição 260 da Revista UFO. Aproveite!

Agosto de 2018

O ano em que eles inundaram a Europa

UPDATED CACHE