DESTAQUE

Recente podcast traz novos detalhes sobre o icônico encontro alienígena em Flatwoods

Por
15 de Outubro de 2021
O caso é conhecido, mas alguns detalhes novos emergiram no podcast.
Créditos: Zargondesign

Relatando um avistamento de UFO que ocorreu nos Estados Unidos na década de 50, um podcast afirma que um grupo de crianças e uma mulher foram borrifadas com óleo pelo infame “Monstro de Flatwoods.” Houve até mesmo envolvimento do Pentágono.

Um podcast investigou a história do famoso avistamento do “Monstro de Flatwoods” relatado na década de 50 nos Estados Unidos, onde um avistamento de UFO supostamente levou a crianças sendo borrifadas com óleo por uma figura enorme e ameaçadora. O lendário encontro extraterrestre supostamente ocorreu em uma noite de setembro de 1952, quando crianças brincando em um campo alegaram ter visto uma luz estranha disparando no alto. As crianças correram de volta para sua mãe, Kathleen, para contar a ela sobre o avistamento, e Ashley Flowers, apresentando o podcast Supernatural, descreveu como o estranho evento se desenrolou. O grupo subiu uma colina de onde emanava “uma luz forte e brilhante e um estranho brilho vermelho.” “Conforme eles se aproximam, de repente há um cheiro horrível, como algum tipo de metal queimado ou talvez enxofre”, Ashely descreveu.

“A garganta das crianças começa a coçar e Kathleen tem um pouco de dificuldade para respirar. Os olhos de todos começam a arder. Seja o que for, não está vindo de nenhuma origem comum.” Ao chegar ao topo da colina, Ashley disse que o grupo encontrou uma “(...) grande massa brilhante que definitivamente não era um meteoro ou um avião.” Mas ela reconheceu que seus relatos sobre o objeto diferiram quando descreveram o que viram mais tarde.

E o avistamento logo se tornou ainda mais assustador quando um dos meninos, Jean, foi supostamente confrontado por um monstro enorme. “A quatro metros de distância, bem na frente de um enorme carvalho, há uma figura alta e escura, simplesmente flutuando”, Ashley continuou. “Tem forma humana, mas talvez o dobro da altura de uma pessoa, com algo escuro e pontudo no topo, quase como um capuz. Tem o rosto redondo e avermelhado, não tem nariz nem boca, mas tem olhos, ou pelo menos o que eles pensam que são olhos; são mais como buracos projetando raios de luz laranja esverdeada.” Em estado de choque, o grupo só começou a se mover quando o monstro “esguichou óleo” e começou a se mover em direção a eles.

Imediatamente, todo o grupo saiu correndo e continuou com dificuldade para respirar, com um membro passando tão mal que vomitou no banheiro. Eventualmente, Kathleen ligou para o xerife local, mas ele estava ocupado investigando outro relato de um objeto voador acidentado. Voltando à colina no dia seguinte com um fotojornalista, o grupo encontrou o local do acidente relatado vazio, sem nenhum sinal da nave ou monstro. No entanto, Ashley sugeriu que havia sinais de “(...) marcas de derrapagem, cerca de dois metros de distância”, onde o monstro estava supostamente de pé, bem como resíduos de óleo e grama achatada.


Ilustração da época do estranho ser visto pelas crianças e Kathleen.
Fonte: Daily Star

E o incidente aumentou quando, um mês depois, Kathleen supostamente recebeu uma carta do Pentágono. Ashley descreveu: “Ele contém uma imagem 5x7 de algo que se parece exatamente com o monstro e uma explicação. Dizem que na noite do avistamento, enviaram quatro foguetes experimentais. Um desapareceu e provavelmente foi o objeto que Kathleen e os meninos viram. Ele estava com problemas de óleo e tinha dois homens nele.”

“A carta não deixa claro o que realmente aconteceu com os passageiros. Presumo que o Pentágono pense que um dos homens era para ser o Monstro de Flatwoods, ou que um ou os dois morreram no acidente. Apesar de tudo, algo sobre a resposta simplesmente parece suspeito. Eles até pediram a Kathleen para manter tudo isso em segredo. E ela o fez; ela não contou a ninguém sobre a carta por anos.” Mas a apresentadora do podcast notou que a história já havia se espalhado e até hoje é feita referência ao “Monstro de Flatwoods” na área. Nos anos seguintes, Ashley explicou que várias teorias foram apresentadas sobre o que o grupo de crianças e Kathleen poderiam ter testemunhado naquela noite. E um artista de Nova York até mesmo ilustrou um esboço que foi amplamente distribuído, capturando a aparência do monstro com base na descrição de Kathleen.

Uma das sugestões possivelmente menos rebuscadas é que o grupo realmente encontrou uma coruja próxima ao local da queda de um meteorito. Ashley esclareceu: “A coruja pareceria alta empoleirada em uma árvore. E as testemunhas disseram que o Monstro de Flatwoods estava pairando bem na frente de uma árvore. Lembre-se de que estava escuro e todos já estavam nervosos. Eles já estavam brincando sobre discos voadores e invasões alienígenas. Seu subconsciente poderia ter transformado algo tão simples como uma coruja em um monstro satisfatório.” Mas duvidando da veracidade dessa afirmação, Ashley observou: “Corujas não esguicham óleo e, no que diz respeito ao UFO, não vejo como poderia ser apenas um meteoro, meteoros não brilham com luzes pulsantes ou cheiram como o queimar de máquinas ou se desintegram sem deixar vestígios.” Afinal, o que terá acontecido?

Fonte

Já está no ar a Edição 285 da Revista UFO. Aproveite!

Junho de 2021

Quando eles são hostis aos humanos