DESTAQUE

Qual seria a aparência da vida em outro planeta?

Por
04 de Junho de 2019
Ilustração micro-organismos
Créditos: Getty imagens

Pesquisadores da Universidade de Illinois dos Estados Unidos acreditam que organismos alienígenas possam ter uma aparência um tanto parecida com macarrão, ao invés de serem criaturas verdes como imaginado por muitos, escreve o Live Science.

Um grupo de pesquisadores norte-americanos acredita que formações com formas de macarrão podem ser as primeiras pistas de vida em outros planetas. Para entender qual seria a aparência de extraterrestres, pesquisadores analisaram águas geotermais ricas em minerais do Parque Nacional de Yellowstone.

"Se formos para outro planeta com um rover, amaríamos ver micróbios vivos ou então pequenos homens e mulheres verdes em uma espaçonave", afirmou o autor do estudo Bruce Fouke, que é geobiólogo da Universidade de Illinois em Urbana-Champaign, destacando que "a realidade é que vamos estar à procura de vida que estava provavelmente crescendo em uma fonte termal, vida que foi fossilizada". 

   

Esteiras microbianas nas fontes termais de Mammoth Springs em Yellowstone parecem com macarrão. Crédito: Bruce W. Fouke 
   
 

Os minerais precipitam da água, criando formações feitas de carbonato de cálcio, conhecidas como travertino, que, de acordo com Bruce, não ganham esse formato em vácuo, e, sim, parcialmente, graças a micróbios.

Águas aquecidas do Parque Nacional de Yellowstone, que chegam a atingir temperatura entre 65 e 72 gruas Celsius e com pH baixo de 6,2 a 6,8, sendo ela, assim, mais ácida do que básica, são o ponto central do estudo. A análise mostrou que 98% de microrganismos são Sulfurihydrogenibium yellowstonense.

Cuidadosamente e sem prejudicar a natureza, os pesquisadores coletaram amostras de fileiras de micróbios filamentosos que se desenvolvem nessas águas. As fileiras se parecem com macarrão. Cada fileira consiste em trilhões de células ligadas entre si.

Em água parada, no entanto, os micróbios formam esteiras mucosas soltas. Eles evoluíram há 2,5 mil milhões de anos, quando quase não havia oxigênio na atmosfera da Terra. Os seus vestígios de vida devem parecer pegadas longas e fossilizadas na superfície das pedras.

Portanto, tais formações podem servir como sinais da existência de organismos alienígenas no passado. De acordo com os cientistas, é muito provável que esses micróbios sejam semelhantes a qualquer outra vida que exista em outros planetas.

Fonte: Live Science

  

Veja Mais:

Pilotos da Marinha americana relatam seus encontros com UFOs

De acordo com cientistas, água teria origem extraterrestre

Primeiro agroglifo da temporada no Reino Unido apresenta sinais de fraude

Plano da NASA revelado: 37 aeronaves e um pouso lunar

Pentágono admite a investigação de UFOs

O que Bob Lazar tem em comum com o comportamento atual do Pentágono?

  

 

Já está no ar a Edição 268 da Revista UFO. Aproveite!

Maio de 2019

Jung e os UFOs

UPDATED CACHE