DESTAQUE

Proteína encontrada em meteorito pode confirmar a Panspermia

Por
02 de Março de 2020
Meteoro se aproximando da Terra
Créditos: Revista UFO

Pela primeira vez, os cientistas encontraram uma molécula de proteína completa em um meteorito. E eles têm certeza de que ela não veio da Terra.

Há uma teoria conhecida como Panspermia, cuja hipótese básica é a de que a vida foi semeada na Terra e em todo o universo por meio de chuvas de meteoritos que traziam em sua composição os elementos básicos para que a vida se desenvolvesse.

E, até onde nós sabemos por tudo aquilo que já foi estudado em nosso planeta, a vida sempre acha um caminho para prosperar, ainda que o ambiente seja extremamente inóspito. Porém, até hoje, ninguém realmente havia conseguido evidências de que a Panspermia é real. Mas isso talvez esteja para mudar.

 

Ligações químicas extraterrestres

Agora, uma equipe de pesquisadores da Universidade de Harvard e das empresas de biotecnologia PLEX Corporation e Bruker Scientific, encontrou moléculas de proteínas em um meteorito analisado em laboratório. O estudo foi publicado na plataforma Arxiv.org e ainda vai passar pela revisão de pares acadêmicos.

Proteínas são macromoléculas formadas a partir da ligação de aminoácidos. Essas substâncias desempenham tarefas essenciais para o funcionamento do corpo de seres vivos, desde a resposta a estímulos até a catalisação de reações químicas. 

 
Acfer 806. Crédito: Harvard University

Para detectar as proteínas, os pesquisadores expuseram o meteorito Acfer 806 à espectrometria de massas com ionização a laser. O resultado indicou a presença de estruturas de aminoácidos com resíduos de glicina e hidróxido de glicina ligados a átomos de ferro, junto com partículas de oxigênio e lítio.

De acordo com os pesquisadores, a composição das proteínas indica que as substâncias são de fato

 

Subtexto


Panspermia, a vida sendo semeada no universo.

O artigo reforça a hipótese de que impactos de meteoritos poderiam ter contribuído para o desenvolvimento da vida na Terra. É possível que algumas das moléculas e compostos necessários para a vida emergir e prosperar tenham chegado até aqui por meio de um bombardeio de rochas espaciais.

Isso não confirma que há vida extraterrestre e a pesquisa não determina de onde essa proteína sobrenatural veio ou como se formou, mas os cientistas estão confiantes de que ela não é terrestre.

O que isso implica, todos sabemos: a vida é semeada no universo de forma geral, então como floresceu aqui, pode ter florescido em outro lugar. E como se desenvolveu aqui, poder ter se desenvolvido em outro lugar. Talvez até muito antes do que na Terra, dando a essa suposta vida uma grande vantagem evolutiva. Isso, claro, não é dito. Isso é o subtexto.

Fontes: Olhar Digital, Futurism

Assista a um video sobre a Panspermia:

Já está no ar a Edição 257 da Revista UFO. Aproveite!

Abril de 2018

Nos limites da existência