DESTAQUE

Projeto Portal, um perigoso mundo de fantasia no qual seu líder, o ex-servente de pedreiro Urandir Fernandes de Oliveira, trata seus seguidores como imbecis

Por
06 de Junho de 2010
Por do Sol em Corguinho, localidade onde se situa a seita
Créditos: Panoramio.com

Causou indignação, risos e muita perplexidade a nota publicada no site do Projeto Portal a respeito do grande acontecimento realizado em Brasília, dia 20 passado, quando os ufólogos brasileiros foram recebidos ineditamente pela Aeronáutica e tiveram condições de discutir registros de UFOs e ver documentos oficiais. Da comissão tomaram parte os ufólogos Rafael Cury, Claudeir Covo, A. J. Gevaerd, Marco Petit, Fernando Ramalho e Roberto Affonso Beck. Eles foram convidados oficialmente para o encontro pela Força Aérea Brasileira (FAB). A nota publicada no site do Projeto Portal, no entanto, apresenta uma idéia absolutamente surrealista dos fatos, como se tivessem sido seus integrantes os convidados. Na verdade, eles foram “caroneiros” indesejados de um trabalho alheio, verdadeiros oportunistas. Mas antes de causar apenas indignação, a nota é motivo de grande preocupação, que deveria ser refletida na Comunidade Ufológica Brasileira. Ela mostra que seu líder, o ex-servente de pedreiro Urandir Fernandes de Oliveira, usou o trabalho dos ufólogos brasileiros para tentar obter algum benefício pessoal. Seu desespero para ter espaço na mídia o torna uma pessoa no mínimo digna de pena e um grande risco ao processo de aproximação entre militares e ufólogos.

A referida nota do Projeto Portal, entretanto, é apenas um exemplo de como as coisas são tratadas pelos dirigentes da instituição, que é alvo de variados tipos de investigação pela Polícia Federal, Receita Federal, saúde pública e fiscalização ambiental. O texto combina uma mistura de desinformação, distorção, invenção e inversão de fatos de tal ordem que, se aplicada a todo o conjunto de "ensinamentos" do citado líder, pode dar uma idéia clara de como são tratados como verdadeiros ignorantes os seguidores que regiamente sustentam a agremiação pagando suas taxas, seus aludidos cursos de contatos com aliens e comprando seus elixires de longa vida, cujas fórmulas teriam sido dada por ETs.

Num caso exemplar como esse, do contato dos ufólogos brasileiros com a Aeronáutica, iniciado através de um telefonema de um porta-voz da FAB à Revista UFO, pode se ver a extensão da desfaçatez dos referidos líderes. Oras, mesmo tendo o Brasil inteiro conhecimento de quem efetivamente lançou e realizou a campanha que resultou no encontro dos ufólogos com a FAB, mesmo tendo uma revista como a Istoé, com mais de meio milhão de exemplares semanais, amplamente divulgado em sua edição de 18 de maio quem realizou o esforço, e tendo o Fantástico, um dos programas de maior audiência do Brasil, mostrado a realidade da visita dos ufólogos em 20 de maio, os líderes do Projeto Portal, em sua nota, distorcem de maneira tão falaciosa as informações, para beneficiar-lhes, que chega a ser hilário. Será que eles imaginam que seus seguidores sejam tão estúpidos e mal-informados que venham a acreditar em sua falácia?

Fontes do próprio Projeto Portal informaram que Urandir não se envolveu na composição do texto, "por não ter recursos gramaticais nem intelectuais para tanto", sendo nesse ato amparado pelo sindicalista desempregado Clóvis Roque Xavier, seu mais novo associado e funcionário. Figura opaca da Ufologia Brasileira, sem qualquer realização de que se tenha notícia, partiu dele a idéia de pegar carona nos acontecimentos de Brasília e, com ajuda financeira de seu novo chefe, compareceram ambos ao encontro com os militares. O contato entre eles e os ufólogos foi humilhante para o líder do Projeto Portal, que se tivesse sido bem assessorado por Xavier, teria sido poupado.

Fernandes e Xavier ficaram mudos o tempo todo em que ocorreram os dois importantíssimos encontros com militares, tanto no Centro Integrado de Defesa Aérea e Controle de Tráfego Aéreo (Cindacta), quanto no Comando de Defesa Aeroespacial Brasileiro (Comdabra). “Feitos ‘papagaios de piratas\', sem nada a contribuir ou a acrescentar ao momento, que é resultado de uma conquista alheia, a todo custo tentaram aparecer nas fotos feitas pelas instituições militares, pela Revista UFO e pelo programa Fantástico”, declarou um integrante da Comissão Brasileira de Ufólogos (CBU). O Fantástico é o mesmo programa que, anos atrás, mostrou Urandir na cadeia após acusação de ter vendido – e por ele admitido – seis mil terrenos falsos. A dupla não fez uma só pergunta, não proferiu um só comentário, não manifestou uma só observação. Limitou-se a ver o que se passava, e a filmar o trabalho dos ufólogos com o intento, agora verificado de, mais uma vez, tirar proveito pessoal da situação.

Causou estranheza a nota do Projeto Portal até mesmo aos anfitriões militares do evento, pois o texto omite tudo o que era de importante a se declarar como o resultado do encontro, e distorce de maneira vergonhosa os fatos legítimos que lá ocorreram. A nota causa ainda mais apreensão quando se questiona por que agiu assim o líder do Projeto Portal. Seria apenas uma péssima assessoria prestada por seu novo funcionário? Seria uma decisão pessoal sua passar pela humilhação? Teria sido ele instruído por ETs para se submeter ao vexame?

A resposta é mais profunda do que parece. A verdade é que Urandir admite ter verdadeiro desprezo pela Ufologia Brasileira, que lhe virou as costas quando se constatou que tudo o que pronuncia sobre o tema carece da mais mínima comprovação. Demonstrou também, agora, ter desprezo por seu volumoso séqüito de seguidores, pessoas muitas vezes carentes e simplórias que doam, feito uma igreja ou seita, parte de seus rendimentos ao Projeto Portal, rendimentos esses nunca são contabilizados de maneira fiscal e transferidos para seu líder, que os emprega mal, em situações como essa, pagando passagens de avião e hospedagem em hotel para ser alvo de deboche. É amplamente sabido que milhares de pessoas entram e saem de seu Projeto a cada ano, e que muito poucos ficam. A maioria se sente iludida com promessas de salvação por ETs que jamais acontecem, com contatos com supostos interdimensionais, outra fantasia comprovada, e com curas de doenças que nunca se confirmam e estão sempre convenientemente sendo adiadas ou maquiadas. O chamado contato final com ETs, que Fernandes apregoa há quase uma década, já foi adiado mais de 20 vezes com as mais curiosas desculpas. Nem mesmo o fato, por ele alegado, de que é o único ser humano convidado a representar a Terra num encontro com outras raças siderais, ao lado do próprio Jesus Cristo, o deram a capacidade de acertar na data da chegada daqueles que Fernandes chama de seus irmãos cósmicos...

A julgar pela forma como o líder permitiu que a mencionada nota fosse publicada em seu Portal, ele mais uma vez demonstrou tratar seus próprios seguidores, que o sustentam, como se fossem retardados e sem a menor condição de verem a realidade, tão esmagadoramente conhecida de todos. Manobras como essas, aliás, fazem parte história de Urandir e sua trajetória de sucesso no showbizz, onde se apresenta nos programas mais populares e apelativos da TV, dos quais constantemente sai arranhado por seus apresentadores, sem realizar uma única das tantas proezas que alega ser capaz de fazer. A situação fica ainda mais grave quando se examina o verdadeiro intento dos líderes do Projeto Portal. Tanto na carona que pegaram com os ufólogos nas visitas às instalações da FAB, tanto quando tentam a todo custo tirar algum proveito a partir do trabalho alheio, em benefício próprio. É que a ação da entidade pode rapidamente pôr a perder as esperanças de ver a FAB revelar seus documentos, anseio de toda a Comunidade Ufológica Brasileira. Urandir, com seus atos oportunistas, está permitindo que seus assessores coloquem em perigo uma grande conquista de todos. Aparentemente, ele não se preocupa com as conseqüências.

Entre seus assessores estão pessoas que nutrem idêntico desprezo pela Ufologia Brasileira e uma visível inveja do sucesso alheio, e sequer a tentam disfarçar, engajando-se em manobras escusas como as relatadas. De seus mais novos assessores, Xavier, owner do site UFO-Gênesis, é reconhecidamente o maior copiador de textos ufológicos do Brasil, publicando em seu site, sem crédito aos verdadeiros autores, o que acha conveniente se apropriar do trabalho alheio. Não tem a menor noção do que seja a expressão "direito intelectual de obra original", razão pela qual responde na Justiça a processos criminais.Por fim, ainda não que fosse certa a presença de Fernandes e seu escudeiro Xavier no encontro em Brasília, pois não se acreditava em tamanho oportunismo, um dossiê a respeito dos referidos senhores fora encaminhado, após os encontros com a FAB, às autoridades responsáveis brasileiras, inclusive sobre o tempo de cadeia do primeiro e a forma como conseguiu inocentar-se de suas acusações, com interessantes testemunhos de pessoas que acompanharam de perto os fatos.

Agora, é torcer para que esses senhores tenham o bom senso de voltarem às suas vidas pessoais e cuidar de seus afazeres, deixando a Ufologia séria desse país seguir seu rumo, como sempre o fez, com atitudes esforçadas como essa que resultou no encontro com a FAB, oportunisticamente aproveitada por Fernandes e Xavier. É torcer para que sua nota no site do Projeto Portal e outras igualmente irresponsáveis atitudes não venham a anular o trabalho sério dos ufólogos brasileiros, que querem, ao contrário dos líderes do Projeto Portal, avançar na questão ufológica de maneira clara e consistente.(*) Como esclarecimento adicional, informamos que Urandir Fernandes de Oliveira teve apenas essa ocupação profissional em sua vida, a de ex-servente de pedreiro. Nunca desenvolveu outra atividade antes de virar "escolhido de ETs", apesar de ter-se apresentado centenas de vezes em eventos que promover como "engenheiro com especialização em minas".