DESTAQUE

Programa Brasil Urgente, apresentado por José Luiz Datena, filma suposto UFO sobre São Paulo

Por
19 de Fevereiro de 2021
Datena foi surpreendido por objeto voador não-identificado, que cruzou o céu nublado de São Paulo durante transmissão ao vivo.
Créditos: Programa Brasil Urgente/Rede Bandeirantes

Uma transmissão ao vivo do programa Brasil Urgente, da Band, feita no dia 16 de fevereiro, está dando o que falar. Na imagem obtida a partir de um helicóptero que mostrava o céu escuro e chuvas na capital paulista, em determinado momento cruza a tela um estranho objeto voador não identificado. A partir de então começaram a surgir nas redes sociais pessoas dizendo que o artefato seria um disco voador, uma nave extraterrestre ou de outra dimensão e muitas outras coisas.

Por Thiago L. Ticchetti, coeditor da Revista UFO

O registro, feito sobre a zona sul de São Paulo, por volta das 17h50 daquele dia, chamou a atenção até mesmo do apresentador José Luiz Datena, que estava conversando por telefone com o engenheiro Hassan Barakat, do Centro de Gerenciamento de Emergências Climáticas de São Paulo, a respeito das chuvas, e com o capitão André Elias, do Corpo de Bombeiros. “Olha o avião passando lá. É avião ou disco voador. Não pode ser disco voador porque quando o programa começa a falar de disco voador é porque está no fim, já já sai do ar. Então não é disco voador, é avião”, disse o apresentador.


Momento em que o suposto UFO cruza os céus de São Paulo durante a transmissão ao vivo da Rede Bandeirantes.
Fonte: Programa Brasil Urgente/Rede Bandeirantes

O que se sabe até agora?

O vídeo foi mostrado para pilotos civis e militares reunidos no grupo de Aeronautas da Revista UFO no WhatsApp. Entre as possíveis explicações está a de que seria um avião de pequeno de porte decolando ou pousando do Campo de Marte, aeroporto localizado no bairro de Santana, zona norte da cidade de São Paulo. Hoje esse aeroporto não conta mais com linhas comerciais regulares, predominando o tráfego de helicópteros e aviões de pequeno porte, a denominada aviação geral. Entretanto, pela velocidade do objeto, alguns estudiosos discordaram da explicação.

Surgiram estimativas de que o artefato estivesse a velocidade próxima de 800 metros por segundo, ou seja, 2.280 km/h, duas vezes a velocidade do som. Mas, segundo os pilotos consultados, mesmo naquela altitude teria estourado janelas de vidros de vários prédios. “Já circulam pela internet as mais tresloucadas explicações, levianamente atribuindo a natureza do objeto a um disco voador”, afirmou o editor da Revista UFO A. J. Gevaerd.

Em busca de respostas

Levantou-se então, com base na presumida velocidade do aparelho, que fosse um avião de caça, um F-5, que faz manutenção no Campo de Marte. Porém, devido ao comprimento restrito daquela pista, eles pousam em Guarulhos e após serem desmontados são transferidos via terrestre para lá. Além disso, o caça tem uma coloração esverdeada, algo que se notaria nas imagens.


Uma das teorias é a de que fosse um caça F-5, da Força Aérea Brasileira. Mas a coloração distinta seria identificável.
Fonte: FAB

Outra possibilidade contemplada é a de que seria um jato Legacy, avião compacto, mas bem rápido. Consultando-se o aplicativo Flight Radar, há o registro naquele dia, hora e local, de um Embraer Phenom 300. Mas, segundo um piloto privado consultado por este autor, o Campo de Marte restringe operações a aeronaves com certa envergadura devido à largura mais estreita de suas pistas de taxiamento. Os Legacy 600 e 650, por exemplo, sofrem com essa restrição. E quanto ao Flight Radar, ele não registra todo o tráfego quando está a menos de 3.000 pés de altitude, ou cerca de 1.000m.


Aplicativo Flight Radar identificou uma aeronave na mesma data, hora e local. Mas a altitude e envergadura a excluiriam da cena.
Fonte: Flight Radar

Objeto voador não identificado não é nave extraterrestre

Uma possível outra explicação, a que está sendo a mais aceita entre os aeronautas consultados, é a de que se trata de um helicóptero Dauphin. Este modelo de aeronave tem uma característica peculiar, que é o Fenestron, ou seja, o rotor de cauda, que é patenteado e exclusivo deste fabricante. Em alguns vídeos com alta resolução é possível notar esse detalhe da cauda no final da imagem e também que a aeronave tem uma pintura bicolor, parecendo que tem o dorso azul ou preto. A sua velocidade, entre 260-280 km/h, é compatível com a apresentada no vídeo.


Há quem sugira que o objeto pudesse ter sido um helicóptero Dauphin.
Fonte: Lucas Gabardo Michalzechen/airliners.net

Além disso, ainda segundo especialistas consultados, na imagem é possível ver ao fundo a Serra do Mar, podendo assim se estimar que a aeronave está com proa (indo na direção) de Sorocaba ou Jundiaí, rotas bem comuns para helicópteros.

Mas o que temos é que até o momento ainda não se tem certeza do que seria o objeto, mas tudo leva a crer que seja realmente uma aeronave terrestre, ou seja, um avião ou helicóptero. O Grupo de Análises da Revista UFO continuará seus exames das imagens na busca de uma resposta. E, caso não consigamos descobrir o que era aquela artefato, ele será considerado um objeto voador não identificado, o que não significa que é uma nave extraterrestre.

Já está no ar a Edição 282 da Revista UFO. Aproveite!

Janeiro de 2021

Sondas em ação no interior do país