DESTAQUE

Polêmica envolve Robert Hastings e a Mufon

Por
06 de Agosto de 2015
A entrada da Base Warren da USAF, onde mísseis nucleares foram desativados durante o avistamento de um UFO
Créditos: Arquivo

A série Hangar 1 é uma produção do The History Channel, já em sua segunda temporada, produzida em parceria com a Rede Mútua de UFOs, a MUfon, maior entidade de pesquisa ufológica norte-americana. Infelizmente, entretanto, boa parte dos ufólogos sérios dos Estados Unidos têm alertado que o show se dedica mais ao sensacionalismo e revelações surpreendentes, mesmo que vindas de fontes duvidosas, que à apuração precisa de fatos.

No episódio de estreia da série, em 2014, foi analisado o caso envolvendo o desligamento de mísseis na Base Warren da Força Aérea Norte-Americana (USAF), próximo a Cheyenne, Wyoming. Em outubro de 2010 50 mísseis ficaram offline, er a explicação era que o Esquadrão 319 de Mísseis Estratégicos havia sofrido um breve problema nos computadores. Robert Hastings, maior especialista do mundo em casos envolvendo UFOs e instalações nucleares, investigou o caso. A USAF emitiu um comunicado afirmando que as armas ficaram inoperantes por somente uma hora, mas Hastings teve contato com pessoal da base, que confirmou que o problema se estendeu por quase 26 horas.

Coincidentemente, o caso ocorreu um mês após Robert Hastings ter levado doze veteranos da Força Aérea para apresentar seus depoimentos no National Press Club em Washington, evento que chegou a ser transmitido ao vivo pela CNN. O pesquisador igualmente localizou testemunhas, entre civis e policiais, que observaram atividade ufológica próximo a Base Warren exatamente durante o período em que os mísseis ficaram inoperantes. As descrições coincidiam em termos de um grande objeto com formato de charuto. Em 2011 Hastings, autor de Terra Vigiada, um dos maiores sucessos da Biblioteca UFO, publicou em seu blog o que descobriu, e concordou em colaborar com um boletim, o Mufon Journal, em 2013

POLÊMICA

Robert Hastings está produzindo seu próprio documentário a respeito de casos de UFOs relacionados a locais de produção de energia nuclear, e também ligados a problemas técnicos em bases militares dotadas de armas atômicas. Por isso, o pesquisador ficou muito desapontado ao constatar que seu artigo no boletim da Mufon serviu para elaborar parte do roteiro de um dos episódios de Hangar 1, e sem que seu envolvimento fosse creditado. Pior, no episódio o próprio diretor executivo da Mufon, Jan Harzan, aparecia afirmando o seguinte: "Dois técnicos em mísseis contataram a Mufon de forma anônima e informaram sobre objetos vistos antes e durante o desligamento dos mísseis".

crédito: Arquivo
Robert Hastings no evento no National Press Club
Robert Hastings no evento no National Press Club

O pesquisador chegou a afirmar que concordava, diante de tais fatos lamentáveis, com a opinião de um debunker, Jason Colavito, que afirmou ter a Mufon apresentado documentos fraudulentos a fim de que a série pareça mais séria e oficial. Robert Hastings afirmou: "Essa é a forma como eles afundam cada vez mais, dizendo que tudo vem dos arquivos de casos da Mufon, e não me dando o crédito devido por apurar as informações. Legalmente, penso ter o direito de contatar um advogado e exigir meus direitos intelectuais". Harzan respondeu que de fato Hastings deveria ter recebido crédito, porém disse que as informações foram passadas á companhia produtora da série, e no texto não está escrito que o pesquisador não é membro da Mufon. O diretor se desculpou, porém lamentavelmente não é o primeiro incidente que afeta a credibilidade da maior instituição ufológica norte-americana, cada vez mais criticada por buscar lucros com sensacionalismo.

Confira o primeiro episódio de Hangar 1

Confira no site de Robert Hastings a descrição do incidente na Base Warren

Como foi a Conferência de Imprensa no National Press Club

Todas as palestras e depoimentos do National Press Club já estão disponíveis

Robert Salas é entrevistado por Wilson Picler

Brasil e América do Sul nas Audiências Públicas sobre Abertura

Declaração final das Audiências Públicas sobre Abertura

Saiba mais:

Livro: Terra Vigiada

crédito: Revista UFO
Terra Vigiada
Terra Vigiada

Terra Vigiada não é um livro comum, mas um verdadeiro dossiê fartamente documentado que comprova que inteligências extraterrestres observam e monitoram nossos arsenais atômicos. O livro contém dezenas de depoimentos prestados por militares norte-americanos que testemunharam a manifestação de discos voadores sobre áreas de testes nucleares, nas décadas de 40 a 70, comprovando que outras espécies cósmicas mantêm nossas atividades bélicas sob severa e contínua vigilância. Hastings vai mais além e mostra em Terra Vigiada que não é incomum discos voadores interferirem nos experimentos de lançamento, muitas vezes inutilizando as ogivas nucleares a serem detonadas, ou sobrevoarem silos de mísseis armados.

DVD: Pacote Produções de James Fox

Já está no ar a Edição 206 da Revista UFO. Aproveite!

Dezembro de 2013

Somos vigiados por seres extraterrestres?