DESTAQUE

Pela primeira vez na história cientistas conseguem fotografar outro sistema estelar

Por
22 de Julho de 2020
sistema estelar concepção artística
Créditos: Divulgação

Pela primeira vez na história, os astrônomos fotografaram diretamente vários planetas orbitando uma estrela parecida com o Sol. Os planetas são enormes com 14 e 16 vezes a massa de Júpiter.

 O Very Large Telescope do Observatório Europeu do Sul (VLT), no Chile, fotografou dois planetas gigantes circulando a estrela TYC 8998-760-1, um análogo muito jovem de nosso próprio Sol, a cerca de 300 anos-luz da Terra, informa um novo estudo.

"Essa descoberta é um instantâneo de um ambiente muito semelhante ao nosso sistema solar , mas em um estágio muito inicial de sua evolução", disse o autor principal do estudo Alexander Bohn, estudante de doutorado na Universidade de Leiden, na Holanda. 

Antes de esse retrato cósmico histórico, apenas dois sistemas multi-planetários haviam sido fotografados diretamente, e nenhum deles apresenta uma estrela parecida com o Sol, disseram os membros da equipe de estudo. 

 

Uma fotografia histórica


A histórica fotografia, com as setas apontando os planetas. Os outros pontos luminosos
são estrelas distantes. Crédito: ESO

"Embora os astrônomos tenham detectado indiretamente milhares de planetas em nossa galáxia, apenas uma pequena fração desses exoplanetas foi fotografada diretamente", disse o coautor do estudo Matthew Kenworthy, professor associado da Universidade de Leiden, no mesmo comunicado.

Bohn, Kenworthy e seus colegas estudaram a estrela TYC 8998-760-1, que tem cerca de 17 milhões de anos, com o instrumento de Pesquisa em Exoplaneta Espectro-Polarimétrico de Alto Contraste do VLT, ou Sphere.

O equipamento usa um dispositivo chamado coronógrafo para bloquear a luz ofuscante de uma estrela, permitindo que os astrônomos vejam e estudem planetas em órbita que de outra forma não seriam vistos.

As novas imagens do Sphere revelaram dois planetas no sistema, TYC 8998-760-1b e TYC 8998-760-1c. Os astrônomos já conheciam o TYC 8998-760-1b desde o ano passado, mas o TYC 8998-760-1c é um mundo recém-descoberto.

 

Muitas perguntas no ar


Os cientistas agora esperam por novos equipamentos para explorar melhor o sistema.
Crédito a imagem: Revista UFO

Os dois planetas são enormes e distantes. O TYC 8998-760-1b é cerca de 14 vezes mais massivo do que Júpiter e orbita a uma distância média de 160 unidades astronômicas (AU), e o TYC 8998-760-1c é seis vezes mais pesado do que Júpiter e fica a cerca de 320 AU da estrela anfitriã.

Lembrando, uma UA é a distância média entre o Sol e a Terra - cerca de 150 milhões de km. Para comparação, Júpiter e Saturno orbitam nosso Sol em apenas 5 UA e 10 UA, respectivamente.

Não está claro se os dois mundos se formaram em seus locais atuais ou foram empurrados para fora de alguma forma. Outras observações, incluindo as feitas por enormes observatórios como o futurp Telescópio Europeu Extremamente Grande (ELT), podem ajudar a resolver esse mistério, disseram os membros da equipe de estudo.

Outras questões permanecem como por exemplo, se os dois gigantes de gás têm companhia. Vários planetas rochosos podem circular relativamente perto da estrela, como em nosso Sistema Solar. 

"A possibilidade de que futuros instrumentos, como os disponíveis no ELT, sejam capazes de detectar planetas de menor massa ao redor desta estrela, marca um marco importante na compreensão de sistemas multiplanetários, com possíveis implicações para a história de nosso próprio Sistema Solar". Disse Bohn. 

novo estudo foi publicado on-line hoje (22 de julho) no The Astrophysical Journal Letters.

 

Fonte: Space.com 

Assista, abaixo, um video sobre a nova descoberta:

Já está no ar a Edição 278 da Revista UFO. Aproveite!

Março de 2020

Miscigenação com aliens