DESTAQUE

Parte da água da Terra veio do Sol, sugere novo estudo

Por
04 de Dezembro de 2021
Nova teoria para origem da água na Terra inclui os ventos solares.
Créditos: NASA

O vento solar, composto de partículas solares constituídas em grande parte por íons de hidrogênio, criou água na superfície de grãos de poeira carregados por asteroides que se chocaram contra a Terra primitiva, de acordo com um artigo publicado na revista Nature Astronomy.

O professor Phil Bland, diretor do Centro de Ciência e Tecnologia Espacial da Curtin University, disse: “A Terra é muito rica em água em comparação com outros planetas rochosos do sistema solar, com oceanos cobrindo mais de 70% de sua superfície, e os cientistas há muito se questionam sobre a origem exata de tudo isso. Uma teoria existente é que a água foi transportada para a Terra nos estágios finais de sua formação em asteroides do tipo C.”

“No entanto, testes anteriores da ‘impressão digital’ isotópica desses asteroides descobriram que, em média, não correspondiam à água encontrada na Terra, o que significa que havia pelo menos uma outra fonte não explicada. Nossa pesquisa sugere que o vento solar criou água na superfície de pequenos grãos de poeira e essa água isotopicamente mais leve provavelmente forneceu o restante da água da Terra.”

Usando tomografia de sonda atômica, Bland e colegas analisaram um grão de olivina do asteroide Itokawa tipo S, próximo à Terra, cujas amostras foram coletadas pela espaçonave Hayabusa, da JAXA, e retornaram à Terra em 2010. Bland disse: “Nosso sistema de tomografia de sonda atômica de classe mundial nos permitiu dar uma olhada incrivelmente detalhada dentro dos primeiros 50nm ou mais da superfície dos grãos de poeira do Itokawa, que descobrimos conter água suficiente que, se aumentada, totalizaria cerca de 20L para cada metro cúbico de rocha.”


A partir do novo estudo, astronautas poderiam viajar para outros orbes sem se preocuparem em levar água.
Fonte: iStock

A professora Michelle Thompson, pesquisadora do Departamento de Ciências da Terra, Atmosféricas e Planetárias da Universidade Purdue, disse: “É o tipo de medição que simplesmente não teria sido possível sem essa tecnologia notável. Isso nos dá uma visão extraordinária de como pequenas partículas de poeira flutuando no espaço podem nos ajudar a equilibrar a balança sobre a composição isotópica da água da Terra e nos dar novas pistas para ajudar a resolver o mistério de sua origem.”

O doutor Luke Daly, pesquisador da Escola de Geografia e Ciências da Terra, da Universidade de Glasgow, disse: “Nossa pesquisa não só dá aos cientistas uma visão notável da fonte passada de água da Terra, mas também pode ajudar em futuras missões espaciais. O modo como os astronautas conseguiriam água suficiente, sem carregar suprimentos, é uma das barreiras da futura exploração espacial.”

“Esse estudo mostra que o mesmo processo de intemperismo espacial que criou água no Itokawa provavelmente ocorreu em outros planetas sem ar, o que significa que os astronautas podem ser capazes de processar novos suprimentos de água direto da poeira na superfície de um planeta ou satélite, como a Lua.”

Fonte

Já está no ar a Edição 285 da Revista UFO. Aproveite!

Junho de 2021

Quando eles são hostis aos humanos