DESTAQUE

O teste de polígrafo de Bob Lazar e o começo de uma história que mudou a Ufologia

Por
04 de Maio de 2020
Área 51 e seus segredos
Créditos: KLAS TV

Há 30 anos, no final de abril de 1990, a KLAS-TV iniciou uma série de investigações em oito partes sobre o estranho mundo das conspirações envolvendo UFOs. Uma das entrevistas em destaque foi com um especialista em polígrafo chamado Terry Tavernetti, que realizou um teste no denunciante Bob Lazar. Recentemente, o site Mystery Wire localizou Tavernetti para ver se sua opinião mudou.

 Ele era um policial de longa data que se viu no meio de uma das maiores histórias de conspiração envolvendo UFOs de todos os tempos, aquela que colocou a Área 51 no mapa.

Seu nome é Terry Tavernetti, e ele que passou anos como policial no sul da Califórnia, antes de trabalhar na segurança corporativa de um grande hotel de Las Vegas. 

Em sua profissão, conduziu milhares de testes de polígrafo para avaliar os funcionários do cassino e foi considerado um dos melhores do mercado nesse ofício.

Depois, ele testou um homem chamado Bob Lazar, que contava uma estranha história sobre te trabalhado em discos voadores em uma instalação secreta chamada S-4, adjacente à Área 51. Tavernetti ainda tem os gráficos e a máquina desse teste, 30 anos depois.

 

Bob Lazar

 
Bob Lazar Crédito: KLAS TV

Perguntado recentemente acredita que Lazar estava realmente dizendo a verdade, sua resposta foi um sim, simples e firme. Tavernetti não usa mais seu poligrafo e confessou que jamais imaginou que ele e seu detector de mentiras poderiam ser atraídos para um dos casos de UFOs mais controversos de todos os tempos. 

Bob Lazar contou sua história publicamente pela primeira vez em 1989. Suas alegações sobre o trabalho em discos voadores em uma instalação escondida perto da Área 51 desencadearam uma série de histórias que continuam até hoje.

Na ocasião, pedido da KLAS TV, Lazar concordou em fazer um teste de polígrafo. O primeiro teste mostrou-se inconclusivo. O examinador, que não era Terry Tavernetti, achou que Lazar estava tão nervoso que era difícil obter uma leitura precisa dele. 

Foi quando Tavernetti foi recomendado. Ele questionou Lazar sobre as alegações centrais: se ele tinha visto um disco voador em uma base chamada S-4 e se a nave era movida por um reator de antimatéria e gerava sua própria gravidade. 

Para surpresa de Tavernetti, Lazar passou.

“Meus pensamentos pessoais, a entrevista pré-teste de três horas e meia, o teste em si, a entrevista pós-teste, não mostraram absolutamente nada para desviar meu pensamento de que Bob sempre foi sincero”, disse o ex-policial em 1990.

 

Agências sem nome

 
George Knapp e Terry Tavernetti, à esquerda.
Crédito: KLAS TV

Tavernetti não era um sujeito ligado a UFOs. Nunca havia poligrafado alguém sobre o assunto e não tinha posição formada sobre o assunto.

Mas 30 anos depois, ele ainda se lembra do que estava passando em sua mente durante o teste, quando parecia que Lazar estava sendo sincero. Ele nos disse que o que estava ouvindo era inacreditável, mas, na opinião dele, sua máquina de polígrafo não mente.

Depois que a primeira notícia foi ao ar na TV KLAS-TV sobre o teste de Tavernetti, duas coisas estranhas aconteceram. Ele diz que a primeira foi ser chamado por seu empregador por causa de um telefonema de uma agência federal sem nome. 

"Os escritórios corporativos, onde estava empregado, receberam um telefonema de uma agência governamental, querendo saber por que eu estava me envolvendo em algo que não deveria estar", disse Tavernetti. 

O ex-policial nunca descobriu que agência governamental chamara seu empregador. Ele disse que houve uma investigação interna, mas que ele nunca foi repreendido por suas ações. 

 

Invasão de domicílio

 
Foto panorâmica da Aárea 51 Crédito: Gabriel Zeifman

A segunda coisa aconteceu dois meses depois que a história foi ao ar. Houve uma invasão em sua casa. Tavernetti acredita que quem quer que seja, estava tentando roubar as cartas do teste de Lazar. Mas ele fez cópias de tudo. 

Ele até os compartilhou com os colegas para ver se eles concordavam com a opinião dele. Dois deles fizeram, outro sugeriu que deveria haver mais testes.

Tavernetti admite que os polígrafos não são infalíveis, mas são amplamente utilizados pela polícia e pelos empregadores como ferramentas úteis.

Ele não se arrepende de ter sido atraído pela saga de Bob Lazar e diz que a experiência causou uma mudança permanente na maneira como ele vê a questão dos UFOS. “Ao longo dos anos, minha crença oscilou e agora cheguei ao ponto de, por que não?”. Tavernetti se aposentou e vive em Las Vegas, no estado de Nevada.

 Se você quiser ver mais sobre o polígrafo da Área 51 de Bob Lazar, além de uma série investigativa maciça que não é vista há 30 anos, você pode conferir o documentário de 1990 chamado UFOs: The Best Evidence, totalmente legandado, um dos melhores já feitos sobre o assunto, logo abaixo.

 Fonte: Mystery Wire  

Assista, abaixo, a entrevista de George Knapp com o técnico polígrafo Terry Tavernetti:

 

Já está no ar a Edição 276 da Revista UFO. Aproveite!

Janeiro de 2020

A Ufologia e seus demônios