DESTAQUE

“O programa SETI da China encontrará vida alienígena primeiro”, afirma astrônomo chinês

Por
29 de Janeiro de 2021
O FAST, também chamado de “olho da China no céu”, está localizado na província de Guizhou, no sudoeste da China.
Créditos: FAST Team/Divulgação

A busca por inteligência extraterrestre tem sido uma corrida lenta e constante por muitos e muitos anos. Desde o acidente que danificou o observatório do SETI, a China agora opera o maior e mais poderoso radiotelescópio de antena única do mundo. Zhang Tongjie, professor de cosmologia da Universidade Normal de Pequim, acredita que a China pode ser a primeira a encontrar uma transmissão alienígena.

Devido a um forte tabu a respeito de vida fora da Terra, o professor Zhang Tongjie teve que pressionar incansavelmente as autoridades chinesas para ter acesso ao FAST para sua própria pesquisa. Antes de Zhang, nenhum astrônomo chinês havia tentado pesquisar por inteligência extraterrestre por causa do estigma por trás do assunto. Só recentemente ele conseguiu usar o telescópio por meio da associação dos Observatórios Astronômicos Nacionais.

Inicialmente, Zhang e seus alunos tiveram que conduzir suas observações no FAST enquanto o telescópio observava outros alvos, não permitindo que ele escolhesse as áreas que desejava, e com um limite de tempo de 17.5 horas semanais. Mas depois de colaborar com Dan Werthimer - chefe cientista do Centro de Pesquisas SETI [Search for Extraterrestrial Inteligence – Busca por Inteligência Extraterrestre] e cofundador do projeto [email protected] - e seus alunos em um artigo publicado no Astrophysical Journal, as autoridades chinesas eventualmente deram a Zhang uma agenda fixa com o telescópio para selecionar sistemas solares específicos que ele e seus colaboradores acreditassem poder abrigar vida inteligente.

Nos próximos meses, o telescópio será treinado nas coordenadas fornecidas por Zhang. A comunidade que busca por vida inteligente tem se concentrado fortemente em encontrar sinais de rádio não naturais. A dura realidade é que eles ainda não acharam nada substancialmente fora do comum que indicasse tecnologia alienígena. Zhang espera que, com o poder do telescópio FAST, eles tenham uma chance melhor. “Nosso telescópio é capaz de identificar e observar muitos sistemas solares que outros não conseguem”, disse Zhang. “E muitos deles têm os ingredientes para uma vida emergente. Se estiver lá fora, provavelmente seremos os primeiros a encontrá-la.”

O tempo está passando, e o período de Zhang com o FAST ainda não resultou em nenhum sinal notável. Mas ele não está desistindo. “Eu vou continuar a solicitar mais tempo de observação com o telescópio”, disse ele ao site The Debrief. Enquanto isso, Werthimer continua seu trabalho no Centro de Pesquisas SETI, remodelando continuamente os métodos e teorias sobre como procurar sinais no espaço que possam representar uma inteligência extraterrestre. “É difícil prever como seria um sinal de outra civilização. Se você tivesse me perguntado há 200 anos, eu teria dito ‘sinais de fumaça’”, afirmou Werthimer. “Nós só temos rádio há 100 anos e lasers há cerca de 60 anos, nos quatro bilhões de anos de história da vida em nosso planeta.”


O professor Zhang Tongjie espera encontrar sinais de rádio provenientes de formas de vida extraterrestres inteligentes.
Fonte: Ye Ruolin/Sixth Tone

Conforme relatado anteriormente pelo The Debrief, as tecnoassinaturas desempenham um grande papel no avanço da ciência e nas abordagens para a busca de tecnologia extraterrestre, não dependendo inteiramente de apenas sinais de rádio. Como o potencial para inteligência artificial e aprendizado de máquina continua a avançar, o Centro de Pesquisas SETI reuniu algumas das mentes mais brilhantes do mundo para trazerem seus conhecimentos sobre tecnologias para a busca por extraterrestres.

Mas e se o FAST encontrasse um sinal potencial? Como o governo chinês reagiria? Eles conteriam as informações e não as tornariam públicas para a comunidade científica global? A China poderia agir unilateralmente sobre a mensagem e ser o primeiro e único contato com esta civilização em potencial?

No entanto, essas preocupações parecem vir da paranoia sobre as atuais tensões políticas entre a China e os Estados Unidos. A relação de trabalho entre Zhang e Werthimer, e que o FAST está disponível para a comunidade astronômica global, indicam que qualquer descoberta provavelmente se tornaria pública. A ambição de Zhang pode fazer com que a China seja a primeira nação a descobrir uma mensagem extraterrestre, mas a corrida é longa. Independentemente disso, esperamos que seja uma vitória compartilhada.

Fonte

UFO Recomenda

Já está no ar a Edição 265 da Revista UFO. Aproveite!

Fevereiro de 2019

O enigma das sondas