DESTAQUE

O preço da ascensão: o que os teóricos da conspiração andam fazendo em nome da Ufologia - III

Por
01 de Junho de 2020
Teorias conspiratórias, UFOs e a salvação da alma
Créditos: Newsweek

Vivemos tempos difíceis, com a doença e a morte sendo noticias todos os dias aos milhares ao redor do planeta. Há quarentenas e em alguns locais as pessoas estão trancadas em lockdowns sem tempo para terminar. Isso gera medo. E o medo é justamente o terreno dos teóricos da conspiração, que agora vendem a salvação a preços módicos. Cuidado

No artigo passado, que você pode ler aqui, contamos a história de Stina Ferrante, uma mulher que em um difícil momento da vida acabou se juntando ao culto de Wilcock e Goode e se viu presa de suas artimanhas. Quando quis sair e começou a denunciar os dois, ela descobriu o tamanho do problema que havia arrumado para si. Agora publicamos a última parte dessa importante investigação.

Ferrante disse que descobriu que Wilcock comprou uma casa de fazenda e uma propriedade de quase 30.000 m2, no Colorado, no ano passado por pouco mais de USD 1,2 milhão de dólares.

O site Motherboard conseguiu confirmar que Wilcock possui uma propriedade neste valor, e de acordo com a biografia de Wilcock, em seu próprio site, ele também reside na Califórnia e sempre declara nas redes sociais que vai tirar um ano sabático no Canadá.

Depois de sua descoberta, Ferrante recebeu uma carta de cessação e desistência, sofrendo ameaças de ação legal por parte de Wilcock e seu advogado, alegando que os vídeos dela eram considerados como "perseguição cibernética", difamatórios, e uma forma de assédio.

Benjamin Zavodnick, advogado e YouTuber que trabalha com C.W. Chanter, postou vários vídeos em seu canal questionando as histórias de Wilcock e Goode.

Ele também recebeu uma carta ameaçadora de cessação e desistência do mesmo advogado, representando Goode, fazendo alegações semelhantes às da carta de cessação e desistência de Ferrante.

O Motherboard pediu que Wilcock comentasse sobre seus ensinamentos espirituais e se ele se considerava um líder religioso. O Motherboard também procurou Goode, assim como pessoas associadas a eles, e recebeu dois e-mails extensos e ameaçadores de uma advogada da Flórida, chamada Liz Lorie.

As duas cartas de cessação e desistência alegaram que Wilcock era o alvo de uma conspiração maciça para difamá-lo, e que ele foi ameaçado fisicamente.

"Esse é um assunto muito sério, com implicações potencialmente históricas na comunidade ufológica", escreveu Liz Lorie.

Além disso, a advogada ameaçou entrar com uma ação legal contra o VICE se fosse escrito um artigo que se referisse a ele como "líder de culto" ou "líder espiritual", afirmando que o site seria implicado como "co-conspirador" em qualquer processo judicial.

O mais estranho da carta pode ter sido a alegação de que a VICE Media estava envolvida em uma complexa conspiração para difamar Wilcock e Goode. Nomeado na carta como co-conspiradores estavam Jimmy Church, radialista com um programa de temática paranormal, no o autor deste artigo compareceu em abril de 2019 para promover seu livro, uma empresa de promoção de mídia social, que o autor contratos para ajudar na promoção do livro e vários usuários do Twitter. A alegação é ridícula, mas alinhada com as mensagens.

 

Dinheiro para o Guerreiro de Luz


David Wilcock Credito: YouTube

 Em março deste ano, Goode lançou oficialmente um site promovendo o Light Warrior Legal Fund [Fundo Legal do Guerreiro da Luz], pedindo doações para ajudá-lo.

Segundo o site, ele "fora incansavelmente atacado, assediado, difamado, perseguido e ameaçado por aqueles no poder que desejam desesperadamente silenciá-lo, à medida que lentamente perdem seu domínio sobre a humanidade e nosso amado planeta".

O site afirma que, desde que foi a público, ele "expôs a cabala brutal e gananciosa que controla nosso planeta e seus crimes contra a humanidade e nossos filhos" e afirma que "essas forças das trevas planejaram habilmente seu plano para destruir Corey e seus esforços para a Revelação da Verdade usando representantes de todos os cantos do nosso país - e do mundo - para fazer seu trabalho sujo".

Ele observa em seu site que as doações são simplesmente presentes, pois a Light Warrior Legal Fund LLC é uma organização com fins lucrativos. Nada disso é exatamente novo. Em 2017, Wilcock alegou que a "Aliança das Trevas" sabotara os freios em seu carro duas vezes.

Os dois homens também alegaram que alienígenas reptilianos que ocupam grandes áreas da Antártida, estão se reunindo para uma invasão e controlam os governos e bancos do mundo.

O surto de COVID-19 se encaixa perfeitamente em sua narrativa abrangente, na qual poderes sinistros apresentam tramas malignas, para as quais Wilcock e Goode sozinhos têm as respostas. Qualquer um que os desafie - ou simplesmente descreva o que eles fazem - é, ao que parece, o inimigo.

 

Salada conspiracionista


Michel Salla, teórico da conspiração Crédito: YouTube

 Em uma entrevista em fevereiro, no programa de Jenny McCarthy The Masked Singer, recebeu Wilcock e Goode e lhes perguntou se eles ainda estavam em comunicação com seus contatos alienígenas.

"Eu diria que nós dois temos acesso a esses ETs benevolentes", disse Wilcock. "Outra coisa que quero destacar também é que não somos da elite ou especiais. Isso é algo que todo mundo está tendo em diferentes graus. Você pode escrever seus sonhos pela manhã, você pode aprender o idioma. No meu novo livro, ensino a vocês que idioma é esse".

O alcance de Wilcock e Goode não se limita ao que eles têm por conta própria ou ao que a estranha celebridade lhes oferece. Eles fazem parte de um coletivo maior que sempre busca e incentiva as narrativas sobre UFOs e conspiração.

Essa equipe comum de criação e desenvolvimento de conteúdo apareceu em conferências e plataformas de mídia. O teórico da conspiração e ufólogo doutor Michael Salla e o popular especialista em QAnon e YouTuber Jordan Sather apareceram nos dois documentários de Wilcock e Goode, Above Majestic (2018) e The Cosmic Secret (2019).

Salla geralmente promove conteúdo de Wilcock e Goode em seu site. Sather, que tem laços estreitos com o ex-produtor e gerente de Wilcock e Goode Roger Richards Ramsaur, por meio de um comércio agora extinto, sempre falou sobre seus parceiros em seu canal no YouTube com 220.000 inscritos.

Dito isso, os recentes tuites de Sather parecem indicar que seu relacionamento está tenso. Já Ramsaur e outros dois outros indivíduos envolvidos nos negócios de Wilcock e Goode, também estão sendo processados por Goode.

As alegações são de difamação, violação de marca registrada e desfalque, de acordo com documentos judiciais obtidos pela Motherboard. Ramsaur não quis comentar.

 O canal de mídia de conspiração Edge of Wonder, administrado pelos ex-funcionários do Epoch Times Ben Chasteen e Rob Counts, que tem ligação com a seita Falun Gong por meio da empresa de mídia New Tang Dynasty, também espalhou a desinformação por meio de vários vídeos com Wilcock, Goode, Sather e Salla.

Em um vídeo, Wilcock afirma que o 11 de setembro foi uma trama arquitetada pela cabala "luciferiana" do Estado Profundo, e que os aviões estavam vazios.

Há uma polinização cruzada de mensagens de mídias marginais entre todos esses indivíduos, que trabalham para separar o público e promovem vários tópicos, que variam de alienígenas a teorias de conspiração antigovernamentais, e à atenção de seus milhões de seguidores combinados.

A verdade parece estar repleta de muitos gurus, mas parece que Wilcock e Goode são os únicos a seguir a rota espiritual dos mensageiros - um papel em que há um perigo inerente.

 

Trama hollywoodiana e as chaves da salvação


Contatos Imediatos do Terceiro Grau - Foto divulgação

 O uso das redes sociais para manipular o público recebeu atenção significativa após o escândalo da Cambridge Analytica. A conscientização do público sobre esse incidente, no entanto, pouco fez para mudar o fato de muitas pessoas e grupos on-line ainda estarem envolvidos em esforços que equivalem ao controle mental.

Grupos supremacistas brancos e organizações terroristas usam ferramentas e táticas eficazes e comprovadas para atrair e converter seguidores. Grupos religiosos e espirituais também.

"Podemos prever como pressionar os botões das pessoas, como entrar em sua disposição de acreditar em alguma coisa", disse Steven Hassan, especialista em culto. Ele identifica um perigo específico em um movimento baseado em um líder que não pode ser desafiado ideologicamente por seus seguidores porque ele é o mensageiro ou o profeta.

"Se existe um líder que está sendo canalizado por seres superiores", disse Hassan, "tem todos esses poderes especiais e afirmou ser clarividente e tudo mais, isso torna o líder muito mais preocupante do que a maioria dos outros grupos que têm uma figura carismática".

"Ele se baseia em crenças religiosas e espirituais que são difíceis de ser analisados racionalmente. Se a ideologia é preta e branca, tudo ou nada, ocorre uma doutrinação que é enorme, com cultos destrutivos que afirmam que apenas eles têm as chaves da salvação". Independentemente das afirmações de Wilcock e Goode de que eles não são líderes espirituais, o que eles fizeram fala por si.

Com mais de 500.000 seguidores combinados, e seus relacionamentos com outras personalidades da mídia e traficantes de conspiração, sua esfera de influência chega facilmente aos milhões.

O que eles oferecem a esse público é uma história hollywoodiana absurda sobre uma guerra intergaláctica. Uma ligação entre o tipo mais ridículo de conspiração ufológica e a atual cultura política conspiracionista em relação ao QAnon e ao Estado Profundo.

A isso juntam-se mensagens aparentemente religiosas. sobre um futuro apocalíptico. que afeta diretamente os temores das pessoas e seu desejo de fazer parte de uma comunidade.

A disposição deles de enviar ameaças judiciais mesmo diante de a menor provocação, e de enquadrar as críticas ou escrutínios mais brandos, como perseguição e pretexto para angariar fundos, não sugere objetivos inocentes.

Uma aparente mudança de autoproclamados delatores governamentais para homens que iniciam organizações quase-religiosas sem fins lucrativos, vendem cursos espirituais de autoajuda online e promovem que detêm as chaves da Ascensão equivale a mais do que um conjunto de estonteantes contradições. Fala às necessidades de seu público.

Sem dúvida, muitos entre seus seguidores buscam apenas entretenimento. No entanto, certamente também há pessoas, incluindo pessoas traumatizadas, em busca de respostas, que querem acreditar e encontrar conforto, mesmo em um curioso conjunto de crenças pseudo-religiosas sobre alienígenas reptilianos malignos, conspiração do governo e o fim do mundo.

Como a COVID-19 faz milhões se sentirem o mais próximo possível desse objetivo, Wilcock e Goode merecem ser examinados pelo uso do medo para se beneficiar dessa situação.

O mesmo acontece com os sistemas mais amplos que lhes dão o alcance e a influência de que precisam para vender seus deuses alienígenas, "segredos cósmicos" e desinformação como soluções para as pessoas que estão assustadas. E  com razão.

Fonte: Vice 

Você pode ler as outras duas partes deste artigo clicando abaixo:

Primeira parte

Segunda parte

Já está no ar a Edição 276 da Revista UFO. Aproveite!

Janeiro de 2020

A Ufologia e seus demônios