DESTAQUE

O astrofísico Avi Loeb falou sobre as consequências do contato com uma civilização avançada

Por
14 de Janeiro de 2022
Avi Loeb compartilha seu ponto de vista quanto a um contato efetivo com inteligências extraterrestres.
Créditos: Harvard

“Se o rover Perseverance encontrar evidências de micróbios em Marte, nossa autoestima não sofrerá, pois é claro que somos mais inteligentes do que eles”, escreveu Avi Loeb, de Harvard, em um e-mail ao Daily Galaxy, que lhe perguntou o que ele pensa sobre o impacto da evidência de uma civilização alienígena avançada.

“Mas se o rover atingir os destroços de uma espaçonave muito mais avançada do que já construímos, nossos egos serão desafiados. A ilusão de superioridade e arrogância injustificada está profundamente enraizada na natureza humana. Isso levou o regime nazista durante a Segunda Guerra Mundial a causar a morte de mais de 70 milhões de pessoas, ou 3% da população mundial, uma ordem de magnitude maior do que o número de mortos causado pelo vírus COVID-19. As pequenas diferenças genéticas que motivaram o nazismo pareceriam ridículas na presença de uma civilização muito mais avançada”, observou Loeb em seu e-mail.

“Muitas vezes se argumenta que o público em geral já acredita que não estamos sozinhos no universo e, portanto, as consequências sociais de procurar sinais tecnológicos de outra civilização serão insignificantes. No entanto, este argumento está errado. A reação da humanidade a tal descoberta dependerá em grande parte dos detalhes dos resultados: o equipamento é autônomo ou robótico, é controlado por inteligência biológica ou artificial, representa uma forma de vida que nunca vimos e, finalmente, quais são suas intenções?”, observou Loeb.

“Os seres humanos estão atualmente experimentando uma revolução de Inteligência Artificial (IA) que sugere que algo semelhante pode estar acontecendo em outras partes do universo”, diz Susan Schneider, diretora do Centro para a Mente do Futuro, e William F. Dietrich, professor de Filosofia da Mente, do Instituto do Cérebro Stiles - Nicholson, na Universidade Atlântica da Flórida, que escreveu sobre a interseção do SETI com a IA. “Uma vez que a sociedade tenha desenvolvido a tecnologia que poderia colocá-la em contato com o cosmos, eles estarão a apenas algumas centenas de anos de mudar seu próprio paradigma da biologia para a inteligência artificial”, conclui Susan.


Micróbios já seriam uma descoberta incrível. Mas e se o Perseverance se deparasse com uma nave pousada?
Fonte: NASA

Em seu e-mail, Loeb explicou: “Nossa migração histórica para fora da África começou há cerca de 100 mil anos, mas a migração futura da Terra pode ser desencadeada por um diálogo com um mensageiro de longe que é diferente de tudo o que vimos antes. Protocolos para entrar em contato com inteligência extraterrestre foram amplamente inspirados no passado pela capacidade de detectar sinais de rádio de planetas ao redor de estrelas distantes. Dado que o sistema estelar mais próximo, Alpha Centauri, está a 4.4 anos-luz de distância, levaria uma década ou mais para que esses sinais fossem transmitidos de um lado para o outro. Como resultado, eles não têm implicações para o nosso futuro imediato.”

“Mas um tipo diferente de contato pode levar a consequências rápidas”, diz Loeb. “Isso se refere a objetos físicos de outra civilização que já estão aqui e esperando para serem descobertos, como um pacote em nossa caixa de correio. Os equipamentos de chegada não precisam ser irracionais, mas podem ter IA que procura informações sobre planetas habitáveis ao redor do Sol. Esse tipo de reunião implica em contato instantâneo sem atraso significativo no tempo de comunicação. A capacidade de comunicar imediatamente altera o protocolo de resposta em relação ao sinal de rádio atrasado.”

No início de 2021, o site de notícias políticas The Hill informou que imagens de vídeo de um objeto voador não identificado vazaram online, levantando questões que ainda não foram respondidas. O vídeo, obtido pelo documentarista Jeremy Corbell, foi gravado pela Marinha dos Estados Unidos e mostra um objeto esférico voando sobre as águas na costa de San Diego por vários minutos antes de afundar no oceano. “Por que a ciência tem que ser chata?” Loeb pergunta, referindo-se ao vídeo da Marinha. “Aqui estamos falando de uma descoberta que mudaria a história, então como ousamos descartá-la?”

Fonte

UFO Recomenda

Já está no ar a Edição 286 da Revista UFO. Aproveite!

Novembro de 2021

Os segredos ufológicos do Pentágono