DESTAQUE

Novo plano é criado para terraformar Marte com um campo magnético artificial

Por
24 de Novembro de 2021
O sonho de terraformar Marte sempre existiu, mas estaria agora mais próximo de se realizar?
Créditos: GettyImages

Os humanos há muito olham para Marte como um irmão da Terra que é ou já foi habitado por seres inteligentes semelhantes a nós - tornando-o um lugar onde os humanos possam viver sem muitos ajustes. Essa impressão mudou dramaticamente conforme telescópios, sondas espaciais e rovers mais potentes tiveram uma boa visão, gosto, sensação e respiração de Marte, determinando que a única maneira de vivermos lá seria terraformar o Planeta Vermelho.

“Jornada nas Estrelas” nos deu um vislumbre de como a terraformação pode funcionar, mas transformar a superfície em uma vegetação luxuriante de sustentação humana é apenas parte do problema em Marte - o Planeta Vermelho não tem um campo magnético forte o suficiente para proteger a vida da radiação cósmica. Felizmente, um novo estudo apresenta um plano para adicionar um a Marte.

“Para que uma presença humana de longo prazo em Marte seja estabelecida, seria necessário pensar seriamente em terraformar o planeta. Um dos principais requisitos para tal terraformação é ter a proteção de um campo magnético planetário que Marte atualmente não possui. Neste artigo, exploramos de forma abrangente, pela primeira vez, os desafios práticos e de engenharia que afetam a viabilidade de criar um campo magnético artificial capaz de abranger Marte. Isso inclui as preocupações que definem o projeto, onde localizar o gerador de campo magnético e possíveis estratégias de construção”, disse Ruth Bamford, da NASA.

O estudo de pré-impressão, conduzido por uma equipe internacional de pesquisadores liderada por Ruth, expõe a necessidade de um campo magnético marciano (proteção contra radiação cósmica, mantendo uma atmosfera) e os desafios envolvidos na construção de um controlador de dentro do planeta - do jeito que a Terra é. Eles afirmam que sua solução é nova porque usa a lua marciana de Fobos como uma espécie de sistema de aspersão orbital para espalhar partículas carregadas acima do planeta até que formem um anel magnético forte o suficiente para ser um campo magnético.


A criação de “anéis” artificiais poderiam gerar um campo magnético estável para Marte?
Fonte: NASA

Fobos foi escolhido em vez de Deimos porque é muito maior e muito mais perto de Marte - orbita o planeta uma vez a cada oito horas. O estudo tem uma excelente representação gráfica simples de como isso funcionaria. Parece fácil... mas vai funcionar? “A solução com a menor potência, montagem e massa é criar um anel artificial de partículas carregadas (semelhante em forma a um “cinturão de radiação”), ao redor do planeta, possivelmente formado pela ejeção de matéria de uma das luas de Marte (de forma semelhante àquele que forma o toro de plasma Io-Júpiter), mas usando ondas eletromagnéticas e de plasma para conduzir uma corrente líquida no(s) anel(éis), que resultaria em um campo magnético geral.”

Acontece que algo semelhante já está acontecendo naturalmente entre Júpiter e Io, sua mais interna e a terceira maior das quatro luas galileanas. Os vulcões ativos de Io produzem plumas e fluxos de lava que afetam a magnetosfera de Júpiter e produzem um toro de plasma (uma nuvem em forma de rosca) ao redor do planeta gigante semelhante ao que a equipe de Bamford propõe para Fobos e Marte. Resta agora ver se é viável pôr o plano em prática.

Fonte

UFO Recomenda

Já está no ar a Edição 285 da Revista UFO. Aproveite!

Junho de 2021

Quando eles são hostis aos humanos