DESTAQUE

Nova ferramenta online já permite manter a vida alienígena debaixo dos olhos

Por
18 de Janeiro de 2019
O Allen Telescope Array usado pelo Instituto SETI para procurar sinais de alienígenas inteligentes
Créditos: SETI

Um pouco por todo o mundo, correm investigações que procuram vida alienígena e, por vezes, torna-se difícil acompanhar todos os avanços alcançados. Foi com isto em mente que Jill Tarter, pioneira neste campo de investigação e co-fundadora do Instituto SETI (Search for Extraterrestrial Intelligence), lançou o Technosearch, uma nova ferramenta disponível na Internet que compila todas as pesquisas do SETI publicadas nas últimas seis décadas. A plataforma permite ainda que os utilizadores enviem as suas próprias investigações, mantendo o banco de dados atualizado.

Jill Tarter e Andrew Garcia apresentando a ferramenta Technosearch.

“Comecei a guardar este arquivo de pesquisa quando era ainda estudante”, explica Tarter citada em comunicado. “Alguns dos artigos originais foram apresentados em conferências, ou aparecem em revistas obscuras que são de difícil acesso para os recém-chegados ao campo do SETI. Estou muito contente por termos agora uma ferramenta que pode ser utilizada por toda a comunidade e com uma metodologia para mantê-la atualizada”.

Vista aérea da matriz do telescópio Allen

Tarter desenvolveu a Technosearch em colaboração com estagiários da Research Experience for Undergraduates (REU), estudantes de pós-graduação que trabalham com o professor Jason Wright da Universidade Estadual da Pensivânia, nos Estados Unidos, e Andrew Garcia, estudante da REU em 2018 no Instituto SETI.

A Technosearch rastreia informações, incluindo dados básicos de cada observação e os seus autores, data e objetos observados e a instalação a partir da qual foi realizada. As características do telescópio utilizado são definidas, o tempo dedicado a cada objeto e o respetivo link para o artigo de investigação publicado originalmente.

Atualmente, a Technosearch conta com mais de 100 pesquisas de rádio e 38 pesquisas óticas, totalizado cerca de 140 investigações científicas diferenciadas. No futuro, a comunidade SETI deverá colaborar para manter a Technosearch atualizada e precisa.

Desde a primeira pesquisa SETI levada a cabo por Frank Drake em 1960, astrónomos e amadores em todo o mundo têm procurado e esperam encontrar evidências de vida, especialmente vida inteligente, além do planeta Terra. Um desafio constante para os apaixonados por este tipo de investigação tem sido acompanhar as dezenas de pesquisas que já foram realizadas – a Technosearch visa colmatar esse mesmo problema.

A Technosearch rastreia informações, incluindo:

  • Título do trabalho de pesquisa
  • Nome (s) dos observadores
  • Data da pesquisa
  • Objetos observados
  • Instalação onde a pesquisa foi conduzida
  • Tamanho e sensibilidade do telescópio usado
  • Resolvendo o poder do instrumento
  • Tempo gasto observando cada objeto
  • Um link para o trabalho de pesquisa publicado originalmente
  • Comentários que explicam a estratégia de pesquisa
  • Notas do observador

Captura de tela da lista de rádio  em  https://technosearch.seti.org/
A Technosearch será apresentada na reunião da Winter AAS de 2019, na próxima semana e será mantida pelo Instituto SETI, em https://technosearch.seti.org. , onde você pode acessar o banco de dados online. 

Fonte: SETI.org

Veja Mais:

De Carona com os ÓVNIs apresenta hoje o portal dimensional

Gigante disco de gelo chama a atenção nos Estados Unidos

Há vida na Lua, mas foi a China que acabou de plantar

BBC censura astrofísica que diz que sinais FRBs poderiam ser de ETs

Nova Zelândia recorre ao governo chileno para estudar onda de UFOs no país

Ex-senador quer tornar mais fácil para testemunhas de UFOs se apresentarem

Já está no ar a Edição 264 da Revista UFO. Aproveite!

Janeiro de 2019

Sexo com ETs