DESTAQUE

Nossos vizinhos, os alienígenas

Por
04 de Abril de 2020
Planeta alienígena, concepção artística
Créditos: curiosmos

Astrônomos descobrem uma superterra com 1,5 vezes a massa da Terra orbitando uma anã vermelha, localizada a cerca de 12 anos-luz de nós, E ela está dentro da zona habitável de sua estrela, onde as temperaturas são ideais para que a água exista no estado líquido.

 

Outro fascinante sistema estelar alienígena foi descoberto em nossa galáxia, a 12 anos-luz da Terra. Ali há três planetas que variam entre os tamanhos de Netuno e da Terra orbitando a estrela. 

Um dos planetas está na chamada zona habitável, uma área ao redor da estrela onde as temperaturas são ideais para que a água exista no estado líquido, e acredita-se que ele seja uma superterra. 

Os astrônomos também descobriram um quarto sinal, que provavelmente é explicado pela rotação estelar, embora possa também indicar a presença de mais um planeta.

Carl Sagan e água líquida


Carl Sagan. Crédito: Portal Carl Sagan

O mais interessante dos três ou 4 é um mundo alienígena chamado GJ 1061d. Ele tem, aproximadamente, 1,5 vezes a massa da Terra e é provavelmente um mundo rochoso. 

A energia que recebe de sua estrela está entre o que a Terra e Marte recebem do nosso Sol. Em outras palavras, o planeta está na melhor zona possível ao redor de sua estrela.

Se for um mundo rochoso e tiver a atmosfera adequada, GJ 1061d poderá ter água liquida em sua superfície, um bom indicativo de que possa haver vida por lá. O planeta é o mais externo dos três descobertos no sistema e orbita sua estrela a cada 12 ou 13 dias.

 O Sol alienígena que esses planetas orbitam é uma anã vermelha, pequena e fria, o que significa que GJ 1061d é um planeta de clima potencialmente temperado

Além disso, a estrela parece ser mais velha e menos ativa do que as jovens anãs vermelhas, tornando o planeta menos propenso a erupções estelares cataclísmicas. As observações, por enquanto, não determinaram a composição do GJ 1061d ou se ele possui uma atmosfera. 

A descoberta do novo sistema, cujos outros dois planetas também superam a Terra em termos de tamanho, faz parte de uma campanha científica incomum chamada colaboração Pontos Vermelhos, uma referência a Carl Sagan e sua rotulação de nosso planeta como um pálido azul pálido.

Mais três para a coleção


Observatório Europeu do Sul. Crédito: ESO

Uma equipe internacional liderada por Stefan Dreizler, da Universidade de Göttingen, na Alemanha, descobriu o novo sistema usando o espectrógrafo HARPS, no telescópio do Observatório Europeu do Sul de 3,6 m, em La Silla, no Chile. 

O instrumento mede oscilações no movimento de uma estrela causada pela atração gravitacional de planetas em órbita, um método para detectar exoplanetas conhecidos como velocidade radial.

Como revelado pela NASA, os três novos exoplanetas estavam entre os nove novos mundos incluídos no arquivo de exoplanetas da agência, em 05 de março de 2020.

A descoberta foi detalhada em um novo estudo publicado nos avisos mensais da Royal Astronomical Society.

 

Fonte: Curiosmos 

 

Assista abaixo a um ótimo documentário sobre planetas alienígenas:

Já está no ar a Edição 277 da Revista UFO. Aproveite!

Fevereiro de 2020

UFOs no espaço até a Lua