DESTAQUE

NASA seleciona 12 projetos para explorar a Lua

Por
05 de Julho de 2019
Conceito de módulo lunar que carregará consigo os experimentos selecionados
Créditos: NASA

A NASA selecionou 12 novas tecnologias que ajudarão a estudar a Lua e explorar mais a sua superfície. Como parte do programa lunar Artemis da agência, essas investigações e  demonstrações ajudarão a agência a enviar astronautas à Lua até 2024, como forma de se preparar para enviar seres humanos a Marte pela primeira vez.

As investigações selecionadas irão para a Lua em vôos futuros através do projeto Commercial Lunar Payload Services  (CLPS) da NASA. O projeto CLPS permite a rápida aquisição de serviços de entrega lunar para cargas úteis como essas que promovem recursos para a ciência, a exploração ou o desenvolvimento comercial da Lua. Muitas das novas seleções incorporam hardware existente, como peças ou modelos projetados para missões que já voaram. Sete das novas seleções estão focadas em responder perguntas em ciência planetária ou heliofísica, enquanto cinco demonstrarão novas tecnologias.   

"As cargas lunares selecionadas representam inovações de ponta e aproveitarão os primeiros vôos através do nosso projeto de serviços comerciais", disse Thomas Zurbuchen, administrador associado da Agência de Missão Científica da agência em Washington. "Cada um demonstra um novo instrumento científico ou um inovação tecnológica que apóia objetivos de exploração científica e humana, e muitos têm aplicações mais amplas para Marte e além. ”

As 12 investigações selecionadas são:

  • MoonRanger: pequeno rover capaz de rodar além do campo de alcance de comunicação com um módulo de aterrissagem, e depois retornar. É previsto um intervalo de 1 km a partir da sonda, e seu objetivo será mapear continuamente o terreno que atravessar, transmitindo dados para melhorias futuras no sistema. O projeto é da Astrobotic Technology Inc.

  • Heimdall: sistema de câmera flexível que inclui um gravador de vídeo digital e quatro câmeras: uma para registrar a descida (grande angular), outra para gerar imagens do regolito, e outras duas panorâmicas. O sistema modelará as propriedades do regolito, mapeando características geológicas e caracterizando potenciais perigos de pouso ou trafegabilidade. O projeto é do Planetary Science Institute.

  • Lunar Demonstration of a Reconfigurable, Radiation Tolerant Computer System: demonstração de uma tecnologia de computação tolerante à radiação solar. O projeto é da Universidade Estadual de Montana.

  • Regolith Adherence Characterization (RAC) Payload: experimento que determinará como o regolito lunar adere a uma variedade de materiais expostos ao ambiente em diferentes fases durante um voo. O projeto é da Alpha Space Test and Research Alliance.

  • The Lunar Magnetotelluric Sounder: sonda que vai caracterizar a estrutura e composição do manto da Lua, estudando campos elétricos e magnéticos. O projeto é do Southwest Research Institute.

  • The Lunar Surface Electromagnetics Experiment (LuSEE): o projeto usará hardware de reposição da missão Parker Solar Probe, da própria NASA, para fazer medições abrangentes de fenômenos eletromagnéticos na superfície lunar. O projeto é da Universidade da Califórnia.

  • The Lunar Environment heliospheric X-ray Imager (LEXI): câmera que capturará imagens da interação da magnetosfera terrestre com o fluxo de partículas carregadas do Sol — o chamado vento solar. O projeto é da Universidade de Boston.

  • Next Generation Lunar Retroreflectors (NGLR): o experimento servirá como um alvo para lasers na Terra para medir, com precisão, a distância entre a Lua e nosso planeta. Já existem refletores com essa função na Lua, deixados pelos astronautas do programa Apollo, mas a ideia é levar novas tecnologias a este experimento. O projeto é da Universidade de Maryland.

  • The Lunar Compact InfraRed Imaging System (L-CIRiS): radiômetro que medirá comprimentos de onda de luz infravermelha para explorar a composição da superfície lunar, bem como mapear sua distribuição de temperatura superficial. O projeto é da Universidade do Colorado.

  • The Lunar Instrumentation for Subsurface Thermal Exploration with Rapidity (LISTER): instrumento projetado para medir o fluxo de calor do interior da Lua, com uma sonda que perfurará de 2 a 3 metros no regolito lunar para investigar suas propriedades térmicas em diferentes profundidades. O projeto é da Texas Tech University.

  • PlanetVac: tecnologia para recolher e transferir regolito lunar para outros instrumentos para fins de análise, ou apenas para selar o regolito em uma embalagem especial caso o material precise ser trazido à Terra. O projeto é da Honeybee Robotics.

  • SAMPLR: Sample Acquisition, Morphology Filtering, and Probing of Lunar Regolith, outra tecnologia de aquisição de amostras, mas esta usará um braço robótico para a coleta. O projeto é da Maxar Technologies.

 

Os planos de exploração lunar da NASA baseiam-se em uma abordagem de duas fases: a primeira está focada na velocidade - pousando astronautas na Lua até 2024 - enquanto a segunda estabelecerá uma presença humana sustentada na Lua até 2028. A agência usará o que aprendermos na Lua para se preparar para o próximo salto gigante - enviar astronautas a Marte.

Para mais informações sobre a NASA e programas de agências, visite: https://www.nasa.gov/moontomars

Fonte: NASA

 

Veja Mais:

Pilotos da Marinha americana relatam seus encontros com UFOs

De acordo com cientistas, água teria origem extraterrestre

Primeiro agroglifo da temporada no Reino Unido apresenta sinais de fraude

Plano da NASA revelado: 37 aeronaves e um pouso lunar

Pentágono admite a investigação de UFOs

O que Bob Lazar tem em comum com o comportamento atual do Pentágono?

  

Curso Portais Dimensionais

Presencial e a distância

Saiba sobre todos os módulos do curso aqui:

www.portaisdimensionais.com.br 

 

Já está no ar a Edição 269 da Revista UFO. Aproveite!

Junho de 2019

Como são eles?