DESTAQUE

NASA, ESA e SpaceX lançam amanhã o Sentinel-6, o maior satélite de observação da Terra já feito

Por
20 de Novembro de 2020
Satélite Sentinel-6
Créditos: ESA

O Sentinel-6 Michael Freilich, o maior satélite de observação da Terra, está passando pelos ajustes finais para seu lançamento, que deverá ocorrer amanhã, sábado, 21 de novembro.

A missão é desenvolvida em uma parceria entre a NASA e Agência Espacial Europeia (ESA), e terá o objetivo de analisar o aumento do nível dos mares, consequência das mudanças climáticas que ocorrem em nosso planeta.

O lançamento será feito com um foguete Falcon 9, da SpaceX, o mesmo utilizado na missão Crew-1, no último fim de semana. "Em breve veremos o satélite em sua jornada para a órbita a 1.300 km acima da Terra", disse Parag Vaze, gerente de projeto da missão.

A nave compõe uma dupla de satélites idênticos da missão Sentinel-6/Jason-CS, parte do programa Copernicus, da ESA. O outro, chamado Sentinel-6B, deverá ser lançado em 2025.

Ao observar a Terra do espaço, o Sentinel-6 Michael Freilich poderá proporcionar uma visão única da tendência preocupante do aumento do nível dos mares, o que ajudará a tomada de medidas contra o problema.

Avaliar o aumento no nível dos oceanos não é algo fácil de se fazer em Terra, por mais que haja um interesse crescente em se fazer a medição. Mas do alto, isso fica mais fácil.

 

Medição mais fácil por satélites


Processo de medição que será feito pelo Sentinel-6 do nivel dos oceanos. Crédito: ESA

Quando estão orbitando a Terra, os satélites têm uma visão privilegiada do planeta, o que permite a coleta de dados precisos e abrangentes. "Entender e quantificar o que está acontecendo no oceano é difícil; está mudando lentamente, mas muda. Entender o quão rapidamente essas mudanças acontecem exige medidas precisas e contínuas", explicou Vaze.

Para isso, o radar altímetro do Sentinel-6 calcula a distância entre o satélite e a Terra com medidas do tempo que um pulso de radar leva para se refletir na superfície do planeta.

O eco do pulso que retorna da superfície do mar fornece uma onda, que é processada para determinar a altura da superfície do mar e da onda e a velocidade do vento no oceano.

Diferentemente de missões anteriores de observação da Terra, o Sentinel-6 vai coletar medidas em resolução bem mais alta, além de ser capaz de medir variações mais discretas no nível do mar próximo às costas.

Por fim, o satélite vai fornecer medidas quase em tempo real da altura da superfície do mar, altura das ondas e velocidade dos ventos. Esses dados serão importantes para previsões, além de serem cruciais para o gerenciamento dos recursos do oceano e proteção ambiental.

A NASA pretende realizar o lançamento amanhã às 14h17, horário de Brasília, e a cobertura ao vivo terá início às 13h45 pela NASA TV e no site da agência espacial. Para conferir, clique aqui.

Fonte: Canal Tech

Veja, abaixo, um video explicativo sobre a medição dos oceanos feita pelo Sentinel-6:

Já está no ar a Edição 280 da Revista UFO. Aproveite!

Outubro de 2020

Intervenção extraterretre